3 Batatinhas e a Capeta no corpo

Vamos para o nosso último dia a dar voz às modalidades. Esta semana, como sempre aqui n’O Espartano, as modalidades têm voz e destaque durante 3 dias todas as semanas.

Para o nosso terceiro e último dia, temos muito basquetebol, ciclismo complementando o que se falou no programa e, ainda, futebol feminino com destaque para a nossa vitória sobre o Benfica.  

Bom domingo e boa leitura neste mundo das modalidades.

Basquetebol

Para começar, nada melhor que a atualidade do basquetebol, uma atualidade recheada por muitos e bons jogos.

Vamos iniciar, claro, pelos 3 jogos do Sporting. Começámos por vencer uma equipa sempre complicada, o Vitória SC por 112-71. Mais um jogo que deu gosto ver jogar, mais uma vitória e mais uma demonstração de que no basquetebol somos a equipa mais forte.

No primeiro jogo viram-se grandes melhorias nos ressaltos.Mais uma vez, Henry em grande com um bom jogo. Fields e Travante novamente os melhores neste jogo. O adversário não era fácil e fomos nós que tornamos o jogo mais fácil.

No jogo seguinte, 91-58 contra a Académica, um jogo muito fácil que deu para os menos utilizados jogarem e terem mais tempo de jogo, como aconteceu com a dupla Araújo / Fonseca que jogou mais aqui do que em outro jogo qualquer

Foi um jogo tranquilo, bem mais tranquilo do que se esperava, porque Académica foi uma equipa que criou muitos problemas ao Benfica levando ao prolongamento. Trata-se de uma boa equipa com um bom registo de jogo, o que, por isso, demonstra bem a nossa superioridade e a nossa força. Neste jogo deu para ver mais do Shakir, que não sendo um jogador fantástico, é um bom jogador e um bom complemento da equipa, jogou bem neste jogo.

Dez pontos em período e meio, também diz bem das dificuldades da Académica neste jogo, mas foi bom ver a rotação a funcionar e jogadores que, por norma, têm menos tempo de jogo a render.

Chegamos, então, ao jogo de ontem, sábado, onde voltamos a ganhar ao FC Barreirense por 77-103, em jogo referente à sétima jornada da Liga Placard.

Foi mais um jogo em que dominamos, fomos melhores e defendemos muito bem. Percebe-se que estamos a melhorar em vários aspetos, mas fica mais uma boa exibição que deu para ver mais do Henry, um dos melhores. Mais um bom jogo da rotação e, mais uma vez, Fields a ser o MVP. Já podemos dizer que o Fields do Sporting é melhor que o Fields que vimos em Oliveira de Azeméis. Mais magro, mais concentrado, mais comprometido com a equipa e tudo isto muito pelo dedo do professor Luís Magalhães. São 7 jogos 7 vitórias, a melhor equipa em Portugal neste momento e uma equipa em claro crescendo. Só podemos esperar mais e melhores exibições.

Também o Porto e Benfica tiveram três jogos. Os dragões começaram por vencer as águias por 79-88. Deu para ver o que já se sabia, o Porto vai estar em luta com a Oliveirense pelo segundo lugar, porque claramente o Sporting está melhor e bem acima.

Mas neste jogo grande, Landis foi o fator decisivo. A técnica dele e as faltas sacadas fizeram o Porto encostar e fugir no marcador. Um Porto superior e melhor, um Benfica com jogadores para mais do que faz.

Carlos Lisboa não é treinador para uma equipa deste nível e continua a ter carta branca sem conseguir colocar a equipa a jogar.

Depois disso, Barreirense 48 FC Porto 94, num jogo mais do que fácil para o Porto. Nada a dizer aqui. O Porto esteve sempre por cima, dominou, rodou a equipa e venceu sem o menor problema. Realço o mau jogo de Pedro Pinto que precisava de apresentar um rendimento muito acima do que está a conseguir, mas tirando isso o Porto venceu sem dificuldades.

Tal como no último destes 3 jogos, em que o Porto venceu o Esgueira por 91-78. Foi mais um jogo controlado pelo Porto, onde as figuras menores apareceram. Tal como no jogo com o Sporting, deu para jogadores menos utilizados terem minutos. Tinsley está de regresso e que regresso, porque ele jogou muito bem.

Já o Benfica venceu o Barreirense por 79-92. Cumpriram a missão, nada a dizer aqui. Apesar dos erros e da equipa estar a jogar abaixo do que podia, a equipa cumpriu e conseguiu vencer sem problemas um adversário que está num nível abaixo. Depois perdeu com o Porto, como referi acima e, por fim, o terceiro jogo foi com o Lusitânia, numa vitória por 69-82.

Este jogo nem sempre bem jogado. O primeiro quarto foi muito equilibrado com o Lusitânia a vencer. Depois disso, o Benfica venceu sem problemas, com um segundo quarto demolidor, em que o Lusitânia só conseguiu 9 pontos contra os 21 dos encarnados. Depois voltou a equilibrar, com o Lusitânia a vencer novamente o quarto período, mas os encarnados venceram, com problemas e sem a facilidade que alguns esperavam. O Lusitânia, se não fosse o segundo período, podia mesmo ter conseguido um resultado melhor e mais próximo.

Nesta última jornada, há a destacar a derrota da Oliveirense que foi a Guimarães perder com o Vitória por 84-74, em mais um mau jogo. A equipa de Oliveira de Azeméis, mais uma vez, a demonstrar que estão abaixo do que era de esperar, abaixo dos últimos anos, com muitos problemas para conseguirem lutar com o Sporting pelo título.

Mau jogo de José Barbosa e, com isso, a equipa ressente-se. Mesmo Grosso ou Guerreiro estiveram abaixo e, como tal, a equipa esteve menos bem do que nos habituou nos últimos anos.

O Sporting é líder com 14 pontos com mais um jogo do que o Porto, que é segundo e o Benfica é terceiro.

No feminino, destaco a vitória do Benfica sobre o Queluz por 51-105. A equipa está a jogar muito bem e passaram este teste complicado sem grandes problemas. Mariana Silva com 20 pontos foi a MVP deste jogo, mas Ana Barreto ou Marta Martins também estiveram muito bem.

No Queluz, as coisas não correram bem. Num jogo abaixo do que era esperado, os maiores destaques foram Sara Silva e Ana Furtado.

O GDESSA venceu o Quinta dos Lombos, num duelo de duas das melhores equipas deste campeonato, em que a equipa de Miguel Minhava levou a melhor, vencendo por 63-49. Com menos rotação do que a Quinta dos Lombos, o GDESSA é uma equipa que joga muito bem. Maianca Umabano foi a maior figura deste jogo, mas Aline Moura ou Márcia Costa estiveram também elas muito bem. Do lado das derrotadas, esteve a MVP da partida, mais uma vez, Raphaella Monteiro que brilhou. Esta aqui uma craque e eu já falei dela várias vezes. É uma jogadora muito boa e, mesmo na derrota e num jogo menos bem conseguido pelo Lombos, ela conseguiu brilhar.

Sportiva, com menos um jogo, venceu o Olivais por 63-54, em mais um duelo de equipas fortes e de algumas das equipas que vão lutar pelos lugares cimeiros. Foi uma vitória importante para o União Sportiva. Nas derrotadas estiveram as maiores pontuadoras, Kahlia Lawrence e a Kendrian Elliot. No Sportiva, Vânia Sengo foi a melhor jogadora.

Tivemos aqui uma jornada de bons duelos, bons jogos e tirando a superioridade do Benfica em Queluz, os jogos foram bastante equilibrados e muito bons. É uma pena a falta de visibilidade e que muitos não prestem a devida atenção ao basquetebol feminino. As equipas jogam muito bem, tem bons treinadores e boas jogadoras. Realmente é a seguir, porque os jogos são bons.

Lá por fora bem… temos muitos jogos e muitas competições e eu vou destacar alguns dos melhores jogos.

Começamos pela Euroleague, onde o Barcelona recebeu e atropelou o Fenerbahce no Palau blaugrana por 97-55. Já o referi antes, o salto qualitativo do Barça com Sarunas é incrível. Foi mais uma grande exibição e um amosso tremendo nos turcos de Kokoskov que, também eles, estão mais fortes e a jogar bem e, mesmo com este mau jogo, nada disso é posto em causa.

Com 7 vitórias na Euroleague para o Barcelona, foi um jogo sem história. O Barcelona dominou do primeiro ao último minuto e levou a melhor sobre os turcos que tinham uma série de duas vitórias e pareciam que iam embalar para melhores jogos, mas o Barça foi demolidor. Num jogo onde todos tiveram tempo para jogar e marcar pontos, Kuric e Smits foram quem mais marcou.

O outro jogo que destaco desta jornada da Euroleague foi o também amasso do Maccabi em Telavive ao Zalgiris. A equipa de Schiller foi também ela atropelada em Israel por 85-57. Também aqui deu para que vários jogadores se mostrassem e tivessem mais tempo de jogo. Dorsey foi quem mais se evidenciou neste jogo. Mais um jogo sem história, mais um jogo controlado do princípio ao fim, desta feita pelos israelitas que venceram e conseguiram “abater” uma das equipas que melhor esta a jogar nesta altura.

O Barça segue em primeiro seguido do Bayern e do Zalgiris.

Na Eurocup, destaco o Unicaja – Mornar Bar que os espanhóis venceram por 98-72, num jogo que ditou a ultrapassagem do Unicaja para primeiro lugar do grupo B. Os espanhóis foram muito fortes e superiores nesta partida, em que controlaram desde o primeiro minuto. O que permitiu que o Mornar se aproximasse, foi o tempo de jogo dado à rotação dos espanhóis. Brizuela e Bouteille foram os melhores jogadores desta partida.

Na Eurocup, realizou-se ainda o grande jogo entre o Lokomotiv – Virtus BO, que ficou em 83-89.

Num grande duelo, com muito equilíbrio do princípio ao fim, o Virtus com esta vitória fica ainda mais líder no grupo C. Com sete vitórias, ainda não perderam e vão confirmando o favoritismo que lhes era dado desde o começo da Eurocup. Todosic, com uma exibição, fez 29 pontos e 5 assistências. Também Tessifori e Hervey no Lokomotiv estiveram em destaque neste jogo.

Na Eurocup, o Joventut lidera o grupo A, Unicaja lidera o grupo B, o Virtus lidera o grupo C e o Trento lidera o grupo D.

Na Basketball Champions League, destaco a vitória do Galatasaray no grupo A. Os turcos venceram os dinamarqueses do Bakken por 91-81, num dos melhores jogos que os turcos que fizeram este ano, onde o que mais sobressaiu e o que ganhou o jogo foi a defesa do Gala. Foi um duelo equilibrado, onde os Turcos conseguiram vencer com uma exibição de muita qualidade.

Brock Motum brilhou com 24 assistências e também RJ Hunter brilhou nos turcos com 19 pontos.

No grupo G, destaco a vitória do Igokea frente ao Turk Telekom por 77—66. Neste que é o grupo da morte e mais equilibrado até ao momento, os bósnios venceram os turcos. A figura do jogo foi, tal como no jogo connosco, Jackie Carmichael com 15 pontos e 4 assistências. No Turk, a figura do jogo foi Tyler Ennis.

Na Basketball Champions League, o Sassari lidera o grupo A, o Dijon lidera o grupo B, AEK lidera o grupo C, Zaragoza lidera o grupo D, Peristeri lidera o grupo E, Bamberg lidera o grupo F, Igokea lidera o grupo G e o Brindisi lidera o grupo H.

No feminino, temos a qualificação do Eurobasket, em mais uma jornada com vários bons jogos. Começo por Portugal que perdeu com a Bélgica por 49-59 e, depois disso, fomos derrotados ainda pela Finlândia por 70-62. Duas derrotas que não podiam acontecer se queríamos ter hipóteses de qualificação para o Euro. Foram duas derrotas onde a intensidade física, principalmente das finlandesas, fez a diferença. Restam dois jogos por disputar e a qualificação é uma miragem. No grupo de Portugal lidera a Bélgica que vai numa série de 4 vitórias.

Em outros jogos, o Bósnia – Rússia que ficou 68-72. Quem lê já conhece o nome Musina, que conseguiu 25 pontos numa exibição de jogadora de topo, que é o que ela é.

No Macedónia- Alemanha deu vitória germânica por 59-74, num jogo muito bom das alemãs que venceram aqui de forma confortável, com uma grande exibição da Laura Hebecker que brilhou e muito neste jogo.

A Eslovénia lidera o grupo A, Suécia lidera o grupo B, Rússia lidera o grupo C, Republica Checa lidera o grupo D, Servia lidera o grupo E, Rino Unido lidera o grupo F, Bélgica lidera o nosso grupo G, Holanda lidera o Grupo H e a Croácia lidera o grupo I,

Algumas equipas como a Sérvia ou a Suécia ainda não perderam e vão confirmando todo o favoritismo nos respetivos grupos.

Ciclismo

Depois de no programa termos falado do final da Vuelta, temos outras corridas para falar, todas elas também por Espanha.

Começo pela corrida na Extramadura, a Challenge Vuelta al Tajo, de dois dias, onde tivemos a participação de portugueses.

No primeiro dia, aconteceu a vitória de Franscisco Rus que já correu em Portugal. O ciclista da Cortizo bateu o uruguaio Mauricio Moreira Vigo-Rias Baixas e o espanhol Edgar Pellicer da Ciclos Oleka fechou o pódio.

Neste dia tivemos os portugueses a conseguir um resultado de destaque, o oitavo lugar do Diogo Narciso da Sicasal, seguido pelo Diogo Duarte que foi nono com o Guillaume De Almeida da Maia ainda a ser 13º.

No dia seguinte foi bem diferente, venceu Mario Muñoz  da Gomur que bateu Abel Franco da Froiz e Eloy Teruel da Valverde Team. Num dia mau para os portugueses que não conseguiram nem ficar nos 10 melhores e, com isto ao fim destes dois dias e com este segundo e último dia, o melhor português na geral final foi o Ivo Pinheiro em 24º a 5:51, da Credito Agricola-Jorbi-Delta Cafés, numa geral ganha pelo Marcos Jurado da Froiz. Moreira foi segundo e Samuel Blanco fechou o pódio.

Depois tivemos o Madrid Challege, pela primeira vez com 3 dias. Trata-se da volta à Espanha feminina, por assim dizer, até por coincidir com a Vuelta e por ser em Espanha.

A primeira etapa tinha final em Escalona. Foi uma etapa plana sem dificuldades, mas com muito vento que se fez notar durante toda a etapa.

Muitos ataques, mas o final, como se previa, foi ao sprint com Lorena Wiebes a vencer, batendo Elisa Balsamo e a Lisa Brennauer.

A segunda etapa foi um contrarrelógio de 9.3 kms em Boadilla del Monte. Mais um dia com muito vento, mais um dia plano, mas em que os ventos cruzados complicavam a tarefa das ciclistas.

Com uma enorme performance e depois de ter sido terceira no dia anterior, Lisa Brennauer venceu, sendo apenas 1 segundo mais rápida que Elisa Longo Borghini, e em terceiro ficou a Ellen Van Dijk.

Lorena Wiebes, que era a líder, mesmo não sendo uma especialista, conseguiu ter um bom dia ao ser 11ª a 28 segundos, perdendo assim a liderança para a Brennauer.

O último dia era o de consagração, A terceira etapa coincidiu com a Vuelta por Madrid. Esta etapa final eram basicamente 17 voltas aos 5.9 kms do circuito final de Madrid.

Foi um dia animado, apesar de ser o último e de ser um dia sem muitas dificuldades. A primeira animação foi quando Brennauer foi buscar os dois segundos de bonificação para segurar a liderança. O que mais marcou este dia foi a italiana Longo Borghini que andou isolada algum tempo até ser absorvida pelo grupo da líder.

Muita luta, mas a vitória acabou por ir para Itália, com Elisa Balsamo que bateu Wiebes e Marta Bastianelli. Lisa Brennauer chegou no grupo e venceu assim o Challenge de Madrid, ela que este ano só tinha vencido a prova de fundo nos nacionais alemães e a prova mista de contrarrelógio nos europeus.

A época feminina acabou, num ano mais uma vez dominado pelas holandesas. Anna Van Der Breggen foi quem mais venceu este ano com 8 vitórias, Annemiek Van Vleuten venceu 7 e a terceira mais vitoriosa este ano a espanhola Margarita Garcia.

A época abriu e fechou com vitórias alemãs. Lippert em fevereiro na austrália e Brennauer em Espanha. Van De Breggen venceu a grande volta, o Giro e ainda a Fleche para além dos mundiais. Lizzie Deignen, um dos destaques nas clássicas,venceu várias como a Liege ou o GP Plouay.  Katarzyna Niewiadoma, Cecilie Uttrup Ludwig, Mikayla Harvey, Paula Patino, Demi Vollering e Lotte Kopecky foram algumas das melhores depois das holandesas. Kopecky, Vollering e Patino foram das maiores revelações deste ano.

Futebol Feminino

No futebol feminino, temos claro que destacar e falar da vitória do Sporting frente ao Benfica por 0-3. Foram 3 “batatinhas” e uma exibição muito boa da nossa equipa.

Um jogo muito aguardado e o jogo do ano. Numa goleada que podia ser maior, o Sporting dominou e humilhou as encarnadas. Susana Cova estabeleceu uma estratégia muito boa, abordou o jogo da melhor maneira e, no frente a frente com Luís Andrade, esteve muito acima, isto porque Luís Andrade já tinha revelado não ser treinador para uma equipa como as águias e com menos opções isso fica ainda evidente.

Um ótimo jogo, nada a dizer da nossa exibição e do nosso jogo. Estivemos por cima, fomos melhores e vencemos sem problemas o maior rival e uma equipa que já nesta próxima semana vai discutir com o Anderlecht a passagem à liga dos campeões. Até por isso se esperava uma equipa do Benfica mais forte, porque a jogar assim vão passar muito mal com as belgas que já são as favoritas em teoria.

Outro destaque é claro Ana Capeta, duas bombocas lindas da nossa Capeta, Inês Pereira é a nossa melhor guarda-redes e, mesmo gostando da Patrícia, a Inês vai se assumir como titular mais cedo ou mais tarde. Ana Borges também com um grande jogo. Raquel e Nevena, como já sabíamos, são as nossas estrelas e voltaram a fazer mais um grande jogo. Tatiana Pinto com mais uma bela exibição no nosso meio campo e ainda destacar a Joana Marchão, a nossa canhota esteve muito bem.

Grande, grande vitória e muito importante não só por ser com o nosso maior rival, mas por nos deixar isolados na zona sul com 18 pontos e, também, por continuarmos assim a nossa série de invencibilidade. Nada a dizer, exibição e resultado muito bons. Enorme vitória.

Por esta semana é tudo. Três dias como sempre só de modalidades, com muitos destaques e muitas notícias. Mais uma semana onde demos voz as modalidades. Espero que todos estejam bem, seguros, que todos tenham gostado dos artigos e do programa e, acima de tudo, que tenham um bom fim de semana desportivo. Até para a semana para mais 3 dias a dar voz as modalidades.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *