Sporting CP – Eu “ou” Sporting

Bom dia a todos os Sportinguistas,

É com muito gosto que volto a escrever mais um artigo com O Espartano, onde correlaciono o Sporting e o Design. No artigo de hoje, vamos falar sobre o novo cartão de sócio do Sporting Clube de Portugal.

Dia 16 de Junho, no Jornal Sporting, foi anunciado o design do novo cartão de sócio do Sporting.

O que vemos?

Quanto a vocês não sei, mas para mim foi uma grande desilusão. Em primeiro lugar, sinto que tenho de vincar o meu desagrado – este cartão pode sequer ser considerado uma proposta? Adorava poder ver as alternativas à solução final, saber quanto pagámos ao engenheiro para “desenhar” este novo cartão, e porque raio os sócios deixaram de ter uma palavra a dar nestes temas.

Lembro-me que chamavam ao antigo Presidente do Sporting de ditador, mas ele pelo caminho até promoveu o concurso dos sócios poderem desenhar a camisola alternativa. Tenho 100% certeza que se o redesign do cartão fosse um concurso para sócios, iriam surgir propostas fantásticas e ao nível do que é “Ser Sporting”;

Em segundo lugar, mas não menos importante, e visto que já comentei o cartão enquanto Sportinguista, comento agora enquanto Designer: Tenho para mim as minhas suspeitas que quem fez este cartão não percebe patavina de estrutura, contrastes, cores… Adoro o detalhe da frente do cartão: “Eu (s)OU”. Finalmente, vamos deixar de descriminar os disléxicos – assim ninguém fica “estriste”.

Jornal Sporting – edição 16 de Junho de 2020

Agora falando no verso do cartão: que verde é este? Tiro as lentes de contacto e a 3 metros de distância e, mesmo assim, consigo imediatamente identificar que este não é o “Verde-Sporting” – será possível que o designer que fez este magnífico cartão não tenha tido acesso à paleta de cores do Sporting?

A parte de trás é tão parecida com o ainda actual cartão, que eu por momentos pensei que só estavam a anunciar a frente do novo cartão. E perguntam-me vocês: “Epá, e como é que chegaste à conclusão de que não é?” – Ora, porque agora o texto e o símbolo do Sporting já não está a branco, mas sim a preto (aposto um almoço que no Manual de Normas da marca Sporting, esta versão do logo nem sequer existe – isto deveria ser considerado ilegal e uso indevido da marca). Deixo o desafio a quem tiver o interesse: peguem no vosso cartão de sócio e comparem os versos dos cartões e, no final, digam qual é o cartão que tem melhor contraste de informação? Qual é o cartão mais claro em termos de informação?

A única coisa positiva que eu consigo encontrar neste cartão é a imagem na frente do cartão. Gosto da imagem do Leão, mas foi mal aproveitada.

O que NÃO vemos?

Há dois pontos que merecem uma palavra aqui. Em primeiro lugar, gostaria de destacar o tema da Sustentabilidade Ambiental. É uma preocupação legítima e acho que deve ser algo a ter em conta sempre, mas isto não é um pouco contra-senso?

No Jornal Sporting foi escrito que “(…) assegurou, revelando depois que para o futuro, quando o Clube tiver “uma nova aplicação”, fica aguardada a possibilidade de esta incluir o cartão de Sócio digital” – relembro-vos que a actualização da aplicação e do site foi adiada há cerca de um mês, para o próximo ano! Ora, visto que está a haver renumeração dos sócios, porque raio não foi este dossier gerido de modo a que pelo menos a aplicação fosse uma certeza para este anúncio?

É, também, referido neste artigo que “ao evitar a emissão de cerca de 30 mil cartões de plástico” – tenho a certeza que havendo a nova aplicação (já quase parece D. Sebastião, que vai aparecer no seu cavalo branco num dia de nevoeiro) e apostando no cartão digital, o cartão de Sócio seria digital e aí não haveria emissão de qualquer cartão de plástico.

O outro ponto que deve ser destacado é a aplicação da tecnologia contactless ao novo cartão de Sócio. Realmente era isto que me faltava, a mim e a qualquer sócio do Sporting. Já viram o tempo que um gajo perde a descalçar as sapatilhas e depois ainda tem de estar à espera que a polícia verifique a veracidade do bilhete? Sintam-se à vontade para levar botas de biqueira de aço – demoram meia hora em cada bota, mas num segundo entrarão para a bancada.

A falta de planificação é algo evidente e conseguimos senti-la à distância. Fico triste com este facto, porque as pessoas que estão nestas posições de poder têm um cargo de sonho – acho que qualquer Sportinguista, pelo menos em algum momento da sua vida, ambicionou fazer algo em prol do seu Clube, seja enquanto atleta, gestor, etc. Clube este que tem mais 3 milhões e meio de adeptos.

Custa-me a crer que um Sportinguista possa fazer um cartão destes ao Clube do seu coração – para mim o Cartão de Sócio do Sporting é tão importante como o Cartão de Cidadão, não saio de casa sem nenhum deles.

Podem não acreditar, mas adorava estar a escrever este artigo e dizer que o cartão é incrível. A fase da crítica terminou e agora vou-vos mostrar não uma, não duas, mas três propostas feitas por mim para o cartão de sócio. Dei-me também ao trabalho de contar o tempo que demorei para fazer: Para desenhar 39 frentes do cartão e 3 versos, demorei 1h e 30min. Como vocês só vão ver três propostas, e tendo em conta que têm a liberdade para não acreditar neste números, vamos dizer que demorei 1h e 30 para desenhar 3 propostas.

O actual cartão

A primeira versão que vos vou mostrar é feita com base no (ainda) actual cartão – o actual cartão é todo feito à base de tonalidades verdes, o que não permite grandes destaques. Tendo isto em consideração, a minha solução passa por conseguir dar mais destaque ao Leão Rampante (agora a branco), e um gradiente verde no fundo que além de dar um aspeto mais moderno ao cartão, também permite uma melhor percepção dos elementos existentes.

O novo cartão

Vamos então comparar o novo cartão de Sócio – o Eu “ou”.  Portanto, e dando seguimento ao caso referido anteriormente

Ora, o que tinha de ser alterado de modo a conseguir fazer uma proposta simples e clara? Primeiro que mais teria de se certificar que o texto era legível . É lamentável e ridículo haver um “profissional” a representar um Clube com a grandeza do Sporting e que tenha um comportamento tão “a marimbar” para a Instituição, Sócios e Adeptos. O mesmo que disse para o texto, digo para o nosso emblema, que passa completamente despercebido no canto superior esquerdo do cartão.

Não me serve de nada ter uma imagem bonita de um Leão, se o resto fôr imperceptível e confuso. Daí que a minha solução, e tendo as mesmas bases que o exemplo anterior, passa por conseguir atribuir contraste e informação clara.

Comecei por manter a ideia de uma foto de um Leão e dei-lhe mais destaque. Também aproveitei para salientar o “EU SOU SPORTING” – vi alguém comentar no Twitter que o Sporting nunca mete o nome do Clube e se teria alguma alergia. O comentário não deixa de fazer sentido e optei por vincar o nome do nosso Clube. Para terminar, o nosso emblema sempre em destaque, no canto superior esquerdo, onde sobressai naturalmente devido ao contraste existente naquela área.

O meu cartão

Já vimos, portanto, duas soluções: ao cartão actual e ao novo cartão. Ficando a faltar a terceira e última proposta. Temos logo uma diferença considerável, que é o facto de não fazer este cartão baseado em nenhum modelo – ou seja, tudo o que vai ser visto aqui é uma versão completamente nova e isolada do que já vimos neste artigo.

Uma coisa que sempre achei curiosa é que os cartões têm a informação sempre disposta na horizontal – porque que não se faz na vertical? Garantidamente tem impacto e não tem de ser necessariamente uma limitação. Mais uma vez podemos verificar que “Eu sou Sporting” e o novo emblema (também desenhado por mim) no canto superior esquerdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *