Abalo recheado de azia

Esta semana apenas dois dias das modalidades, devido ao Natal que eu espero que tenha sido ótimo para todos vós. Espero que, além disso, todos estejam bem e para hoje temos o primeiro artigo e o programa. Para este nosso artigo, vamos ter voleibol focado no Sporting, depois basquetebol e, por fim, NFL.

Voleibol Sporting

Sábado depois do Natal e por onde vamos começar? Pelo voleibol, mais concretamente pelo voleibol feminino do Sporting e logo pelo jogo que lancei na semana passada frente ao AJM/FC Porto no passado domingo.

Era o grande jogo da jornada e perdemos por 3-0 com os parciais de 25-23, 25-20 e 25-18. Vou dar grande destaque a esta derrota, por um motivo muito simples, a falta de respeito de muitos para com esta equipa. O jogo em si foi da AJM, nada a dizer, tentámos, não foi o nosso melhor jogo, muito longe disso, e do outro lado esteve uma Renatinha absolutamente imparável. Nada a dizer por aí. Elas foram melhores e merecerem vencer. Podemos falar da diferença de orçamentos, é óbvio que isso pesa e pesou neste jogo. Não temos uma Renatinha que faz, como fez neste jogo, toda a diferença. Do jogo não podemos falar muito, perdemos e perdemos sem espinhas, fomos inferiores e elas bem mais competentes e superiores.

O meu ponto é a forma como alguns abordaram no fim a derrota. Se a derrota custa e custa muito, não podemos nunca esquecer o que esta equipa já nos deu. Basta recordar o jogo de Matosinhos que eu aqui tanto destaquei pela garra e pela entrega que a equipa teve nesse jogo (os festejos da Vanessa Paquete ficaram-me para sempre). Esta equipa já mostrou que sabe ir à luta, que sabe dar a volta aos maus momentos e sabe jogar muito bem. Neste jogo, a questão central pesou, a forma como a certo ponto anularam a Paquete fez a diferença, mas nunca podíamos, por mais que nos custe, acusar esta equipa e ofender esta equipa como tantos fizeram. Sabemos que na altura das derrotas tudo é mau e nada presta, mas se existe equipa que não merece este tratamento é precisamente esta nossa equipa. Custou perder e ainda mais assim, mas basta acompanhar um pouco esta equipa, ver alguns jogos e percebemos que um jogo assim acontece uma vez em dezenas de jogos, mesmo perante uma AJM mais forte dificilmente voltaremos a ter um jogo tão mau. Uma nova jogadora iria fazer a diferença, mas mesmo que não venha, temos equipa para dar luta, como demos no outro jogo com a AJM, onde, mesmo depois de uma paragem de 15 dias, conseguimos dar luta. Por isso e conhecendo esta equipa, sabemos que este jogo provavelmente não se vai repetir tão cedo e, mesmo com menos opções que a AJM, vamos dar muita luta e vão ter de levar connosco.

Esta equipa não merece o tratamento dado por muitos, custou esta derrota, mas esta equipa merece muito mais apoio e não continuar à margem e ignorada por muitos, incluindo o nosso próprio clube. É um desabafo escrito muito em cima da derrota, onde a juntar ao jogo muitos que não querem saber da equipa, tentam aproveitar este resultado para fazer a ponte para todo o tipo de teorias e argumentos. No final, a equipa continua sem o apoio que merece e isso devia ser a prioridade, uma equipa fantástica de leoas que merece ainda mais apoio, algo como uma onda verde mesmo que à distância, através das redes socias de todos nós com mensagens de apoio para todas as jogadoras de forma a que elas vissem que estamos com elas tal como elas merecem.

Depois da derrota no masculino, tivemos um episódio muito triste. Uma página de fãs do Miguel Maia no Instagram teve um post absurdo para com o nosso treinador, o Adrien falou e muito de tudo isso. Este foi mais um episódio para com o Gersinho. Não estamos bem, a equipa esta completamente distante e desunida, mas a campanha contra o Gersinho não é de todo honesta, tem vários intuitos errados por detrás e, como em tantas vezes acontece na vida e ainda mais no desporto, o Gersinho esta a ser apunhalado pelas costas. Estão a fazer-lhe coisas que nunca podiam ser feitas em nenhum clube, muito menos no Sporting.

Basquetebol

Basquetebol nacional masculino

Vamos então para o basquetebol, o nosso segundo tema deste sábado, onde iniciamos claro pelo Sporting que venceu o Esgueira por 83-70, na 11ª jornada do campeonato nacional.

O Esgueira, apesar de estar tão abaixo, é uma equipa com capacidade, com falta rotação, mas tem capacidade para mais do que estar nos últimos lugares. O jogo em si foi equilibrado com o Sporting a ter um ascendente sempre. Não foi um jogo fácil, como se podia esperar olhando para a classificação. Com Fields a não jogar tão bem, Travante um pouco abaixo, foi Ellisor a pegar no jogo e a ser a nossa maior figura da partida. No primeiro tempo, o nosso jogo interior não funcionou tanto e muito pela defesa do Esgueira que, pelos bloqueios diretos e pelo jogo menos bom do Fields, ia conseguir “estancar” o Sporting e com isto chegávamos ao intervalo a vencer por 44-53.

No segundo tempo, o Professor Luís Magalhães mudou a aposta na defesa, deu ao Esgueira mais espaço para atirar de 3 e isso correu-nos bem, serviu para que conseguíssemos melhorar defensivamente. No ataque Ellisor, na defesa Ellisor, mas com muitos erros, muitas falhas, a equipa jogou melhor do que no jogo anterior (mal seria se não fosse), mas, mesmo assim principalmente no ataque, estamos com erros e falhas a mais para uma equipa como a nossa. Ellisor foi realmente o melhor deste jogo, fez mesmo os 40 minutos e Diogo Ventura também esteve muito bem quando entrou, mas fica o excesso de erros da nossa parte. Destaco o vídeo do Tigas no artigo dele na Tasca do Cherba com algo que já fizemos bem e que, neste momento, parece tão complicado, que é o jogar simples.

Vamos ter um jogo com o Porto, precisamos de melhorar, porque o jogo com os dragões vai ser muito mais complicado. Os dragões venceram o Maia por 81-44 e o que dizer deste jogo? Pouco, o Porto foi melhor, esteve sempre por cima, soube controlar, jogou bem e continua com um basquetebol ofensivo e de qualidade. O jogo com o Maia era mais “tranquilo” também, uma equipa mais acessível e o Porto confirmou todo o favoritismo e venceram sem problemas.

O Benfica tinha vencido a Oliveirense por 90-74, mais uma derrota para a Oliveirense, que neste jogo viu o poste Shaquille Cleare estrear-se com 8 pontos, 1 assistência e 2 ressaltos, tudo isto em 16 minutos de jogo. O Benfica foi melhor com o segundo período a ser o mais equilibrado, mas em todos os outros o Benfica jogou melhor, com um Betinho novamente a liderar a equipa com 18 pontos e 7 ressaltos.

A Oliveirense depois jogou com o Imortal e venceu por 79-90 com apenas um segundo período a ser mau. Um bom jogo, talvez o melhor dos últimos jogos da equipa de Oliveira de Azeméis, ainda para mais quando o Imortal está na frente da Oliveirense na classificação. Era um jogo em atraso referente à quinta jornada. Bom triunfo no Algarve, com um regresso às boas exibições da Oliveirense que, assim, igualou Benfica e Lusitânia na classificação. Justin Alston foi a maior figura desta partida com 30 pontos, com Barbosa novamente a liderar nas assistências e, no lado algarvio, António Monteiro assumiu o maior protagonismo com 20 pontos.

Sporting lidera com 20 pontos, os mesmo que o Porto em segundo lugar e Imortal segue em terceiro com 19 pontos.

Basquetebol feminino

Começamos pelo ótimo jogo entre o Galitos e o GDESSA, 63-64. Mais uma vitória para o GDESSA, mais um bom jogo de basquetebol.

Muito equilíbrio em todos os aspetos, jogo de muita qualidade. Eu já falei muito do GDESSA, o Galitos também esteve bem e foi, sem dúvida, um jogo disputado e muito equilibrado com o GDESSA a roubar mais bolas e a ter superioridade na área pintada. Gostei deste jogo, mais um bom jogo com a Jennifer Calixto a meter 19 pontinhos do lado do GDESSA e a Aruzha Lima, novamente, a ser a estrela do lado do Galitos com 15 pontos. Márcia Costa atirou como sempre muito, mas neste jogo teve um acerto baixo, apenas 3 em 11(27%) mas a Márcia é uma atiradora e, sempre que tem espaço, atira e muito bem, uma enorme jogadora a Márcia. Aline Moura e Daniela Domingues fortíssimas, como sempre nas tabelas, com 11 e 9 respetivamente.

Além deste jogo, destaco ainda o Vagos que venceu dois jogos em 2 dias- O primeiro foi uma vitória por 73-83 sobre o Olivais e depois 50-66 frente ao Natação. Com o Olivais foi um jogo de muita qualidade. O Olivais joga bem e o Vagos teve de suar. Muitos pontos, muito equilíbrio e mais um jogo de muita qualidade. No jogo com o Natação, arrumaram com tudo logo no primeiro período quando venceram por 9-27, depois perderam mesmo dois períodos, mas nada a dizer, o Vagos soube gerir e vencer dois jogos com duas boas exibições. Martha Burse novamente fantástica no Natação. Mesmo nas derrotas, ela destaca-se sempre e sempre com jogos de alguém que merecia estar num patamar mais elevado. Susana Carvalho nas tabelas sempre muito bem, mais uma vez dominante nos ressaltos.

Na classificação, lidera o Vitória SC com 19 pontos em 11 jogos, em segundas está o Benfica com 17 pontos em 9 jogos e terceira a Quinta dos Lombos com 17 pontos também, mas em 10 jogos.

Basquetebol Internacional Masculino

No basquetebol internacional, vou destacar alguns jogos em dois campeonatos.

Vamos a Itália para iniciar e falar da vitória do Venezia sobre o Trieste por 81-66. Num bom jogo do Venezia, foram superiores, contaram também com mais opções e isso também pesou. O Venezia melhor, estiveram por cima do jogo e conseguiram dar tempo a quase todos os jogadores e só Cerella e Dercole não marcaram. Neste jogo, destaco, claro, Austin Daye com 16 pontos, 9 ressaltos, 2 assistencias e 2 roubos de bola.

Ainda por Itália o Sassari venceu sem espinhas o Cremona por 75-95. Domínio completo e absoluto, não rodaram a equipa, tiveram vários jogadores limitados no banco e a decisão de Pozzecco foi de dar tempo aos titulares para brilharem e assim foi. Miro Bilan com 25 pontos e Bendzius com 22 foram os que aproveitaram para jogar muito bem e a conseguirem uma bela exibição.

Venezia lidera o Grupo C e o Sassari segue em segundo no Grupo D.

Depois de Itália, vamos para a Grécia para destacar a ótima vitoria do AEK frente ao Aris por 84-67. Seguem na liderança e invictos nos 7 jogos que já realizaram na liga. O primeiro período foi equilibrado, mas do segundo em diante o AEK disparou e depois, principalmente no quarto período, foi uma questão de gerir tudo e de controlar. Yanick Moreira voltou a ser o melhor mesmo não tendo sido titular, com um registo de 14 pontos, 5 ressaltos e 1 roubo de bola, enquanto Mario Chalmers liderou o Aris com uma boa exibição coroada com 16 pontos.

O outro jogo que destaco da liga grega foi a vitória do Panathinaikos sobre o Charilaos, também eles seguem assim invictos, mas com menos um jogo do que o AEK.

Numa vitória por 66-77, Vovoras rodou a equipa e deu tempo de jogo a vários atletas, geriu bem os mais cansados e teve em Papapetrou a maior figura com 19 pontos. Do lado adversário, Jazzmarr Ferguson voltou a mostrar que é jogador para mais do que Charilaos com uma bela exibição coroada com 17 pontos, 4 assistências, 3 ressaltos e 2 roubos de bola. É um jogador para bem mais que este nível.

AEK em primeiro, Pana em segundo e Peristeri em terceiros.

Basquetebol Internacional Feminino

Depois do masculino, vou destacar duas ligas no basquetebol feminino.

Começo, claro, por Espanha, onde está uma das equipas mais fortes e a jogar melhor nesta altura. Falo do Avenida que voltou a vencer. São 17 vitórias em outros tantos jogos, desta vez frente ao Promete. 44-75 em mais um jogo sem problemas, mais uma vitoria muito tranquila e sem grandes “chatices”. O Promete tentou, mas foram abalroadas por um Avenida muito forte, com Katie Samuelson a ser a maior figura com 15 pontos. Do lado das derrotadas, esteve Maimouna Diarra em grande com 14 pontos e foi ela quem tentou remar contra tudo, mas não deu.

Ainda por Espanha, o Valencia também venceu sem espinhas o Gran Canaria por 81-48. Mais um jogo sem história, mais um jogo desequilibrado e, neste caso, com o Valencia a saber gerir tudo muito bem. 50 pontos só na área pintada, muito bom jogo e, mais uma vez, a equipa do mister Burgos a mostrar o bem que estão a jogar. Trahan-Davis esteve absolutamente fantástica com 22 pontos, sendo a estrela do jogo ao realizar uma exibição de nível MVP.

Avenida seguem como primeiras classificadas, Valencia em segundas e Girona em terceiras.

Depois de Espanha, vamos para a Turquia, onde destaca mais dois bons jogos. O primeiro entre o Hatay e o Besiktas, um jogo mais equilibrado, muito mais disputado, com o Besiktas a vencer por 57-69. A equipa do Besiktas soube superiorizar-se e, a determinada altura, conseguiu gerir, mas o jogo foi bom e até equilibrado. Crystal Bradford, com 20 pontos, 14 ressaltos e 3 assistências, foi quem mais se destacou.  Ben-Abdelkader com 24 pontos liderou o Hatay, foi mas insuficiente para conseguir outro resultado.

Por fim, destaco o jogo mais equilibrado destes todos, Izmit – Nesibe 70-75. Em teoria, o Nesibe tinha uma tarefa mais tranquila e era esperado uma vitória mais fácil, mas a verdade é que o Ismit com uma defesa muito agressiva soube equilibrar esta partida e fazer o Nesibe a ter que suar muito mais e a vencer num dos últimos lances do jogo. Ruthy Hebard voltou a ser a estrela com 24 pontos, ela que não sabe jogar mal. Clarissa dos Santos esteve em grande na equipa do Izmit com 21 pontos, 5 ressaltos e 2 assistências.

Fenerbahce lidera, Galatasaray segue em segundo e Nesibe manteve com esta vitoria o terceiro lugar.

NFL

Para terminar este sábado, vamos para a NFL falar de alguns dos melhores jogos da semana 15.

No duelo entre Mahomes e Brees, a nova geração venceu e os Chiefs seguem fortes no sonho de conquistar novamente o Super Bowl. Kansas City Chiefs 32-29 New Orleans Saints. O Brees acertou o seu primeiro passe apenas no 2º quarto, quando até já tinha sido intercetado, mas logo recuperou e conseguiu 234 jardas e 3 touchdowns. Mahomes, do outro lado, também teve 3 touchdowns, mas 254 jardas e nenhuma interceção. Com esta atuação, o atual MVP do Super Bowl chegou a 21 jogos na sua carreira com 3 passes para touchdowns, empatando com as lendas Dan Marino e Kurt Warner, como os únicos que fizeram isso nas suas primeiras 50 partidas jogadas na NFL. Mahomes, entretanto, jogou apenas 45, pode então isolar-se na liderança. Tyreek Hill também escreveu o seu nome na história, ao chegar a 15 touchdowns recebidos na temporada e igualando a maior marca dos Chiefs em todos os tempos.

Depois Cincinnati Bengals 27-17 Pittsburgh Steelers, com os Pittsburgh Steelers a irem até ao Paul Brown Stadium e serem surpreendidos e derrotados pelos Cincinnati Bengals, uma das piores equipas da liga. O primeiro tempo dos Steelers foi desastroso com a equipa a ir para o intervalo a perder por 17 a 0. Ben Roethlisberger teve apenas 19 jardas passadas, sem nenhum touchdown, e uma interceção nos dois primeiros quartos. No segundo tempo, o ataque dos Steelers acordou e ensaiou uma reviravolta épica, mas já era tarde demais. Este resultado encerrou uma sequência de 11 derrotas seguidas dos Bengals diante dos Steelers. Pittsburgh tenta agora assegurar nas duas últimas semanas o título da divisão, já que tem apenas um jogo de vantagem para os Browns. A partida ainda teve um feito histórico de Big Ben, que se tornou o sétimo quarterback na história a ter 60 mil jardas passadas, juntando-se a Dan Marino, Tom Brady, Peyton Manning, Philip Rivers, Drew Brees e Brett Favre.

Por fim, falar de Cleveland Browns 20-6 New York Giants. Os Cleveland Browns estão muito perto dos playoffs. A equipa da casa saiu na frente no primeiro quarto com um field goal de 37 jardas de Graham Gano, que abriu o placar em 3 a 0. No segundo quarto, o jogo mudou de mãos. Logo no começo do período, Baker Mayfield encerrou um drive de 75 jardas em 13 jogadas com um passe de 2 jardas para Austin Hooper fazer o touchdown. A faltarem apenas 21 segundos para o intervalo, o quarterback encerrou um drive de 95 jardas em 10 jogadas com um passe de duas jardas para Jarvis Landry. Como Parkey errou o extra point, o jogo foi para o intervalo com 13 a 3 para Cleveland. O terceiro quarto passou em branco, mas no último período, os Browns aumentaram a vantagem. Uma corrida de 1 jarda de Nick Chubb encerrou um drive de 95 jardas em 14 jardas com um novo touchdown e os Browns abriram 20 a 3. Nos minutos finais, os Giants diminuíram com um field goal e fecharam o resultado em 20 a 6. Com este resultado, Cleveland chegou a 89% de chance de conquistar uma vaga nos playoffs.

Terminamos, assim, este nosso sábado. Amanhã mais modalidades, porque como já se sabe, aqui no Espartano os fins de semana são dedicados às Modalidades.

Espero que tenham gostado deste artigo de sábado, obrigado a quem está a ler e até amanhã para mais atualidade das modalidades.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

O Espartano