Carta Aberta ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal

Excelentíssimo Senhor,
Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal
Dr. Rogério Alves

Dirijo-me a V. Excelência por este meio, pois, apesar de, alegadamente, ter desistido de participar na iniciativa “Sporting com Rumo”, assumo a minha total perplexidade em sequer ter admitido participar num evento não oficial do Sporting Clube de Portugal, merecendo-me tal possibilidade, pelo menos, o registo de duas notas que muito me perturbam na qualidade de Sócio do Sporting Clube de Portugal:

a) disponibilidade demonstrada para participação num evento não oficial do Clube, sendo V.Excelência um Órgão Social do Clube e o Representante máximo dos Sócios;

b) A data escolhida para a alegada participação na iniciativa “Sporting com Rumo” – 23 de Junho – data de má memória decorria o ano de 2018 e que a todos os Sportinguistas deve envergonhar, muito mais a V. Excelência, na qualidade de Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal;

Haverá coincidências Senhor Presidente ou esta data não foi escolhida ao acaso?!

Ver link com programação da iniciativa “Sporting com Rumo”

Fico, Senhor Presidente, surpreendido pela sua disponibilidade para participação na referida iniciativa, quando, nas últimas semanas, têm corrido no Universo Sporting, situações de acrescida relevância, as quais, felizmente, não mereceram a sua intervenção pública como seria de esperar de um Presidente da Mesa da Assembleia Geral da maior Potência Desportiva Nacional, senão vejamos:

Fico, Senhor Presidente, surpreendido pela disponibilidade demonstrada para participação na referida iniciativa, quando, nas últimas semanas, têm ocorrido no Universo Sporting, situações de acrescida relevância, os quais, infelizmente, não mereceram a sua intervenção pública como seria de esperar de um Presidente da Mesa da Assembleia Geral da maior Potência Desportiva Nacional, senão vejamos:

1.V. Excelência assistiu a 5 demissões nos Órgãos Sociais a que pertence (4 no Conselho Directivo; 1 no Conselho Fiscal e Disciplinar), tendo, face a tais demissões, mantido o total e absoluto silêncio quando se justificava e requeria que se dirigisse aos Sócios do Sporting Clube de Portugal com uma palavra de tranquilidade, mas principalmente de explicação de qual a sua posição face a tais demissões que, claramente, fragilizaram ainda mais os Órgãos Sociais a que pertence.

Ver links onde são noticiadas as demissões ocorridas nos OS do Sporting Clube de Portugal:

https://www.abola.pt/nnh/2020-05-19/sporting-mais-uma-demissao-em-alvalade/845394

https://www.publico.pt/2019/12/16/politica/noticia/francisco-rodrigues-santos-deixa-sportingavancar-cdspp-1897468

https://www.ojogo.pt/futebol/1a-liga/sporting/noticias/miguel-cal-apresenta-a-demissao-da-sad-dosporting-11986601.html

2. No passado mês de Maio, assistimos a uma aprovação tangencial por parte do Conselho Superior do Ministério Público no que à presença de magistrados nas Estruturas Directivas dos Clubes de Futebol diz respeito.

Ver link:

https://www.dn.pt/desportos/conselho-superior-do-mp-autoriza-procurador-a-continuar-a-serdirigente-do-sporting-12219629.html

Veja-se que a abstenção de Lucília Gago – Procuradora Geral da República – foi determinante para que V. Excelência continuasse a contar com os 4 magistrados que compõem os Órgãos Sociais a que pertence – a mesma Lucília Gago que mandou deter Bruno de Carvalho a um Domingo – o mesmo Bruno de Carvalho que foi totalmente absolvido do Processo “Alcochete”.

Ver link com Boletim Informativo do Plenário ocorrido.

Ver link com magistrados que pertencem aos actuais Órgãos Sociais do Sporting Clube de Portugal

Também aqui aguardei por uma intervenção do Senhor Presidente, pois sejamos francos: a participação de magistrados nos Órgãos Sociais a que pertence, encontram-se manifestamente contra a tendência que os próprios magistrados e Ministério Público pretendem, ao acolherem em si 4 magistrados.

Sabe V.Excelência tão bem quanto eu que esta votação e respectiva aprovação foi tangencial, exigindo-se aqui sim que se dirigisse aos Sportinguistas, pois impõe-se a adaptação urgente das escolhas feitas para os Órgãos Sociais, àquela que é a tendência predominante no seio dos magistrados do Ministério Público de se verem alheados da promiscuidade de relações entre a Justiça e o Futebol.

3. Quando aguardava por ver V.Excelência pessoalmente na Assembleia Geral de Apresentação do Orçamento Clube, eis que me surpreende, ao socorrer-se da pandemia de Covid-19, justificação que tem sido recorrente por parte dos Órgãos Sociais a que pertence, para não se sujeitar ao contacto e escrutínio dos Sócios do Sporting Clube de Portugal.

Compreenderá que mais surpreso fico, quando:

a) Vejo V.Excelência a participar em eventos, onde vejamos, o distanciamento social não é propriamente a primeira preocupação;

b) Vejo os nossos rivais a realizarem as suas Assembleias Gerais, algumas delas de grande afluência dado o seu carácter;

Assumo Senhor Presidente que a única coisa que me faz entender esta sua possível decisão é o facto de V.Excelência ter publicamente dito que considera, na sua opinião e na do Órgão a que preside – a Mesa da Assembleia Geral – os Estatutos do Sporting ilegais e vazios de lógica.

Mas vejamos, recordo que os Estatutos foram/são aprovados pela larga maioria dos Sócios do Sporting Clube de Portugal, pelo que se V. Excelência os considera ilegais e vazios de lógica, será assim o mesmo que dizer que os Sócios do Clube são vazios de lógica e concordaram todos com algo que só V. Excelência assume não cumprir.

Mais, admitindo que se aceita o seu argumento referente à aprovação das Actas de Assembleias Gerais, onde refere que os Sócios que aprovam não são os mesmos que a discutem, nada o impede de, não submetendo à aprovação dos Sócios, a submeta pelo menos à sua discussão.

Ver link com vídeo onde o Dr. Rogério Alves afirma que os Estatutos do Sporting Clube de Portugal são ilegais e vazios de lógica:

4. A ofensa aos Sócios e Adeptos do Sporting Clube de Portugal, por parte de alguns sectores mais “notáveis” do Clube, têm sido feitas de forma gratuita, sem que, uma vez mais, V. Excelência venha “pôr ordem na casa” – casa essa a que preside na qualidade de Presidente da Mesa da Assembleia Geral. De “escumalha” a “descalços”, já fui, Senhor Presidente, ofendido com um pouco de tudo. Desta vez, vem de um dos seus Colegas de painel da iniciativa “Sporting com Rumo” – nosso consócio Dr. Henrique Monteiro – que apelida de arruaceiras, não só a liberdade de expressão e participação dos Sócios do Sporting Clube de Portugal nas Assembleias Gerais do Clube, como também nas manifestações organizadas e ordeiras que ocorreram junto ao Estádio de Alvalade (ver imagem acima), as quais nada mais representam senão a a total insatisfação e inconformidade dos Sócios e Adeptos do Sporting Clube de Portugal face ao momento que o Clube vive, desde que liderado pelos Órgãos Sociais a que pertence.

Pois bem Senhor Presidente, Dr. Rogério Alves, em vez de andar completamente ausente e distante dos Sócios e Adeptos do Sporting Clube de Portugal mas, por sua vez, bastante presente e próximo de alguns “núcleos” mais “notáveis” de Sportinguistas, seria do interesse do Sporting Clube de Portugal, do seu futuro e dos seus Sócios e Adeptos ter-nos a todos “sentados à mesa” a debater e de uma vez resolver, temas esses sim de enorme relevância para o Clube:

a) Dr. Bruno de Carvalho, Dr. Trindade Barros, Dr. Alexandre Godinho e Dr.ª Elsa Judas continuam, apesar de nada terem feito para o merecerem, expulsos e marginalizados pelos Órgãos Sociais a que pertence. Contudo Senhor Presidente, Dr. Rogério Alves, noto que apesar de expulsos e marginalizados pelos actuais Órgãos Sociais do Clube, pelo contrário estão bem presentes e vivos junto dos Sócios e Adeptos do Sporting Clube de Portugal, o que, só por si, deveria representar motivo de reflexão para a urgente necessidade de reintegração destes Associados.

b) Mais recentemente, Dr. Bruno de Carvalho foi totalmente absolvido do Processo “Alcochete”, motivo único que conduziu à sua expulsão. Contudo e caso V.Excelência também não considere que “Alcochete” foi o único motivo que conduziu à expulsão do Dr. Bruno de Carvalho, tal como na interpretação dos Estatutos, permita-me que lhe deixe o convite para ler o artigo por mim escrito no passado dia 09 de Junho, a propósito deste tema, admitindo que possa assim dissipar quaisquer dúvidas que lhe restem.

Quis crer que V.Excelência aproveitaria a absolvição inequívoca e absoluta de um ex – Presidente do Sporting Clube de Portugal para, publicamente, se congratular com a referida absolvição, aproveitando para transmitir aos Sportinguistas que a “união” apregoada em campanha eleitoral, seria, finalmente, posta em prática. Contudo, o seu silêncio continuou a imperar.

c) Somos, quase diariamente, informados pelos Colegas dos Órgãos Sociais de V. Excelência e, mais recentemente, pelos Colegas de painel da iniciativa “Sporting com Rumo”, da chegada do “fim dos tempos” ao Sporting Clube de Portugal, materializando-se seja pela venda da maioria do capital da SAD, seja por Assembleias Gerais que, um pouco ao estilo e gosto de V.Excelência, evitam os Sportinguistas e as suas opiniões “arruaceiras” (ver imagem do ponto 4.).

Senhor Presidente, esta ideia de alteração da forma de realização das Assembleias Gerais é, na sua opinião, saudades do extinto Conselho Leonino, ou congrega em si mesma uma forma grosseira de afastar os Sócios da vida activa do Clube?

Face ao supra exposto, assumo Senhor Presidente, Dr. Rogério Alves, que esperei, inocentemente ao que parece, que V.Excelência viesse, naquele que é o seu dever e obrigação, remeter a escolha de decisões tão importantes, para o futuro e presente da vida do Clube, para quem de direito: os SÓCIOS do Sporting Clube de Portugal, o que, infelizmente, ainda não aconteceu.

Note também Senhor Presidente que, apesar de todo este “reboliço” que até aqui coloco à sua apreciação e análise, que nada mais é senão a vida a que os Órgãos Sociais a que pertence nos sujeitaram, os Sócios do Clube têm memória e continuam a aguardar o cabal e definitivo esclarecimento quanto às situações disciplinares dos Consócios Jaime Marta Soares e Frederico Varandas que, enganaram os Sócios e prejudicaram o Clube num dos seus momentos mais delicados, senão vejamos:

1. Jaime Marta Soares afirma nas vésperas da ilegal e, para todos os Sportinguistas, vergonhosa Assembleia Geral de 23 de Junho de 2018, que o Dr. Bruno de Carvalho se poderia candidatar às possíveis Eleições que ocorreriam no Sporting Clube de Portugal:

Ver vídeo onde Jaime Marta Soares afirma que Bruno de Carvalho se pode candidatar:

2. Apesar de afirmar publicamente o referido em 1.), Jaime Marta Soares viria a não cumprir com o que havia afirmado, enganando todo o Universo Sportinguista.

Ver link:

https://www.sabado.pt/desporto/futebol/detalhe/sporting-marta-soares-recusa-candidatura-de-brunode-carvalho

Frederico Varandas afirma, também nas vésperas da Assembleia Geral de 23 de Junho de 2018, que <<…Bruno de Carvalho tem de ir a eleições. É a única maneira de pacificar o Sporting, de dar voz aos sportinguistas que ainda acreditam nele. Bruno de Carvalho tem de estar presente no ato eleitoral…>>. Nesse mesmo dia, Frederico Varandas afirmou ainda que:

Ver link:

https://bancada.pt/futebol/portugal/varandas-espero-que-bruno-de-carvalho-volte-atras-e-serecandidate

Senhor Presidente, quando 2 anos passam destes lamentáveis acontecimentos protagonizados pelos Consócios Jaime Marta Soares e Frederico Varandas, quanto mais tempo pensa arrastar estes assuntos?

Até quando vai continuar a ignorar a esmagadora maioria de Sócios do Sporting Clube de Portugal que estão insatisfeitos com os actuais Órgãos Sociais?

Até quando vai contribuir para a divisão e fraccionamento do Clube?

Até quando vamos continuar sem resposta?

Até quando vai permitir que Sócios que tudo deram pelo Sporting Clube de Portugal continuem expulsos?

Até quando, Senhor Presidente, vai fugir do debate e diálogo com os Sócios do Sporting Clube de Portugal?

Creia – Senhor Presidente, Dr. Rogério Alves – isto não se trata de mim ou de si, do A ou do B. Trata-se do Sporting Clube de Portugal e do seu futuro que V.Excelência está a pôr em causa ao continuar a agir como tem vindo a fazer.

Saudações Leoninas

7 thoughts on “Carta Aberta ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal

  1. o advog do diabo, tem tudo armadilhado e controlado, está se a cagar para os sócios, até que o seu objectivo está quase concluido, a venda da Sad e com acumular das dívidas do clube à Sad, até o PJR vai sair da esfera do clube, temos o campo grande futebol clube, um abraço.

    1. Cabe-nos a nós, Sócios do Sporting Clube de Portugal, impedir que tal aconteça.
      Unamo-nos e que a palavra nos seja devolvida!
      Um abraço
      SL

    2. Cabe-nos a nós, Sócios do Sporting Clube de Portugal, impedir que tal aconteça.
      Unamo-nos e que a palavra nos seja devolvida!
      Um abraço
      SL

  2. Resumindo e concluindo, esta gente trabalha à margem da lei com a cumplicidade da própria justiça e este Sporting deixou de ser dos sócios e infelizmente muitos ignoram. Até quando? Os sócios do Sporting têm sido comidos de cebolada e continuam mansos sem coragem para enfrentar esta corja de vigaristas. São do pior que pode existir numa instituição centenária como é o Sporting Clube de Portugal. Acho que já é tarde demais para evitar uma catástrofe e nem sei se vale a pena continuar a pagar quotas quando nem sequer temos voto na matéria. Triste Sporting. Tristes sportinguistas que deixaram a situação chegar a este ponto.

    1. Muito obrigado pelo seu comentário.
      Vale sempre a pena pagar quotas.
      Só pagando quotas podemos exercer os nossos Direitos de Sócios e contribuir para a definição do futuro do Clube.
      Só pagando quotas teremos voz.
      SL

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *