Compreenda o Relatório e Contas da Sporting SAD

Ficámos a conhecer esta semana o Relatório e Contas da Sporting SAD, o qual, neste texto, esmiuçaremos de forma a que este tema, muitas vezes impercetível para uma maioria, se torne claramente percetível para todos.

Para a sua análise e compreensão dos 23M€ de prejuízo, temos de recuar à época desportiva 2019/2020.

Todos estamos recordados da má memória que essa época nos traz, desde logo pela brutal instabilidade vivida, mas, principalmente, acima de tudo pela péssima época desportiva realizada, senão vejamos a conjugação e respectivas consequências dos factos mais determinantes:

Além do exposto, recordar a extensa lista de jogadores excedentários (emprestados) da Sporting SAD, os quais significam necessariamente avultadas despesas, principalmente no que aos seus salários diz respeito, não se podendo esperar qualquer retorno significativo para a Sporting SAD, ou pelo menos significativo o suficiente que cubra o impacto negativo já tido nas contas, mesmo numa situação de venda dos seus passes.

Relatório do Conselho de Administração 3º Trimestre 2020/2021

Se só esta breve exposição já por si tem características que a todos nos devem assustar e preocupar, os impactos da época 2019/2020 ainda não ficam por aqui.

Traduzindo em números o impacto dos factores assinalados no primeiro esquema deste artigo, note-se o seguinte:

Se a estes 21M€ acrescentarmos 1.5M€ referentes a aumentos de custos com o pessoal, chegamos então perigosamente aos 23M€ de prejuízo que a tantos Sportinguistas preocupam e com razão.

Note-se, igualmente, que será previsível para não dizer que é certo, o aumento dos custos com pessoal desde logo pelos prémios a auferir pelos jogadores, equipa técnica e staff pela conquista do Campeonato Nacional 2020/2021.

Feita que está a análise com aquilo que são os factores mais conhecidos do público, importa agora esmiuçar um pouco mais as contas e aprofundar rubricas que estão muitas vezes mais ocultas das ideias do público em geral.

Analisando o endividamento da Sporting SAD parece termos valores que nos trazem, pelo menos, alguma esperança, contudo os mesmos carecem de muita cautela pois desconhecemos por completo se existiram adiantamentos por conta de passes de jogadores, receitas televisivas ou prémios de participação na UCL e de que ordem de grandeza se tratam esses adiantamentos.

Na óptica da tesouraria da Sporting SAD encontra-se, então, provavelmente, o problema mais profundo do dia-a-dia desta sociedade, onde os valores são francamente preocupantes.

Note-se que dos 62M€, cerca de 50% diz respeito a verbas devidas a Agentes/Empresários de futebol.

Com tais números, a tesouraria da Sporting SAD encontra-se com um défice de 54M€ (62M€ – 8M€) os quais serão, sem recorrer a medidas excepcionais, extremamente difíceis de melhorar nos próximos 12 meses.

Não ignorando os impactos que a pandemia teve, de facto, para o negócio do futebol, importa recordar que a Sporting SAD detinha uma conta reserva para reembolso das VMOC. Sendo-nos desconhecido a situação actual dessa conta reserva, mas atendendo ao estado miserável em que se encontra a tesouraria da Sporting SAD, é razoável assumir que não existe qualquer verba provisionada nessa conta reserva.

Mais, na situação actual de tesouraria, temos igualmente de assumir que todas as receitas obtidas serão direccionadas para a mesma não existindo margem para “desviar” qualquer verba para a tal conta reserva. Este ponto leva-nos imediatamente à seguinte situação: ou as VMOC são adquiridas ou perdemos a maioria do capital da Sporting SAD.

Por outro lado, há a evidência que a sociedade terá de, em breve, emitir novo empréstimo obrigacionista cujo valor seja suficiente não só para cobrir os 26M€ a reembolsar (actual Empréstimo Obrigacionista), como para “entregar” alguma liquidez à tesouraria da Sporting SAD.

Como em todas as histórias, há sempre um lado bom e o lado bom desta “história” foi a época 2020/2021 a nível desportivo, o que, certamente, contribuirá positivamente para as contas da Sporting SAD.

Analisando todos os factores explanados neste texto, julgo ser de enorme relevância retermos os seguintes aspectos para o futuro:

Soluções Macro Sporting SAD –» alterar radicalmente a política de comissões a Agentes/Empresários;

Soluções Tesouraria Sporting SAD –» vender um passe de um jogador por verbas iguais ou superiores a 60M€. Admitindo que desse valor não existirá qualquer provisão da conta reserva, admite-se que bastará uma venda para equilibrar o estado actual de défice, contando claro com nova emissão obrigacionista para breve, conforme atrás referido;

Soluções Tesouraria Sporting SAD –» racionalizar e gerir devidamente os valores referentes a participação e prémios de jogo na UCL.

A situação reportada neste Relatório e Contas revela bem a fragilidade e sustenta a preocupação de muitos Sportinguistas. Contudo, não seria justo não referir que existem boas perspetivas para que a próxima época seja de consolidação do projecto desportivo e, se assim for, as contas refletirão positivamente isso mesmo.

Saudações Leoninas

Para saber mais sobre a previsão de prejuízo para o final do ano, clique aqui

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *