De um lado Fruta do outro 3 por 200! Salve-se quem puder, mas defendamos nós o Sporting Clube de Portugal!

Assistimos na última semana a um, já habitual e lamentável, ataque ao Sporting Clube de Portugal, desta feita protagonizado por Luís Filipe Vieira – Presidente do SL Benfica – e Pinto da Costa – Presidente do FC Porto.

Se numa situação dita “normal”, onde o Sporting Clube de Portugal se encontrasse no máximo da sua força e capacidade competitiva e associativa veria tais ataques com muitos bons olhos, pois nada mais significaria senão uma tentativa de desestabilização de um adversário – o Sporting Clube de Portugal – temível e que comprometia as aspirações de ambos, aliás como assistimos entre os anos de 2013 e 2018. Contanto, tanto o ataque proveniente da Luz como o ataque proveniente do Dragão, visaram, exclusivamente, explorar sem qualquer pudor, graves fragilidades associativas existentes no Sporting Clube de Portugal, manietando com isto os seus Sócios e Adeptos sem que, a grande maioria destes disto se apercebessem, contribuindo mais ainda para a grave clivagem já existente no seio dos seus Associados e Adeptos.

Senão vejamos:

Luís Filipe Vieira, no seu já tão habitual papel de Estadista, veio ridicularizar o acto eleitoral ocorrido em Setembro de 2018, caracterizando-o como uma “palhaçada” nacional, nomeadamente pelo Sporting Clube de Portugal ter promovido, entre os seus candidatos, debates para as supra referidas eleições.

Este ridicularizar das eleições ocorridas por parte de Luís Filipe Vieira, tal como a sua incapacidade em lidar com actos plurais e democráticos – como é o caso de um debate – em nada nos deve surpreender até porque, ele sabe-o bem, os interesses directos que tinha nestas eleições e a “mão invisível” que teve sempre presente nas mesmas, já que não é do seu interesse que existam dois candidatos ao título de campeão nacional, na cidade de Lisboa.

Cada um dos meus Consócios terá o livre e natural direito de, destas palavras de Luís Filipe Vieira, interpretar e entender como mais lhe convier, assumindo desde já que a interpretação que faço das mesmas é literal: os Sócios do Sporting foram, na opinião de Luís Filipe Vieira, uns palhaços, sabendo ele melhor que ninguém o porquê…

Se este relato em nada nos deve surpreender, também é verdade que muito me surpreende que o Sporting Clube de Portugal, através dos meios de comunicação que tem ao dispor, não tenha feito uma inequívoca e acérrima defesa não só dos seus Sócios e Adeptos, mas também de um acto eleitoral que, naturalmente, se quer e espera que seja transparente e credível e não uma “palhaçada”, como avançou Luís Filipe Vieira.

Infelizmente, sabe-se lá o porquê, a comunicação do Sporting Clube de Portugal optou por uma “defesa” virtual, repleta de chavões, aparentemente muito aguerrida mas, tudo espremido, pouco ou nada se retira dali.

Por outro lado, Pinto da Costa, com a “esperteza” de quem está no futebol há mais de 30 anos, não hesitou em pôr o dedo na ferida e carregar com força… muita força.

Pinto da Costa sabe bem a clivagem e fractura que existe nos últimos 2 anos entre Sócios e Adeptos do Sporting Clube de Portugal, optando por atacar o Clube por onde mais lhe dói… nos seus Sócios e Adeptos.

Vejamos que esta atitude de Pinto da Costa teve efeitos imediatos reunindo apoios e congratulação de alguns Sportinguistas – por entenderem que Pinto da Costa atacou Frederico Varandas – mas também fortes críticas de outros Sportinguistas por não tolerarem que o Clube seja atacado, seja porque meios ou palavras.

Pois bem, se me é permitido, Pinto da Costa nada de diferente fez de Luís Filipe Vieira: utilizou e manietou os Sócios e Adeptos do Sporting Clube de Portugal, crivando mais a clivagem já existente entre estes, apenas para seu próprio benefício.

Contudo, permitam-me que vos transmita o seguinte: a culpa não pode morrer solteira e certamente que não é nem de Luís Filipe Vieira nem de Pinto da Costa. A culpa é nossa! Nossa!

Nós Sportinguistas não podemos permitir que quaisquer indivíduos de Clubes adversários se intrometam e ataquem a vida interna do Clube, mas principalmente a nós próprios. O Sporting somos Nós, o ataque foi para Nós!

E se há umas semanas quando, na minha qualidade de Sócio do Sporting Clube de Portugal, apelei a que todos nos uníssemos em torno do Clube (https://espartano.pt/?p=1387), é exactamente por estes motivos e tantos mais já referidos noutros artigos que temos de o fazer urgentemente, com prejuízo de permitirmos cada vez mais que os nossos rivais nos entrem dentro de Casa (mais ainda) e dela façam o que entenderem.

Aliás, vejamos que até já temos um fervoroso Adepto do SL Benfica e, até há poucas semanas atrás dirigente do Leixões, disponível para se candidatar a futuras eleições no Sporting Clube de Portugal.

Cabe aos Órgãos Sociais do Sporting Clube de Portugal promover e efectuar uma defesa esclarecida e intransigente do Clube e dos seus Associados perante ataques seja de quem for e digamos que a melhor forma de o fazer não é expor assuntos da vida interna do Clube nas capas dos “habituais” jornais (tal como assistimos esta semana), dando assim o flanco para que mais e novos ataques sejam explorados pelos rivais.

Cabe ao Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Clube, vir de forma cabal e inequívoca defender os actos eleitorais ocorridos no Sporting Clube de Portugal, salvo se conflito de interesses profissionais e associativos não lho permitirem…

Cabe aos Sócios e Adeptos do Sporting Clube de Portugal unirem-se em torno do Clube – não em torno desta ou daquela Direção – não permitindo quaisquer ataques ao nosso Clube, ao nosso Sporting, àquilo que só nós sabemos o quanto sofremos, o quanto amamos, o quanto vibramos…!

Apelo ao Dr. Frederico Varandas, a bem do futuro do Sporting Clube de Portugal, a bem da união que o Clube tanto precisa para se defender de quem o ataca e não respeita, que entenda que todos os Sócios expulsos devem, urgentemente, ser reintegrados e que todos os que assim queiram e entendam, devem sem reservas, ter a liberdade de se candidatar ao Sporting Clube de Portugal, pois só assim se fomentará união da verdadeira, da inquebrável, da que o Sporting precisa para se continuar a diferenciar da podridão que invade o Futebol em Portugal.

P.S.: O Sporting Clube de Portugal foi prejudicado na arbitragem no jogo que nos opôs ao FC Porto. Começa aqui o exemplo do desrespeito que existe pelo Sporting, principalmente em Alvalade.

O nosso Estádio tem, obrigatoriamente, de ser uma fortaleza temida pelos adversários e onde todos os agentes intervenientes no jogo sabem que têm de respeitar o Sporting Clube de Portugal. Frederico Varandas fez uma tentativa, pobre e desajeitada, onde uma vez mais ficou clara a sua deficiência comunicativa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *