Dérbis da azia e da alegria

Um bem-haja a todos.

Eu sou o José Andrade e venho conduzir todos neste sábado por alguma da atualidade do basquetebol com uma viagem por vários campeonatos, depois o futsal com foco no nacional e, por fim, o hóquei em patins com foco principal na enorme vitória do hóquei feminino, mas venham neste segundo dia das modalidades aqui n’O Espartano.

Basquetebol

Para iniciar esta semana temos a atualidade do basquetebol, um tema que foi, de certa forma, abordado no programa de ontem quando falei do draft da NBA, mas aqui vamos abordar alguns jogos.

Sem jogos da Liga Placard, saltamos, claro, para o jogo da seleção a contar para primeira fase da qualificação para o mundial de 2023 e em que Portugal recebeu e venceu em Matosinhos a seleção do Chipre por 74-56.

Portugal foi muito superior e nada temos a dizer em relação a isso. O Chipre está longe da nossa seleção e isso mesmo ficou evidente durante o jogo mesmo com alguns erros e algum levantar do pé.

Claúdio Fonseca foi o melhor pontuador nacional neste jogo com 12 pontos e ainda 6 ressaltos, e Pedro Bastos brilhou com 9 pontos, 3 ressaltos, 4 assistencias e 1 roubo de bola.

O primeiro período foi o mais equilibrado e deu mesmo para o Chipre. Uma má entrada de jogo e o melhor período do Chipre fizeram com que Portugal entrasse a perder nesta partida, mas logo demos a volta e conseguimos, como seria de esperar, vencer sem problemas uma seleção que está muito abaixo da nossa.

Depois da vitória de Portugal, vamos para alguns dos campeonatos que estão ao rubro. Começamos pelo Brasil, a NBB, que vai já na terceira jornada, mas na segunda tivemos vários bons jogos. Vou destacar, claro, a vitória do Flamengo que venceu o Pato por 105-70, num jogo engraçado que colocava frente a frente uma das equipas mais fortes na América do Sul e uma equipa do Pato muito jovem. O Flamengo, como esperado, venceu sem problemas e voltou a mostrar, mais uma vez, o poderio desta equipa.

Olivinha Rodriguez com 23 pontos e ressaltos foi a figura maior do jogo. No Pato, tenho a destacar dois jogadores, Isaac Thornton e Paulo Scheuer, ambos com 15 pontos.

Já na terceira jornada, destaco o Corinthians que venceu o Brasília por 71-85, em mais um bom jogo de basquetebol na NBB, com a profundidade e a qualidade a fazerem aqui a diferença.

No Corinthians, destacou-se Kye Fuller com 27 pontos, que foi, sem dúvida, a maior figura desta partida. No Brasília, o destaque coube a Eric Laster e, ainda, Gemerson Barbosa, com 18 e 14 pontos respetivamente.

Depois do Brasil, vamos até à Grécia para falar do AEK que segue imparável e invicto. Nesta última jornada venceram o Charilaos por 66-87, num jogo foi de acordo com o plano do treinador do AEK Papatheodorou que pode dar descanso a alguns dos jogadores mais importantes e ainda somar minutos com os jogadores da rotação.

Mesmo com alguma rotação, a maior figura do AEK foi mesmo o angolano Yanick Moreira, com 12 pontos, 4 ressaltos e 1 roubo de bola. O angolano tem sido a maior figura desta equipa e mesmo tendo saltado do banco foi a maior figura do jogo. No lado do Charilaos, destacou-se Chad Brown com 17 pontos, 4 ressaltos, 1 assistência, 1 bloco e 1 roubo de bola

O AEK segue líder na Grécia com 4 vitórias em 4 jogos. Destaco ainda o jogo entre os segundos classificados, o Peristeri que venceu o Iraklis no prolongamento por 71-74. O Iraklis teve duas bolas para vencer o jogo, mas não conseguiu aproveitar e o Peristeri não tremeu na altura decisiva e conseguiu levar esta vitória, neste jogo entre os segundos e os quintos classificados na liga grega.

No Peristeri, Steven Gray destacou-se com 27 pontos, 3 ressaltos e 1 assistência, enquanto que no lado do Iraklis foi Olivier Hanlan a destacar-se com 17 pontos.

Para além do AEK e do Peristeri, em terceiro lugar segue o Panathinaikos com 3 vitórias em 3 jogos e a jogar muito bem, tal como já falamos aqui no programa.

Depois da Grécia, vamos até à Alemanha para destacar o Alba que segue muito forte na Alemanha, com 3 vitórias em 3 jogos, com a última vitória a ser sobre o Bonn. Nada a dizer deste jogo, pois o Alba é muito superior e provou isso mesmo vencendo mesmo rodando a equipa de forma inequívoca. O resultado foi de 97-74 num jogo onde o Alba mostrou, mais uma vez, toda a sua capacidade. Marcaram 60 pontos só na área pintada, dominaram nos ressaltos e conseguiram descansar algumas das suas maiores figuras. Niels Giffey, com 17 pontos, foi a maior figura do Alba, enquanto que no lado do Bonn foram 3 os jogadores em maior evidência, Chris Babb com 14 pontos, 3 ressaltos e 2 assistências, Deividas Gailius também com 14 pontos e, ainda, Strahinja Micovic que saltou do banco para se assumir como um dos maiores protagonistas com 14 pontos, 5 ressaltos e duas assistências.

Na Alemanha, destacou-se ainda o Bamberg que voltou a perder, a segunda derrota em dois jogos. Desta vez perderam com o Crailsheim que segue em quarto na Liga Alemã. O jogo em si foi equilibrado e terminou com um 101-95. O tiro exterior foi o fator determinante neste jogo. Os jogadores do Crailsheim conseguiram 17 com uma percentagem de acerto de 53.1. O Bramberg teve no Devon Hall a maior figura com 21 pontos, 3 ressaltos e 3 assistências. No lado dos vencedores, a maior figura foi um jogador muito interessante que esteve no draft da NBA em 2018 e não foi escolhido, Trae Bell-Haynes, que neste jogo conseguiu 30 pontos, 4 ressaltos e 12 assistências. Assumiu-se como a maior figura da partida e dificilmente continuará por muito tempo nesta equipa, porque é realmente bom jogador.

Para terminar, vamos ate à Turquia onde o Fenerbahce soma e segue com 9 jogos só a conhecer o sabor da vitória. Este último jogo foi um jogo tranquilo que deu para dar descanso a alguns dos mais usados. Mesmo assim venceram o Bahcesehir por 70-56 usando 11 jogadores e dando tempo a alguns jogadores com pouco tempo de utilização.

No Fener destacou-se Bobby Dixon que assumiu a batuta e conseguiu neste jogo 26 pontos, 5 ressaltos e 2 roubos de bola, já no lado do Bahcesehir a maior figura foi Jamal Jones com 15 pontos.

Logo a seguir ao Fener segue o Anadolu Efes, com 8 jogos invictos.

Mas nesta última jornada na Turquia há a destacar o regresso às vitórias do Galatasaray que derrotou o Turk Telekom por 94-89. Num jogo complicado, o Gala levou a melhor sobre o terceiro classificado. Foi um jogo duro onde sobressaiu o jogo coletivo do Gala, provavelmente o melhor jogo da equipa comandada por Erdogan que tem tardado em conseguir colocar esta equipa a jogar.

Neste jogo e do lado do Gala, tivemos como maior figura Yigit Arslan, com 19 pontos, 6 ressaltos e 6 assistências e do lado do Turk, o maior protagonismo ficou do lado do Nick Johnson que neste jogo registou 24 pontos, 7 ressaltos e 8 assistências, brilhando e voltando a evidenciar-se num jogo onde o Turk rodou, mas não tanto como pretendia pela dificuldade do jogo que acabou por ser superior ao esperado pelo mau momento do Galatasaray.

Depois dos campeonatos nacionais, vamos até à principal competição de clubes no velho continente, a Euroleague, onde tivemos bons jogos e até uma valente surpresa.

Para começar, destacar o Real Madrid que foi a Moscovo perder com o CSKA por 74-73 com Mike James a assumir o protagonismo deste jogo, marcando o cesto decisivo em cima da buzina, depois do Real ter desperdiçado a oportunidade de vencer, neste que foi o primeiro jogo depois da saída de Facundo Campazzo para a NBA.

Gabriel Deck assumiu o protagonismo deixado pelo colega, mas ainda abaixo do que pode fazer, ele que também foi apontado á NBA. O Real teve em Deck, Llull, Walter Tavares e Trey Thompkins as maiores figuras, pois outros jogadores falharam e acabaram por estar muito abaixo. Do lado dos russos, esteve a maior figura do jogo, Mike James, não só pelo cesto decisivo, mas também pelo grande jogo que fez, tendo sido mesmo o melhor jogador nesta partida com 28 pontos, 2 ressaltos e 1 assistência.

O Bayern foi até à Grécia perder com o Panathinaikos. Os alemães, apesar da derrota, seguem como terceiro classificados e os gregos seguem como antepenúltimos. Os gregos são das equipas que melhor joga, mas estão numa fase menos boa na Euroleague por isso esta vitória pode ser o empurrão para o melhorar da caminhada europeia.

O jogo em si foi muito equilibrado, terminou com um 83-76. Os alemães estiveram abaixo dos últimos jogos e só venceram mesmo o terceiro período, em todos os outros foram derrotados. A dinâmica alemã nem sempre funcionou. Um duelo entre a sensação da Euroleague e uma das equipas que, apesar de estar na parte de baixo da tabela, joga muito bem. Vladimir Lucic, mesmo ,assim foi a maior figura do Bayer com 20 pontos, 6 ressaltos e 1 assistência e do lado dos gregos o maior destaque foi Nemaja Nedovic, novamente a repetir o que se viu muitas vezes e a ser o melhor neste jogo com 17 pontos, 2 ressaltos e 6 assistências.

Para terminar, tivemos a surpresa desta jornada europeia, o Barcelona foi a França perder com o  ASVEL por 80-68, ou seja, o primeiro foi perder com o ultimo. O Barça segue líder apesar deste desaire e os franceses seguem em último, mas o jogo não foi bom. Os catalães estiveram muito mal nesta partida, perdendo em todos os períodos. O melhor que conseguiram foi o empate a 15 no quarto período. Uma péssima exibição dos Catalães que rodaram a equipa, mas até mesmo os titulares, quando foram chamados, estiveram abaixo do esperado.

Mirotic com 14 pontos e Calathes com 12 foram os melhores do Barça, eles que tinham em mente descansar neste jogo não sendo nem titulares, tiveram que ser chamados por Sarunas, mas nem eles estiveram bem. Bolmaro esteve muito mal, Abrines, então, esteve péssimo. No lado dos franceses, o maior destaque foi David Lighty com 17 pontos, 4 ressaltos e 3 assistências.

https://www.euroleague.net/main/results/showgame?gamecode=99&seasoncode=E2020

Sem Eurocup e sem Champions League, saltamos para a qualificação para o Eurobasket de 2022, onde tivemos vários bons jogos, como a vitória da França sobre o Reino Unido por 56-79, com os franceses a serem bem superiores e a terem espaço para proporcionarem espetáculo a todos com belos afundanços. O jogo foi sem muita história, pois a seleção francesa foi superior em tudo e venceu sem o menor problema.

Amath M’Baye com 24 pontos, 5 ressaltos e 1 roubo de bola foi a maior figura desta partida, onde se evidenciou ainda Axel Bouteille com 14 pontos do lado dos franceses.

Outro dos jogos em destaque foi a derrota da Grécia frente à Letónia por 66-77. Sem Giannis, os gregos são uma seleção diferente e conseguiram fazer frente aos letões, perdendo, assim, pela primeira vez nesta qualificação.

Martins Laksa foi a maior figura desta partida com 19 pontos, 4 ressaltos e 2 assistências e do lado dos gregos a maior figura foi Dimitrius Agravanis com 15 pontos e 8 ressaltos.

http://www.fiba.basketball/eurobasket/2022/qualifiers/groups

Na fase preliminar da qualificação para o Mundial de 2023, além de Portugal tivemos mais jogos. No grupo de Portugal, a Bielorrússia venceu, como esperado, a Albânia por 90-50. A par de Portugal são a seleção favorita a passar e, como se viu, Portugal tem tudo para ultrapassar esta Bielorrússia, visto que o Chipre e a Albânia estão muito abaixo da nossa seleção.

No Grupo B, a Eslováquia venceu o Kosovo por 91-67 com Vladimir Brodziansky a ser a maior figura, o eslovaco que joga em Espanha no Joventut conseguiu neste jogo 26 pontos, 12 ressaltos e 3 assistências.

Noutro jogo deste grupo, o Luxemburgo perdeu com a Islândia por 90-76, com a maior figura a ser o Luxemburguês Clancy Rugg com 26 pontos, 7 ressaltos e 3 assistências. Estes dois jogadores foram os maiores destaques nos 4 jogos destes 2 grupos.

http://www.fiba.basketball/basketballworldcup/2023/pre-qualifiers/europe/groups

No feminino, vamos começar pela Liga Skoiy, a nossa liga. Na semana passada falei do jogo que ditou a abertura da jornada, entre o Quinta dos Lombos e o Vitória SC e que o Lombos venceu por 66-60.

Além deste jogo, tivemos o GDESSA a ir a Vagos vencer a equipa da casa por 60-64. Em mais um ótimo jogo de basquetebol, deu para ver o quão bem joga a equipa de Miguel Minhava que eu tenho vindo a destacar ao longo das últimas semanas. Desta vez até começaram pior, pois João Janeiro conseguiu colocar as peças que tinha no Vagos de forma a impedir que o GDESSA conseguisse jogar o seu jogo.

Minhava soube dar a volta, apesar da entrada pior e das muitas faltas cometidas cedo no jogo. No GDESSA, Márcia Costa esteve endiabrada e foi mesmo a melhor jogadora da equipa do Barreiro com 17 pontos. Além da Márcia, o duo brasileiro de Aline Moura e Jennifer Nonato, com 15 e 14 pontos respetivamente, também votaram a estar em evidência. A melhor neste jogo foi a estadunidense  Maria Blazejewski do Vagos com 22 pontos, que jogou o tempo todo desta partida e, além disso, todo o jogo do Vagos passa por ela. É ainda uma jogadora que assume muito e daí o protagonismo que ela assume no Vagos que é mais que justo, pois ela joga muito bem.

O outro jogo colocou frente a frente o Olivais com o Ginástica e terminou com um 64-61 para o Olivais. Com isto, o Olivais segue na quinta posição e o Natação segue na penúltima posição. Mesmo assim, o equilíbrio reinou e tivemos mais um belo jogo, onde Kendrian Elliot com 20 pontos se evidenciou no Olivais e Martha Burse com 27 pontos no Natação.

Ainda no feminino, vamos até Espanha para falar da continuação da caminhada invicta do Avenida que só sabe vencer nestes 13 jogos já disputados. Neste último jogo sobre o Valencia que também seguia sem perder, mas que não teve capacidade para travar o Avenida. O jogo terminou com um 71-69, talvez o jogo mais equilibrado para o Avenida, mas, mesmo assim, foram superiores e venceram com Nikolina Milic com 15 pontos e 5 ressaltos a ser a maior figura do Avenida, já que no Valencia e, apesar da derrota, tivemos a figura da partida a Marie Gulich que registou 17 pontos e 6 ressaltos.

O outro jogo que destaco por Espanha foi a vitória do Estudiantes sobre o Clarinos por 71-52. O Estudiantes segue em quarto depois desta vitória. No Estudiantes, a melhor em campo foi a portuguesa Carolina da Silva com 11 pontos, 4 ressaltos e 3 assistências. No lado do Clarinos, a melhor foi Kalis Loyd novamente e, como quase em todos os jogos, desta vez com 17 pontos. A nossa portuguesa a Maria Bettencourt ficou no banco e registou mesmo assim 3 pontos, 3 ressaltos e 3 assistências.

Depois de Espanha, saltamos para a Rússia, onde na última jornada tivemos um atropelamento, isto porque o UMMC venceu o Enisey por 109-38. Nada a dizer do resultado, já que reflete bem como foi desequilibrada esta partida e como a vitórias foi mais do que tranquila.

Breanna Stewart, a estrela estadunidense, estreou-se a titular com 17 pontos, 7 ressaltos e 5 assistências, mas a maior figura desta partida, e como em tantas outras, foi a Mariya Vadeeva com 29 pontos, 17 ressaltos e 1 assistência.

Ainda na Rússia, o Dínamo de Kursk venceu o MBA por 87-66 em mais um bom jogo e mais uma vitória para o Dínamo que segue sem perder nestes 7 jogos disputados e demonstrando uma qualidade muito grande.

O Dínamo teve duas jogadoras em destaque, Arike Ogunbowale com 22 pontos, 6 ressaltos e 6 assistencias e, ainda, Amanda Zahui também com 22 pontos. Do lado do MBA, o protagonismo esteve todo na estrela da equipa, Alexandra Tarasova, que conseguiu neste jogo 19 pontos, 6 ressaltos e 3 assistências.

Como disse, na Rússia o Dínamo Kursk só sabe vencer e segue na liderança seguido pelo UMMC, com menos um jogo, mas também só com vitórias.

Para terminar a aventura do basquetebol, vamos até á Turquia, onde o Fenerbahce segue imparável e invito. Em 10 jornadas só a vencer, esta última sobre o Besiktas por 84-76, num bom jogo onde a profundidade e qualidade do Fener fez toda a diferença. O Besiktas tinha menos jogadoras e a qualidade aliada à questão física pendeu o jogo para o lado das jogadoras do Fener com Kayla McBride a ser a maior figura do jogo e do Fener com 22 pontos, 3 ressaltos e 1 assistência. Do lado do Besiktas, a figura em maior destaque foi Angela Salvadores, uma espanhola de 23 anos de muita qualidade que aqui conseguiu 24 pontos, 6 ressaltos e 4 assistências.

O outro jogo, o último a ser falado aqui, foi o duelo entre o Galatasaray e o Hatay que terminou com um 85-61 para o Gala. Mais um jogo onde o número de opções fez a diferença, além claro da qualidade das jogadoras do Gala. Anete Steinberga foi a maior figura com 13 pontos, 13 ressaltos e 4 assistências, enquanto do lado do Hatay, Alexis Prince voltou a mostrar toda a qualidade que lhe é conhecida desta vez com 18 pontos e 9 ressaltos.

Futsal

Depois do basquetebol, vamos então para o futsal onde temos dois jogos para falar. Primeiro, a última jornada e depois o derby que abriu a jornada 11. Começando pela última jornada, o Sporting foi até Alcobaça vencer o Burinhosa por uns claros 0-7. Um jogo sem Guitta e sem Taynan, onde estreamos muito bem com o Merlim a marcar cedo, mas um jogo onde o Bernardo Paçó teve a sua oportunidade na baliza e onde esteve bem. Além dele, o Zicky bisou e esteve sempre muito interventivo nesta partida. Nota-se uma melhoria no Zicky e trabalhar com Nuno Dias ajuda a que isso aconteça.

Mas aqui nada a dizer, um resultado normal expectável num jogo em que não sofremos e onde não cometemos os erros que tínhamos cometido e jogos anteriores.

Depois é que veio o mais complicado, o derby eterno, o jogo dos jogos em Portugal, seja em que modalidade for.

Recebemos e empatamos 3-3 com o SL Benfica. Fomos a melhor equipa, fomos a equipa que mais tentou, mas o resultado foi mau ainda para mais contra este Benfica que tem muitas individualidades, mas pouco coletivo.

Um duelo que foi da melhor equipa contra o melhor plantel, Joel Rocha fez o seu jogo como sempre faz, nada muda nas abordagens do Joel neste jogo. O problema está no nosso jogo menos bom em vários aspetos. A começar pela baliza, onde Gonçalo Portugal esteve ligado a dois dos golos sofridos. Não podemos dizer muito, sabemos que a diferença para o Guitta é enorme e que perdemos ainda mais na questão do guarda-redes avançado. Continuamos sem perder, mas não foi nem o resultado nem o jogo que queríamos, pois jogamos pior do que era esperado e do que devíamos.

Fica mais um dérbi com sabor amargo, onde mesmo várias horas depois a azia ainda reina e está muito presente, porque merecíamos ter ganho e onde os erros nos custaram esta vitória.

Tomás Paçó assumiu o papel de fixo na frente do Erick neste jogo, de forma até surpreendente, mas a verdade é que o Tomás cumpriu sempre que esteve em campo. Rocha, apesar das críticas, foi dos melhores deste jogo na minha opinião.

O Braga que, enquanto nós ganhamos ao Burinhosa, perdia com a Sanjoanense por 5-3 e esta serie de maus resultados ditou o afastamento de Paulo Tavares, um dos melhores treinadores a seguir a Nuno Dias em Portugal, mas que não resistiu a este horrível inicio de época. São apenas 7 pontos, 11ª posição, apenas duas vitórias contra 4 derrotas e 1 empate. Veremos o que este Braga consegue fazer, mas a equipa tem qualidade para mais, mas sem um treinador como Paulo Tavares podem sentir ainda mais problemas.

Hóquei em Patins

Para terminar, vamos ao hóquei em patins, onde no masculino teríamos o jogo do Sporting contra o Valongo que estava em isolamento profilático e, por isso, o jogo foi adiado, tal como foi o jogo do Benfica e do OC Barcelos.

Por isso, a Oliveirense aproveitou para subir ao segundo lugar ao vencer o Turquel por 7-5 e o Porto voltou a escorregar, desta feita em Tomar com o Sporting local com um empate a 4.

Esta semana vou dar mais destaque à grande vitória das leoas frente ao Benfica, num derby que se esperava que fosse um grande jogo e não defraudou as expetativas de ninguém.

Fomos vencer ao pavilhão da Luz por 2-4, um grande jogo de hóquei que me fez vibrar muito, não só pela vitória, mas por tudo o que significava. Chegou ao fim o fantasma da invencibilidade encarnada, elas não perdiam há 7 anos e não empatavam há 4, isto diz bem do domínio delas no nosso campeonato, mas as leoas quebraram esse ciclo.

Este foi um grande jogo de hóquei, acho que deu para se ver que no feminino se joga muito bem e que elas mereciam mais atenção.

Neste jogo tivemos o grande dedo de Nuno Pinto, o mister leonino está mais que de parabéns, é um ótimo treinador, como eu tenho referido imensas vezes aqui e em conversas com amigos. Nesse aspeto levamos a melhor, pois Paulo Almeida é bem pior como treinador e neste jogo isso voltou a ser percetível. Nem mesmo o facto de ter a equipa com mais opções apaga o facto de ser um treinador de menor nível.

No jogo soubemos defender, soubemos aguentar alguns períodos com as encarnadas por cima, mas soubemos colocar várias vezes em prática a nossa forma de jogar, que é diferente da dos homens, pois é uma forma mais ofensiva, muita troca de posse e isso dá gosto ver. Neste jogo, soubemos usar as nossas armas além da clara melhoria de toda a equipa e aí, volto a frisar, é dedo de Nuno Pinto.

Ana Catarina Ferreira marcou 4 golos, a nossa capitã mostrou como se faz e marcou de todas as formas. Na baliza tivemos o muro de seu nome Claúdia Vicente, mas as gémeas Lopes, Sofia Moncóvio, as manas Florêncio que eu já me fartei de elogiar, Adriana Costa que entrou muito bem e foi muito importante, todas elas cumpriram, todas elas jogaram muito bem. Claro que o maior destaque foi para Ana Catarina Ferreira com aquele póquer de altíssimo nível e ainda a nossa muralha Vicente. Grandíssima vitória!!

Por este sábado é tudo. Espero que todos estejam bem. Amanhã teremos mais modalidades para concluir este fim de semana desportivo que, como sempre, o Espartano leva a todos.

Espero que tenham gostado e até amanhã para mais atualidade das nossas fascinantes modalidades.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

O Espartano