E se os reforços de Varandas correrem bem?

Têm sido tempos pacatos. Tudo em casa. Futebol parado. Pouco tem acontecido. Portanto, com o que nos vamos entreter? Com números e contas, claro!

Desta vez, refastelado no sofá, com migalhas de Doritos na minha camisola de fato de treino, com o cotão do umbigo à mostra, optei por olhar para os gastos que fizemos na era Varandas.


QUANTO GASTÁMOS?

Em termos de jogadores, vasculhando as interwebs pelos relatórios e contas e comunicados à CMVM, cheguei aos seguintes valores:

Falta ainda juntar o guito do Rúben Amorim.

Lembro-me de se falar em valores, com ordenados e tudo, a chegar aos 20M. Voltei a pesquisar e descobri que a grande fonte que revela a totalidade dos valores, com um triunfante sorriso na cara, e o reforçar convicto de que tem 100% de certeza da sua validade, é…Rui Santos.

Não sei bem como é que isso aconteceu, nem tenho por hábito confiar em nada do que ele (e tantos quantos) dizem. Mas é um exercício, vamos colar os tais números que ele avança: tudo somado (excepto eventuais prémios por objectivos, não é preciso sermos presunçosos), o treinador custará 23M ao Sporting.

Juntando esses 23M aos 48.85M dos jogadores, ficamos com uns 63.85M.

QUANTO ENTRAVA SE CORRESSE BEM?

Vou, agora, traçar um desfecho optimista, em que os jogadores rendem bastante, num modelo que os potência.

Uma ressalva importante: Se estou a ser razoável ou não, deixo ao critério de quem lê. Convido até a apresentarem os vossos valores, se acharem necessário. Não venho tentar vender verdades absolutas.

Vendemos:

Se chegássemos a estes valores, seria óptimo.

Darem 5M por Borja ou 6M por Eduardo significaria que estávamos a ter grande rendimento. Vietto por 20M, face ao histórico que tem, implicaria que estava a render como nunca tinha feito até então. Plata e Camacho por 55M seria sinal que davam nas vistas num ataque muito produtivo, em que Sporar, já com 27 anos, rendia 25M.

Sim, tecnicamente, é possível que ainda venham a ser vendidos por mais do que isso, claro. Mas, neste momento, com o que sabemos, isto é um cenário muitíssimo optimista (a última vez que jogámos, foi em casa contra um Aves reduzido a 9 desde cedo, em que não criámos assim tantas ocasiões e precisámos de um penalti para ampliar a vantagem para o 2-0 final).

Neste cenário, feitas as contas, obtínhamos 121M (não esquecer que temos de retirar 50% a Plata e Vietto).

Isso dava um lucro de 51.15M (estou ainda a somar 6M aos gastos, porque estou a assumir que a conseguirmos 25M pelo Sporar, provavelmente ele terá cumprido os tais objectivos).

Parece bem. Um lucro de 51.15M. Mas estávamos a pagar 69.85M para lucrar 51.15M. Dá 86.6% de lucro. Isso é muito ou é pouco?

É difícil saber.

Vou tentar dois critérios.

CRITÉRIO 1: VALORES DE TODAS AS TRANSFERÊNCIAS DOS ÚLTIMOS 2 ANOS

O primeiro é ver os gastos e vendas em valores de jogadores, de acordo com o Transfermarkt nos últimos dois anos (e só para se obter uma bitola aproximada, vamos excluir tudo que seja comissões e afins).

Ora bem…

Neste cenário, em que estou a assumir que as coisas tenham corrido bem, quando comparado com os valores que os 4 habituais primeiros classificados praticaram, incluindo o que o próprio Sporting fez, os valores não parecem assim tão optimistas quanto isso, apenas comparando-se com os valores do FCP, numa altura em que as coisas, no âmbito financeiro, não têm corrido assim tão bem (contratações de Uribe ou Marchesin, já perto dos 30 anos, ou saídas de jogadores a custo zero, como Herrera e Brahimi).

Mas claro, o Sporting tem outros valores transferíveis. Poderá vender Wendel, Acuña, ou Coates, por exemplo. Ou, claro, produtos das escolas.

Neste cenário, admita-se, está-se a comparar apenas um grupo restrito de jogadores com o grosso de todo o plantel (os 200M do SLB passavam a 80M, sem o João Félix, que é um produto das escolas).

CRITÉRIO 2: JOGADORES CONTRATADOS NOS ÚLTIMOS 5 ANOS

Portanto, façamos isto de outra forma. Vamos apenas ver os jogadores que estes 4 clubes contrataram nos últimos 5 anos. E quanto é que apenas esses jogadores foram vendidos.

Menos mal.

Nesta comparação, a meu ver mais precisa, este cenário já colocaria o Sporting num registo semelhante a si próprio e ligeiramente inferior ao do SLB. Também ligeiramente superior ao do FCP, mas convém lembrar que estes últimos anos têm sido atipicamente maus para aqueles lados, no que a negociatas diz respeito.

Isto é bom, então, certo?

Certo?

Claro que não.

Isto é o que aconteceria na melhor das hipóteses!

Estamos a assumir que tudo corre às mil maravilhas. Ainda que possível, é improvável que se consiga os valores que enunciei acima, com as possíveis excepções de Camacho e Plata (de quem temos 50%).

Duvido que consigamos 25M ou 20M por Sporar e Vietto, por exemplo, já para não falar nos valores que coloquei em Borja ou Eduardo.

Ou seja, e aqui é importante que se compreenda bem: isto é num cenário hipotético optimista.

Se estamos uns níveis atrás dos rivais e se um cenário optimista nos traria lucros semelhantes, então isso quer dizer que será necessário um cenário optimista para nós mantermos a distância que temos agora para os rivais (no que a reforços diz respeito).

Falta ainda, claro, eventuais lucros de escolas e de competições europeias. Mas receio que, nesses âmbitos, tanto o SLB, como o FCP farão sempre mais ou semelhante que nós.

BÓNUS

Só como bónus, vou traçar um cenário “normal”. Quanto eu (apenas a minha opinião), prevejo no dia em que este texto é escrito, que consigamos com cada jogador.

Mais uma vez, repito: Se estou a ser razoável ou não, deixo ao critério de quem lê. Convido até a apresentarem os vossos valores, se acharem necessário. Não venho tentar vender verdades absolutas.

Esta é apenas a minha opinião, nem é sequer uma previsão, não alego prever o futuro.

imagem de destaque “Record”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *