Excitação desportiva

Uma semana muito animada em que vou tentar controlar o meu entusiasmo nesta aventura por muitas modalidades, que vai desde o basquetebol até ao andebol. Muita animação, grandes jogos, e, por isso, aqui estão os destaques desta semana na atualidade das modalidades.

Basquetebol

NBA

Estamos na final da NBA, Lakers vs Heat, isto depois da equipa de Miami ter vencido os Celtics por 4-2. Grandes jogos na final do lado este e uma conquista histórica para os Heat.

A equipa de Boston continua a revelar problemas que são normais fruto da falta de opções, em comparação com as outras equipas e, também, pela juventude, mas os Heat venceram e venceram bem. Estão na final com os Lakers que venceram no oeste os Nuggets por 4-1. Dois vencedores de conferências bem superiores aos respetivos adversários. Tivemos grandes jogos e como destaque de cada equipa, tivemos Davis, no lado dos Lakers, e Dragic, no lado dos Heat.

Por isso, chegamos ao primeiro duelo na final com os Lakers a vencerem por 116-98 e, para piorar tudo, os Heat perdem Dragic e o Bam com lesões que podem afastar ambos dos próximos jogos. Mas foi um primeiro jogo ganho de forma convincente pelos Lakers que, uma década depois, têm a possibilidade de voltar a ser a melhor equipa na NBA. Nesta altura com as lesões e com a vitória e superioridade dos Lakers, a maioria espera e antevê que a equipa de LA vença de forma fácil. O próximo jogo já nos vai mostrar melhor tudo, mas esperemos que, apesar das contrariedades, os Heat consigam dar luta.

WNBA

Na WNBA também estamos na final, Aces vs Storm, as equipas mais fortes na fase regular. As equipas, que todos davam como favoritas, a vencer este ano comprovaram esse favoritismo e chegaram ao que se prevê que seja uma final de muita qualidade e muito equilibrada.

As Aces, para chegarem à final, tiveram que suar muito. Cinco jogos para conseguirem ultrapassar as Sun naquilo que foi um duelo enorme por um lugar na final. Com um 66-63 no quinto jogo, as Aces conseguiram assim a sua segunda final deste franchise. A última tinha sido em 2008, onde ainda brilhava a Becky Hammon. Desta vez foram lideradas pela MVP A’ja Wilson. As Aces estiveram sempre atrás, perdendo o primeiro e terceiro jogo e foi mesmo no quinto e último jogo que conseguiram deixar as Sun numa semifinal emocionante e espetacular que a cada jogo nos fez vibrar. Foi até à ultima e ainda bem.

Na outra semifinal, as Storm venceram por 3-0 as Lyns. Foi uma “varredela” para a equipa de Seattle que chega assim à sua quarta final da história deste franchise. Só no primeiro jogo é que as Lynx conseguiram equilibrar. Daí em diante, nos segundo e terceiro jogos veio ao de cima a superioridade, com uma Breanna Stewart e uma Sue Bird em grande.

Para esta final prevê-se um grande equilíbrio e apesar das Aces terem passado pior na final, acredito e espero que seja até ao último milésimo de segundo do último jogo. Aquilo que digo é que quem não viu veja os jogos e não perca esta final, porque vai ser espetacular.

Europa

Na Europa tivemos o regresso da Euroleague. O Barcelona estreou-se com uma vitória sobre o CSKA, por 76-66. Mais uma vez foi evidente a melhoria defensiva com Sarunas, com muita qualidade e foram bem superiores ao CSKA. Brandon Davies esteve em alta com 18 pontos e 4 ressaltos.

Em outro jogo em destaque, o Zalgiris venceu o Olympiacos por 68-67 num grande jogo de basquetebol, em que o Zalgiris chegou a estar a perder por 11 pontos e conseguiram mesmo assim vencer com uma recuperação histórica, com o miúdo de 19 anos, Rokas Jokubaitis a ser a figura da partida com 12 pontos e dois lances livres decisivos que garantiram a vitória. Ele que saltou do banco para mudar o jogo. Foi grande jogo de um Zalgiris que, mesmo renovado, está muito forte.

No Barça é, principalmente, a nível defensivo que se notam as melhorias, já no Zalgiris, com a troca Sarunas por Schiller é a nível ofensivo que se notam mais diferenças. Mas foram, sem dúvida, os dois jogos que eu destaco neste início de Euroleague, onde o Zenit de Xavi Pascual venceu o Efes por 69-73 ,com o Pangos a fazer um jogão metendo 23 pontos e 7 assistências.

Futsal

Começo a atualidade do futsal com as más noticias que nos chegam de Inglaterra, onde a FA (English Football Association) decidiu cortar a verba para o futsal, passando de £900.000, para £125.000. Esta modalidade já era a que tinha o orçamento menor dentro da organização e, com este corte, vai-se colocar em causa o crescimento do futsal no país. Houve também o fim de vários programas para os mais jovens, apoios às seleções e com isto pode mesmo estar em causa o futuro do futsal inglês.

O novo clube do Deo, o ex Sporting, assinou pelo vice-campeão cazaque, o Aktobe, e, assim, Deo vai voltar a jogar na Champions. Falar ainda do pivot Cesar Paulo que aos 41 anos regressa ao futsal para jogar no Brasília Futsal, equipa onde ele era diretor e que agora vai também ser um dos jogadores.

No que diz respeito a jogos em França, o ACCS voltou a vencer e a golear, desta vez o Paris por 9-1, sem golos do Ricardinho e com o Marroquino Bilal Bakkali e o espanhol Celso Ortiz como grandes destaques, cada um deles com 3 golos.

Na Rússia, já vamos na sexta jornada e o Tyumen lidera com 6 vitórias em 6 jogos. Nesta ultima jornada venceram por 5-3 o Norilsk Nickel, com grande destaque para o Upalev e para o Milovanov que marcaram dois dos golos da vitória e foram os melhores jogadores dos atuais líderes. Do outro lado, o Léo, ex Sporting, fez um enormíssimo jogo, marcou um golo e juntamente com o Kudziev foi a figura do Nickel.

No Brasil, na LNF destaco o Magnus que voltou a vencer, desta feita por 5-0, o São José com o Leozinho em grande. O canhoto de 21 anos está a ser uma das figuras da equipa e um dos craques na LNF, marcou um golaço. Foi a sétima vitoria em sete jogos para o Magnus que segue imparável e a jogar muito, como Leozinho, Pedrinho e o fixo Rodrigo Hardy em grande evidência.

Ciclismo

Na atualidade do ciclismo, além da Volta a Portugal abordada no nosso programa de ontem. Temos novos campeões do mundo. No feminino, Anna Van der Breggen bisou, conquistou o título mundial de contrarrelógio, derrotando por 15 segundos a suíça Marlen Reusser e por 30 a compatriota Ellen Van Dijk. Foi um bom crono, onde a Van der Breggen beneficiou da queda da Dygert. Já no sábado, na prova de fundo, ela atacou e venceu isolada com 1 minuto e 20 segundos para a compatriota, Annemiek van Vleuten, que chegou e bateu ao sprint a italiana Elisa Longo Borghini na luta pela medalha de prata.

Na corrida masculina no contrarrelógio, venceu o italiano Filippo Ganna, ele que já tinha dado indicações de que estava em excelente forma, venceu, deixando em segundo lugar com mais 26 segundos gastos o super belga Wout Van Aert e com mais 29 segundos gastos em terceiro lugar o suíço Stefan Kung. O nosso Nelson Oliveira foi 11º com mais 1 minuto e 15 segundos gastos que Ganna.

Já na prova de fundo tudo bem diferente. Foi uma corrida bem animada e onde a vitória sorriu ao francês Julian Alaphilippe que conquistou assim a sua grande vitória da carreira. Wout Van Aert repetiu o segundo lugar do contrarrelógio e o bronze ficou para Marc Hirschi, um dos ciclistas em melhor forma nesta altura. Já Rui Costa ficou longe dos primeiros lugares, foi apenas 26º a 2 minutos e 3 segundos.

Das várias corridas que se disputaram, destaco a clássica belga Fleche Wallonne. Na corrida feminina, e para não destoar, venceu uma holandesa, no caso alguém que pouco tem ganho, Anna Van der Breggen, que passou a clássica belga derrotando a dinamarquesa Cecilie Uttrup Ludwig, das francesas da FDJ, e a holandesa Demi Vollering da Parkhotel Valkenburg. Grande corrida que terminou com mais uma vitória holandesa e da Breggen, mas destaco Vollering, uma jovem de 23 anos que se intrometeu, mais uma vez, no meio das consagradas e conseguiu um pódio, talento enorme, mais um na Holanda.

Na corrida masculina, o vencedor foi o suíço Marc Hirschi. Vem de vitórias no Tour, de pódio nos mundiais de fundo e na Bélgica foi o mais forte, num dia em que o Rui Costa andou ao ataque e a equipa Deceuninck deu a conhecer mais um jovem belga que em pouco tempo vai vencer muito, Mauri Vansevenant. No final o mais forte foi o suíço. Hirschi conseguiu mais uma grande vitória, vencendo o francês Benoit Cosnefroy e o pódio ficou fechado com o canadiano Michael Woods. Rui Costa, que andou ao ataque e que trabalhou para Pogacar, terminou em 85º a 3 minutos e 13 segundos do suíço.

Hóquei em Patins

Para começar a atualidade nacional. No hóquei feminino do Sporting, que se estreou no campeonato da melhor forma ao vencer o Stuart Carvalhais por 6-0, gostei de ver as irmãs Florêncio. Foi um bom jogo das manas num dia em que as manas Lopes estiveram em evidência, como tantas vezes acontece, com a Rita a marcar os dois golos da primeira parte. Na segunda parte, foi a Rute a marcar dois. Sofia Moncóvio e Inês Florêncio aumentaram a vantagem e fecharam o resultado em 6-0. Bom jogo e boa entrada das leoas numa equipa que já se nota o dedo de Nuno Pinto. Do outro lado, estava uma equipa que regressou ao campeonato com a nossa ex treinadora adjunta, Debora Gonçalves, e ainda a “Pulga”, Raquel Duarte, Diana Pinto e Inês Baudouin, todas também ex Sporting. Stuart é uma boa equipa, vão fazer um bom campeonato e veremos o que fazem na Europa. Isto diz bem de como jogamos bem e de como a nossa equipa é forte.

Na nossa zona, o SL Benfica venceu o Campo de Ourique por 2-5. Foi um bom jogo com a demonstrar aqui que vai fazer um bom campeonato. O Benfica, ainda sem as argentinas, a vencer bem e sem problemas, mas o Caco ainda conseguiu assustar. É preciso destacar o Caco, porque tem um plantel inferior ao do ano passado, mas joga bem melhor com dedo de Tó Sequeira, o novo treinador da equipa. Falo ainda de Inês Severino, que foi lançada no jogo, estreando-se aos 14 anos pelo Benfica.

Já no outro jogo, o Vilafranquense venceu o Tojal por 6-3 com Rita Batista em evidência com 3 golos. Destaco ainda a Académica de Coimbra, na zona centro, que venceu por 7 a 1 a Sanjoanense, com Catarina Costa a marcar 4 e Carolina Gonçalves a marcar 3 num bom jogo de hóquei.

Nos masculinos, a equipa esteve bem perto de mim, vieram a Almeirim ao terreno do Tigres. Ganhamos 3-4 num jogo em que complicámos e errámos demais. Tivemos que suar bastante para vencer os Tigres, num jogo onde entrámos fortes, mas a perder. Com muitos golos, reinou a incerteza sempre, o ritmo da Liguilha por parte do Tigres fez-se notar. Romero bisou, fez um grande jogo mais uma vez, mas o Sporting errou demasiado. Fica uma boa réplica do Tigres, mas um mau jogo do Sporting que vence tangencialmente e com muitos erros.

No campeonato nacional, claro que o grande destaque é a vitória do Benfica sobre o FC Porto por 7-3. Com os encarnados superiores, a equipa de Alejandro Dominguez venceu de forma clara. Foi um resultado inesperado porque esperamos sempre que sejam jogos equilibrados, mas a entrada nervosa do Porto foi muito bem aproveitada pelo Benfica. O Porto não conseguia criar perigo e abusava da meia distância de Xavi e Gonçalo Alves. Com isso, o Benfica só cresceu e aumentou a vantagem. Com 4-1 ao intervalo que, em poucos minutos da segunda parte, se transformou num 5-1. O Porto continuava a errar e o Benfica rapidamente chegou ao 7-1, depois baixaram o ritmo e desligaram um pouco e aí o Porto reduziu até ao 7-3 final, mas Benfica foi muito forte. Foi um péssimo jogo do Porto em todos os aspetos e, a juntar a isso, foram muito perdulários.

No que diz respeito aos jogos internacionais, o Barcelona venceu o Palafrugell por 7-0. Foi uma entrada em grande do campeão espanhol com o João Rodrigues em alta com um poker. Ainda em Espanha, o adversário do Sporting, o Noia, foi derrotado pelo Réus, do ex Sporting Raul Marin, por 2-6, num Palau d’Esports com algum público e com aqueles tambores característicos. O Réus dominou e foi bem superior com, Raul Marin em grande, a marcar onde é especialista, nos livres diretos, mas é um Réus muito forte com Julià e Àlex Rodríguez em destaque como marcadores e melhores em campo. Um Noia que, podemos dizer, é mais fraco que o do ano passado. A saída de Aragonés pesou muito e o melhor jogador desta equipa é o rapidíssimo Manrubia que, além da velocidade, é um jogador com muita técnica e qualidade.

No feminino, também em Espanha na OK liga, tivemos vários bons jogos e vou destacar o grande jogo que deu empate a 1 entre o Cerdanyola CH e o Telecable, um duelo onde estiveram em campo Adriana Gutiérrez, ex Sporting, no Cerdanyola, e Marta Piquero, no Telecable, ela ex Benfica e que marcou o golo do Telecable. Foi um grande jogo, tal como o jogo entre o PHC Sant Cugat e o Voltregà, que terminou em 3-2, com a Alba Ambrós a fazer a diferença com dois golos e uma grande exibição para o Alba.

Motores

Motociclismo

No que diz respeito à atualidade motorizada, começamos pelo Moto GP, onde o italiano Fabio Quartararo venceu o GP da Catalunha, garantindo também a liderança do mundial, numa corrida onde Miguel Oliveira voltou a cair e a abandonar. Joan Mir e Alex Rins fecharam o pódio na Catalunha.

No Moto2, o meio irmão de Valentino Rossi, Luca Marini venceu também na Catalunha, alargando, assim, a vantagem nesta categoria. O britânico Sam Lowes e o italiano Fabio Di Giannantonio fecharam o pódio.

Já no Moto3, numa corrida muito dramática e com muitas trocas de liderança, o sul-africano Darryn Binder foi mais forte garantindo, assim, a sua primeira vitória na categoria. Os italianos Tony Arbolino e Dennis Foggia fecharam o pódio, num mundial liderado ainda pelo britânico John McPhee, que colidiu com o Arenas e não terminou na Catalunha.

Automobilismo

No que diz respeito à F1, Valtteri Bottas venceu o GP da Rússia, a sua segunda vitoria do ano. Em segundo lugar ficou Max Verstappen e em terceiro, o líder mundial Lewis Hamilton, que ainda não foi desta que igualou o recorde de 91 triunfos de Michael Schumacher.

Na F2 venceu Guanyu Zhou, numa corrida marcada pela colisão entre Jack Aitken e Luca Ghiotto na oitava volta. Nikita Mazepin ficou em segundo e Mick Schumacher fechou o pódio, o mesmo Mick que continua assim líder.

Voleibol

No programa abordei a atualidade nacional e, como disse lá, aqui irei abordar alguns destaques da atualidade internacional do voleibol.

Começo pela Ligas dos Campeões, o Trentino entrou em grande ao vencer por 3-0, com os parciais de 25-19, 25-20 e 25-18, o Vojvodina com Nimir Abdel-Aziz em grande destaque, em mais um grande jogo e, mais uma vez, o máximo pontuador da equipa com 13 pontos. Salvatore Rossini também se evidenciou mais uma vez na receção com 70%.

Nos outros duelos, o Dínamo de Moscovo venceu por 3-1 o Neftochimik Burgas e os húngaros do Fino Kaposvár venceram o Mladost.  Sam Deroo, do dínamo de Moscovo foi para mim o jogador mais destes jogo, liderou os russos com 18 pontos.

Na Turquia, tivemos o grande jogo envolvendo o Galatasaray e o Ziraat, na quinta ronda e era esperado um grande jogo que foi o que aconteceu, com o Galatasaray a vencer por 3-0 com os parciais de 25-22, 25-21, 25-22. Foi um jogo equilibrado, com vantagem dos bloqueadores, dos centrais e da receção para o Galatasaray. Foi a terceira derrota consecutiva para o Ziraat.

Em Itália, na estreia na liga, o Perugia venceu sob comando do super Wilfredo León que é um jogador de que sou muito fã e que aqui fez um enorme jogo. Mas o Perugia venceu por 3-0 com os parciais de 35-33, 25-20, 26-24. Além do Leon, com 21 pontos e um jogo quase perfeito, quem se destacou foi o brasileiro Aboubacar Neto Vibo. Apesar de derrotados, o Abouba marcou 14 pontos e fez uma exibição digna de um dos melhores da liga italiana.

Ainda em Itália, mas no feminino, falamos do Èpiù Casalmaggiore, uma das equipas mais proeminentes em Itália, que voltou a perder neste que tem sido um começo complicado e uma equipa que está com graves problemas económicos. Desta feita perderam por 3-1 frente ao Trentino pelos parciais de 26-24, 22-25, 25-21, 26-24, com a jovem Vittoria Piani a ser a figura da partida com 22 pontos e nas derrotadas, o grande destaque voltou a ser a brasileira Rosamaria Montibeller com mais um grande jogo e com 20 pontos.

Andebol

Para terminar, a atualidade do Andebol, tal como no voleibol uma modalidade com ligação ao programa e, também aqui, o foco vai ser a atualidade do andebol internacional.

Na liga dos campeões, mais uma vitória para o Barcelona. O rolo compressor catalão fez mais uma vítima, desta feita os franceses do Nantes que perderam por 27-35, com Dika Men a marcar 7, Pálmarsson 6 e o Luís Frade a jogar ,mas sem marcar nenhum golo. Vargas e Moller estiveram muito bem na baliza catalã, ao contrário de Nielsen e Colleluori que não passaram de 20% de defesas.

Em outros jogos e apesar de talvez ter sido o melhor jogo do Porto, os dragões foram derrotados pelos alemães Flensburg por uns expressivos 36-29, num jogo onde o Lasse Moller com 7 e o Lasse Svan com 5 golos foram as principais figuras. Destaco Brest que venceu o poderoso PSG por 32-31, em mais um grande jogo dos eslovenos Stas Skube e Jaka Malus, ambos com 4 golos.

Na liga dos campeões feminina, o Brest sofreu um empate a 25-25 contra Gyor, num belíssimo jogo de andebol. As francesas estiveram sempre em ligeira vantagem na partida, só na segunda parte é que as húngaras conseguiram liderar o resultado. Num jogo muito equilibrado, nenhuma equipa conseguia abrir uma vantagem grande e isso ia permitindo que todos pudéssemos desfrutar de um grande jogo que acabou empatadom com Ana Gros a ser a MVP, com 10 golos das francesas e do lado das húngaras, a melhor jogadora foi Victoria Luckas que marcou 4 dos últimos 5 golos das húngaras.

Por esta semana é tudo. Espero que tenham gostado. Agradecer a quem lê e a quem vê os programas, onde abordo a atualidade de uma das minhas paixões, o desporto mais concretamente as modalidades. Um bem-haja a todos e um bom fim de semana desportivo para todos. Não se esqueçam de apoiarem as modalidades porque não se vão arrepender nada.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *