O Espartano https://espartano.pt Wed, 05 Aug 2020 00:38:49 +0000 en-US hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.4.2 https://espartano.pt/wp-content/uploads/favicon.png O Espartano https://espartano.pt 32 32 À conversa com Hélder Amaral https://espartano.pt/a-conversa-com-helder-amaral/ https://espartano.pt/a-conversa-com-helder-amaral/#respond Wed, 05 Aug 2020 00:38:15 +0000 https://espartano.pt/?p=1294 The post À conversa com Hélder Amaral appeared first on O Espartano.

]]>

The post À conversa com Hélder Amaral appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/a-conversa-com-helder-amaral/feed/ 0
Balanço Avançados 19/20 https://espartano.pt/balanco-avancados-19-20/ https://espartano.pt/balanco-avancados-19-20/#respond Tue, 04 Aug 2020 08:55:00 +0000 https://espartano.pt/?p=1274 Chegou ao fim mais uma época. Uma época com altos e baixos para os sportinguistas....

The post Balanço Avançados 19/20 appeared first on O Espartano.

]]>
Chegou ao fim mais uma época.

Uma época com altos e baixos para os sportinguistas.

Por um lado, houve momentos mais baixos para o Sporting, como o início (em que levou 5 do SLB), o final (em que perdeu com o SLB e passou para quarto) e o meio (que é basicamente tudo o que se passou entre esses dois jogos).

Por outro lado, espetámos quatro secos nos Açores, portanto, a coisa fica ela-por-ela.

Hoje, fui ao transfermarkt recolher uns dados, fazer umas contas e ver quem foram os jogadores mais produtivos em termos de golos/assistências e quem foram os jogadores que mais contribuíram directamente para os golos das equipas.

Vai ser tão divertido quanto soa!

Antes de mais, tinha feito uma análise deste género aqui.

Vou apenas actualizar as tabelas respectivas, para os avançados dos 3 grandes.

Recapitulando, só contam jogos para o campeonato, e subtrai-se os penaltis (importantíssimo!). Mais detalhes sobre o cálculo, no artigo original.

No FCP, a concorrência é fortíssima com Maregas e Tiquinhos a competir com Hulks e Falcões. Tiquinho manteve o número e Marega subiu o rendimento médio. Zé Luís foi descendo com o decorrer da época.

No SLB, Vinícius fez uma época ao nível de um Messi. Quem o tinha feito, também, tinha sido Seferovic na época passada, por issomantém ali um registo inflaccionadíssimo (a época passada tem um registo de 68, como Vinícius. Mas nas outras épocas tem sempre valores acima de 140, já lá para o fundo da tabela).

Siga, então, para o Sporting:

Ok, já todos repararam, presumo. Vietto e Sporar estão destacados em último, atrás de Saleiros e Diabys.

Antes de mais, não há motivo para sentenças. Sporar e Vietto têm menos de 1800 minutos, ou seja, nem 20 jogos completos têm. E não esquecer o contexto em que jogaram (principalmente, Sporar). Da mesma forma que Luiz Phellype também será beneficiado pelos mesmos motivos: pouca utilização inflacciona os golos que foi marcando.

Mesmo assim, 97 minutos para cada contribuição para golo é um registo muitíssimo bom…enquanto mais de 230 minutos para contribuir é…pior que Diaby, Postiga ou Saleiro.

Deixo ao critério de cada um se o fraco registo de Sporar e Vietto será vítima da fraca produção ofensiva, ou se é a produção ofensiva da equipa que será vítima da produção ofensiva de Sporar e Vietto (“o ovo, ou a galinha?”).

Não deixar de saudar ali o nosso Jovanezinho, que tem um registo muito interessante para quem está em início de carreira.

Vamos, então a 19/20.

1.Os laterais.

Temos aqui os minutos que os principais laterais dos 4 primeiros classificados precisaram para fazer uma contribuição directa para golo (penaltis não contam).

Essencial não esquecer que Corona não jogou sempre a lateral. Jogou também a extremo, a ala, etc. Portanto, é mais do que natural que surja ali com valores muito melhores que todos os outros. E não esquecer que Tavares é largamente beneficiado por ter muitíssimos menos minutos que todos os outros.

Mas fica a ideia clara que, tanto o FCP como o SLB conseguem uma contribuição dos seus laterais muitíssimo superior.

O outro destaque, como é óbvio, vai para a fraca produção dos laterais do Sporting. Não considerei Nuno Mendes, Thierry, Camacho, nem Rosier, porque têm poucos minutos (e Borja jogou muito a central). Ainda assim, entre eles, têm 0 assistências (e 1 golito do Borja).

Mas o dado que mais destaco: uma única singela assistenciazinha de Acuña a época toda.

2. Médios/Extremos

Decidi agrupar os médios e extremos que tivesse achado mais relevantes num só parâmetro.

Corona volta a aparecer. Se no quadro dos laterais, tinha a vantagem por jogar a extremo, neste quadro tem desvantagem por jogar a lateral.

Nos minutos, a ideia é que quanto mais minutos jogados, mais fiável serão esses dados. Portanto, para ajudar a leitura, separei em três cores. A verde, os jogadores que tenham jogado mais de 2/3 dos minutos possíveis. A vermelho, os jogadores que jogaram menos de metade dos minutos possíveis. E a amarelo os jogadores que se situem entre esses dois valores.

De notar que os penaltis NUNCA contam (importantíssimo).

Cervi fez uma época deplorável. Pizzi, mesmo sem penaltis, tem um registo muito bom (não esquecer que ele marca quase todas as bolas paradas, portanto, há de ter muitas assistências).

O registo de Vietto é impressionante, quando comparado com jogadores de outras posições mais recuadas e de outros clubes.

Mas, claro, estamos a comparar jogadores que jogam em clubes que marcam 60 golos com jogadores que jogam em clubes que marcam 40 golos.

Com esse intuito, calculei a contribuição que cada jogador representa no total dos golos da equipa.

Ok, sinto que devo uma explicação.

O processo foi o seguinte:

  1. Identifiquei os minutos que os jogadores se encontraram disponíveis.
    Por exemplo, Bruno Fernandes apenas jogou metade da época. Jovane teve uma lesão prolongada. Nesses casos, retirei os jogos em que eles não estavam disponíveis.
  2. Contei os minutos e os golos totais da equipa nesses jogos (sem os penaltis, claro).
  3. Calculei quantos minutos é que cada equipa necessita para cada golo (apenas contando os jogos em que o jogador se encontrava disponível, como explicado no ponto 1).
  4. Dividi os minutos/contribuição pelos minutos/golo da equipa, e, assim, obtive uma percentagem ajustada apenas (ou mais aproximada, vá) ao tempo que o jogador jogou.

Por exemplo, Bruno Fernandes jogou 1530 minutos, com um rácio de 139 minutos para cada golo ou assistência.

Até ao momento em que ele é transferido para o Manchester United, o Sporting efectuou 1620 minutos no campeonato. Nesses 1620, marcou 25 golos (já após se ter subtraído os penaltis). Quer isso dizer que o Sporting, nesse período, tem um rácio de 65 minutos para cada golo.

Fazendo as contas, descobrimos que Bruno Fernandes contribuiu com 47% dos golos do Sporting, no período em que jogou.

Os jogadores do Famalicão sobem, os do Benfica descem. Os do FCP mantêm-se mais ou menos no mesmo lugar.

No caso do Sporting, Jovane dispara (ninguém que tenha visto os últimos 10 jogos do Sporting terá ficado surpreendido com isso). Tiravam Jovane e Bruno Fernandes das respectivas fases da época e o Sporting desceria a pique na tabela. E, ao contrário do que é popularmente assumido, o Sporting dependeu mais de Jovane do que de Bruno Fernandes nos respectivos períodos da época.

Ao contrário do Sporting, o FCP parece ter os golos relativamente distribuídos pelo resto da equipa (faltando ver os avançados). De dizer que os 31% de Vietto representam 7 golos e assistências, os 23% de Otávio representam 12.

Pizzi, embora tenha feito uma estupenda época, talvez não tenha tido tanta preponderância como o prémio de melhor jogador sugere.

Incluí Nuno Santos devido ao recente interesse noticiado. Desconheço o jogador, não sei se jogará em posições mais recuadas, mas não teve uma época muito profícua nestes âmbitos. Contudo, já vi análises que sugerem que terá potencial para ser trabalhado.

3. Avançados

Como já é sabido, os jogadores visados até agora não tinham necessariamente marcar/assistir como função principal.

Como já tinha sido mostrado, Vinícius tem uma prestação ao nível de um Messi. 68 minutos é impressionante.

Paulinho tem números que confirmam a boa época e Bruno Duarte, apesar de ter pouco tempo de jogo, fez uma boa estreia.

Mas, no geral, a prestação dos avançados é fraca.

Nas cores, optei por verde escuro para menos de 90 minutos. Entre 90 e uma prestação semelhante à do Lima meti verde-lima. Entre números semelhantes aos de Lima e números semelhantes aos de Montero meti amarelo. Abaixo disso, vermelho. E vermelho escuro para avançados que precisem de mais de 2 jogos para fazer uma contribuição, em média.

Luis Phellype tem um registo aceitável, mas, como já referi, tem apenas 1000 minutos…

…Mas, novamente, não dá para prestar grande atenção a nada, quando temos Sporar e Vietto destacadíssimos no fundo da tabela, com o avançado do último classificado, Mehrdad Mohammadi a conseguir um registo melhor…o que é, realmente, preocupante.

Vamos ver como ficam as coisas quando se coloca os números relativamente às respectivas equipas.

Bem, Mehrdad destacadíssimo em primeiro lugar…mas isso é natural, tendo em conta que ele esteve numa equipa que só produziu 20 golos com ele em campo…certo?…é que Sporar tem apenas 41% e a equipa apenas produziu 17 golos no período em que ele jogou.

De qualquer modo, Mehrdad, dada a contribuição que deu, seria interessante observá-lo num contexto mais favorável. Também Bruno Duarte e Taremi revelam bons indicadores.

Tal como nos médios (e juntando-lhes Alex Telles), o FCP distribui os golos de uma forma muito uniforme por diversos jogadores. Ao contrário, por exemplo, do Benfica, que dependeu imenso de Vinícius, Pizzi e Rafa.

Mas chega de paleio, vou partilhar as tabelas mais completas, com esta estética elifútica. Tirem as conclusões que entenderem. E discutam.

Nota: inclui o André Almeida só para mostrar que foi mais produtivo do que Sporar e Vietto, avançados titulares do Sporting.

G+A: Golos + Assistências (sem penaltis)

Golos Equipa: Golos que a equipa marcou (sem penaltis) durante o período em que o jogador estava disponível (ou seja, desconta-se lesões longas, ou transferências a meio da época)

Minutos: Minutos jogados pelo jogador

Minutos equipa: Total de minutos possíveis de terem sido jogados pelo jogador, enquanto este esteve disponível (novamente, são subtraídos períodos de lesão, ou transferência)

% Minutos da Equipa: Percentagem dos minutos possíveis que foram jogados pelo jogador (números a verde são mais fiáveis, a vermelho são menos fiáveis)

Contribuição: Percentagem de golos que o jogador contribuiu para a equipa, baseada na razão entre os minutos/golos+assistências do jogador e os minutos/golos da equipa.

The post Balanço Avançados 19/20 appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/balanco-avancados-19-20/feed/ 0
Três mosqueteiros sem rumo e uma enorme falácia https://espartano.pt/tres-mosqueteiros-sem-rumo-e-uma-enorme-falacia/ https://espartano.pt/tres-mosqueteiros-sem-rumo-e-uma-enorme-falacia/#comments Mon, 03 Aug 2020 08:55:00 +0000 https://espartano.pt/?p=1272 Fomos, na passada sexta-feira, brindados pela surpreendente disponibilidade do Senhor Presidente da Mesa da Assembleia...

The post Três mosqueteiros sem rumo e uma enorme falácia appeared first on O Espartano.

]]>
Fomos, na passada sexta-feira, brindados pela surpreendente disponibilidade do Senhor Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal – Dr. Rogério Alves – para receber três associados do Clube, tendo em vista uma revisão estatutária que preveja a introdução de uma segunda volta nos actos eleitorais do Sporting Clube de Portugal.

Se a disponibilidade demonstrada por Rogério Alves é de salutar, pois a sua disponibilidade para ouvir as preocupações dos Sócios do Sporting Clube de Portugal bem sabemos que é totalmente inexistente, não menos o é a iniciativa destes associados, assim fosse a sua proposta de revisão estatutária, transparente, democrática e abrangente em vez de, infelizmente, se revelar pouco clara quanto aos seus objectivos, aversa a um processo democratizador do Clube e sectária na medida em que visa continuar a “defender” apenas alguns sectores do Sporting Clube de Portugal.

Entendo que para os Sportinguistas mais desatentos, a proposta apresentada por Vitalino Canas, Fernando Tavares Pereira e Joaquim Coutinho Duarte pareça consistir num processo democratizador do Sporting Clube de Portugal e que vise representar a maioria de vontade dos Sportinguistas, evitando que no futuro existam Presidentes eleitos que não representem a vontade da maioria dos Sportinguistas, tal como em 2018 sucedeu com Frederico Varandas que venceu as eleições apesar de não ser o candidato representativo da maioria dos Sócios participantes dessas Eleições.

Veja-se que nos últimos meses vários sectores do Sporting Clube de Portugal têm veemente vindo apresentar aquelas que são as suas propostas para um Sporting que continue a ir ao encontro dos seus interesses em vez de, juntos, trabalharmos para um Sporting democrático e transparente nos seus processos, evitando assim suspeição e clima de guerrilha que em nada abonam a favor da estabilidade que um Clube necessita de ter para alcançar o sucesso, senão vejamos:

  1. Introdução do sistema de i-voting;
  2. Introdução de uma segunda volta nas eleições para os Órgãos Sociais do Clube;
  3. Fim das Assembleias Gerais nos moldes em que actualmente as conhecemos entregando a decisão dos sócios nas mãos de um conjunto de notáveis celebridades;
  4. Introdução de eleições primárias onde, pasmem-se, até os nossos rivais poderiam participar influenciando e interferindo na decisão do futuro da maior potência desportiva nacional – o Sporting Clube de Portugal;

Aos proponentes e meus consócios, das acima referidas propostas resta-me apelar: por favor pensem no Sporting, no seu futuro e nos seus Sócios em vez de continuarem a andar a soldo dos interesses mais obscuros e destrutivos do Sporting Clube de Portugal. Pensem, por favor, no Sporting dos nossos filhos, dos nossos netos e no legado que lhes queremos deixar, não faltando por aí exemplos que fortemente nos facilitam o pensamento e escolha de que futuro queremos para o Clube, como são por exemplo o caso do Desportivo das Aves, do Valência ou do Belenenses.

Aos Sócios do Sporting Clube de Portugal permito-me deixar a seguinte reflexão: o Clube só alcançará sucesso desportivo e financeiro com estabilidade associativa e directiva. Contanto, tal estabilidade só é possível de alcançar com processos transparentes e democratizadores da vida associativa do Clube que não deixem qualquer margem para suspeições ou conspirações em torno das mesmas. A introdução do i-voting, de uma segunda volta eleitoral ou a introdução de eleições primárias, creiam, só virão acicatar mais os ânimos entre Sportinguistas, só virão acentuar a clivagem existente entre sectores de opinião e só prepetuarão no Clube uma dinastia que há muita se revela tóxica e desinteressada do sucesso do Clube: a dinastia dos negócios e dos interesses.

O Sporting Clube de Portugal tem um futuro ambicioso e promissor à sua frente. O Sporting Clube de Portugal tem um futuro de Glória e sucesso à sua frente. Contudo, recordem-se os Sócios do Clube que essa ambição, glória e sucesso fica intrinsecamente dependente das decisões que tomarmos hoje.

Se queremos transparência e democracia no Sporting Clube de Portugal temos de optar por uma mudança que represente todos os Sócios, todos os sectores de identidade do Clube e que termine com a senda de dúvida e guerrilha interna: atribuição de um voto por cada Sócio, com excepção dos Associados com, por exemplo, mais de 15 ou 20 anos de filiação, em relação aos quais, naturalmente, se deveria premiar a sua antiguidade com a atribuição de, por exemplo, mais 1 ou 2 votos em relação aos restantes.

Repare-se que a aprovação desta proposta pelos Sócios do Clube permitiria que com uma só alteração estatutária se resolvessem as restantes propostas entretanto apresentadas, pois com um voto por cada Sócio, a vontade dos Sportinguistas estaria sempre verdadeiramente expressa e presente em todas as decisões para o Clube.

Com tanta desunião, com tanto clima de suspeição, falta de transparência e guerrilha; com problemas graves a nível financeiro e desportivo; será que, face a isto, a maior prioridade para o Sporting Clube de Portugal é a introdução do i-voting? Ou a urgência de manter opacidade dos processos e procedimentos, alegadamente, democráticos na vida activa do Clube, obrigam à introdução do i-voting?

Não receiem acabar com os interesses instalados, não receiem acabar com hábitos enraizados e ultrapassados e recordemo-nos todos que se consideramos a proposta de um voto por cada Sócio algo de elevada sensibilidade é então porque de facto esta é uma proposta que sem dúvida contribuirá para a estabilidade e sucesso do Sporting Clube de Portugal.

Viva o Sporting Clube de Portugal!

The post Três mosqueteiros sem rumo e uma enorme falácia appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/tres-mosqueteiros-sem-rumo-e-uma-enorme-falacia/feed/ 1
Rei Leão em alta definição https://espartano.pt/rei-leao-em-alta-definicao/ https://espartano.pt/rei-leao-em-alta-definicao/#respond Sun, 02 Aug 2020 08:55:00 +0000 https://espartano.pt/?p=1266 Era suposto estar de “férias”, mas os últimos acontecimentos no Sporting anteciparam este meu artigo...

The post Rei Leão em alta definição appeared first on O Espartano.

]]>
Era suposto estar de “férias”, mas os últimos acontecimentos no Sporting anteciparam este meu artigo cujo tema já tinha escolhido antes da minha série de antevisão dos jogos do futebol sénior masculino.

Venho dar-vos uma ideia que me surgiu após alguns factos que foram acontecendo e que cada vez mais vão justificando esta minha visão das coisas.

O Sporting tornou se o filme do Rei Leão em termos reais. Primeiro, a questão central do filme aborda a traição de um membro leonino ao seu chefe máximo (tal como aconteceu em 2018, mas teve preparação muito antes).

Simba fica um pouco sem saber o que fazer e entra nas manipulações do traidor (os sócios votantes nesta direção). As hienas representariam a imprensa desportiva, com a qual a anterior direção tinha as relações cortadas, e Jorge Mendes que é do rival e que do Sporting apenas quer os jogadores bons.

Nestes pouco mais de 2 anos de mandato, já deu para entender qual o seu objetivo e a cada dia vai se tornando mais óbvio também para alguns Sportinguistas mais dormentes à sombra da bananeira, mas o tempo também vai passando. E o tempo é lhes favorável.

Cabe a nós sócios seguir o roteiro e acabar com os traidores antes que seja tarde demais. Quanto mais se fala de que não se é capaz, mais nós temos que lutar e provar o contrário.

Até uma próxima, forte abraço e ACORDA SPORTING
#AcordaSporting 

The post Rei Leão em alta definição appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/rei-leao-em-alta-definicao/feed/ 0
As bolhas da retoma https://espartano.pt/as-bolhas-da-retoma/ https://espartano.pt/as-bolhas-da-retoma/#respond Sat, 01 Aug 2020 08:55:00 +0000 https://espartano.pt/?p=1263 NBA e WNBA estão de regresso! Como não podia deixar de ser, o assunto vai...

The post As bolhas da retoma appeared first on O Espartano.

]]>
NBA e WNBA estão de regresso! Como não podia deixar de ser, o assunto vai ser este tão aguardado regresso, falando claro um pouco de algumas transferências em destaque no basquetebol europeu.

Atualidade Internacional (USA)

Depois de tanto se ter falado de como seria o regresso do basquetebol nas ligas mais fortes do mundo, surgiram as bolhas: no complexo Walt Disney World, na Florida para a NBA, e a bolha da WNBA, também na Florida, mas neste caso no IMG Academy, em Bradenton. Muito esperado estes regressos que já nos deram vários jogos amigáveis que nos indicaram as equipas que se vão destacar e que aparentemente estão um pouco mais fortes para as conquistas dos anéis.

NBA

Foram 3 meses de paragem que acabaram este mês. Primeiro a entrada na bolha que só trouxe polémicas e equipas ainda mais enfraquecidas, como aconteceu com os Brooklyn Nets, que perdeu antes dos amigáveis 4 jogadores, entre eles DeAndre Jordan e Spencer Dinwiddie. Uma equipa que já não podia contar com Kevin Durant ou com Kirie Irving, mas claro foram alguns jogadores a testar positivo antes de entrarem na bolha e alguns (poucos) a testar e a dar positivo já dentro da bolha.

Dentro das polémicas a que se destaca, até por ser a mais recente, foi a de Lou Williams que saiu da bolha sem autorização para ir a um clube de strip. A NBA investiga todo este acontecimento que marcou todo este período na bolha, mas está em cima da mesa um período de quarentena e o regresso à bolha.

Mas o regresso ficou definido com 22 das 30 equipas, as 16 que estão em lugar de apuramento para os play-off (oito de cada conferência), mais o nono classificado da Conferência Este (Wizards) e as cinco do Oeste entre o nono e o 13.º classificado (Blazers, Pelicans, Kings, Spurs e Suns).

Todas estas equipas vão realizar 8 jogos, pois é o numero de jogos que resta para o final da fase regular. No final destes oito jogos, se o nono classificado ficar a quatro jogos ou menos atrás do oitavo, vai existir uma série à melhor de dois entre estas duas equipas. Para o nono classificado ficar com o lugar nos play-off, terá de ganhar os dois jogos, já o oitavo só precisa de ganhar um para manter a posição. No fim disto, seguem-se os play-off em agosto, no formato normal e habitual com três séries à melhor de sete jogos em cada conferência e depois, claro, a final também disputada à melhor de sete.

A final é provável que seja no mês de outubro, mas claro vai depender de como tudo vai acontecer até lá. Os jogos amigáveis e de preparação para a fase regular foram de 22 a 28, com muita rotação, oportunidades para jogadores que tinham menos tempo de jogo e, em vários casos, jogadores que regressaram de lesões prolongadas ou de lesões menores que os afastaram nos últimos jogos antes da paragem, como o caso de Ben Simmons, dos Philadelphia 76ers, que tinha falhado vários jogos antes da paragem e regressou em grande forma.

Outros jogadores em situações similares são Kemba Walker, dos Boston Celtics, Jaren Jackson Jr. dos Memphis Grizzlies, Jusuf Nurkic dos Portland Trail Blazers, Fred VanVleet dos Toronto Raptors, entre outros. Estamos a falar de jogadores fundamentais nas estratégias para as respetivas equipas e, como tal, estes regressos são bastante importantes.

Neste regresso aos jogos de preparação tivemos por exemplo Bol Bol a ser um dos destaques maiores. O poste destacou-se pelas boas exibições numa equipa dos Denver Nuggets que se realça por ter vários jogadores muito altos, com Nikola Jokic, Bol Bol e Mason Plumlee a terem 2,10 metros ou mais, Paul Millsap com 2 metros e Jerami Grant com 2,03 metros. Todos eles jogaram e têm sido testados juntos como equipa inicial, por isso é uma equipa que se evidencia não apenas pela altura, mas também pela qualidade. Trata-se de uma das equipas que melhor estava a jogar antes da paragem e que era uma das equipas sensação de 2020.

Há a destacar a rotação dos Celtics que sentiu mais dificuldades, principalmente no aspeto defensivo, um dos pontos fortes da equipa que ficou afetado pela paragem. Os Celtics só ganharam um jogo nestes amigáveis, no caso o de dia 26 frente aos Phoenix Suns.

Os Dallas Mavericks, de Luka Doncic, esteve em destaque principalmente na vitoria sobre os LA Lakers de Lebron James, uma das equipas mais fortes e com um dos melhores jogadores da atualidade. LeBron James vai em busca do tão desejado anel, o seu quarto, e os Lakers, o seu décimo sétimo. Os Clippers, de Kawhi Leonard, uma das principais equipas também vai busca do anel, esperando que Kawhi faça o que fez em Toronto e leve os Clippers ao seu primeiro anel. Os Milwaukee Bucks, de Giannis Antetokounmpo, estão já nos play offs e é uma das mais favoritas para conseguir vencer no final. Os New Orleans Pelicans, com uma equipa que se destacou nestes jogos de preparação, com os jovens a conseguirem lidar com a ausência da estrela Zion Williamson, que ainda não contou para estes jogos. É uma das equipas com mais olhos postos em cima, com muita gente expetante para ver o que podem fazer em seguida e até onde conseguem chegar.

Os Boston Celtics que, com um Kemba Walker mais fresco e em melhor forma física, e um Tatum que regressou como se não tivesse parado, tenta recuperar o nível defensivo que a equipa apresentava antes, mas são, é claro, uma das equipas que melhor joga e uma das favoritas a chegar longe.

Ainda na NBA, foram várias as equipas a sentirem a paragem e o COVID-19 e que estão a preparar alguma redução de custos. Foi o caso dos Orlando Magic, que colocam a hipótese de trocar Aaron Gordon, que tem um contrato muito elevado e que parece não entrar nos planos de Magic.

Kevin Love é, mais uma vez, um dos nomes que levanta mais duvidas em relação à sua continuidade em Miami. Os Heat, apesar de garantirem que contam com ele, não escondem que, mesmo assim, ele pode acabar por sair. Bradley Beal, outro dos nomes mais fortes e com maior atividade em relação a rumores acerca do seu futuro, que apesar de ser apontado a quase todas as equipas principalmente as com ambição ao campeonato os Wizards não vão aceitar qualquer oferta.

Para terminar a atualidade da NBA, falamos dos New York Knicks que confirmaram o acordo com Tom Thibodeau para os próximos 5 anos, com isto já se sabe que Taj Gibson é reforço.

WNBA

Depois de alguns rumores sobre o regresso da WNBA, e a certa altura até se falou que não ia acontecer, mas a verdade é que aconteceu e ainda bem.

O regresso da WNBA vai ser com 22 jogos para cada equipa, com os play-offs a serem disputados na sequência. O que fica é a diferença tremenda para a bolha luxuosa da NBA, onde os jogadores têm todas as comodidades, ao contrario do que acontece com a WNBA, onde, apesar de algumas melhorias ao longo deste tempo, a bolha continua a estar bem longe do que devia ser.

Doze equipas com 22 jogos. A fase regular que deve acontecer até setembro e aí devem começar os play-offs, com a final a ser em outubro, em data ainda a definir por estar dependente de tudo o que vai acontecer até essa altura.

Em relação ao regresso, há muitas expetativas para alguns jogos e para se ver a forma de algumas jogadoras e de algumas equipas. Sabrina Ionescu, a primeira escolha do ultimo draft, já se estreou nos jogos de preparação, com exibições sólidas e de qualidade para uma jogadora que já é e vai ser cada vez uma estrela na liga.

Quem regressou em grande foi a equipa dos New York Liberty, Breanna Stewart, a MVP de 2018, está em grande forma e neste regresso tem sido das melhores jogadoras, ela que joga nos Seattle Storm, uma das equipas que, tal como as Liberty que se tem destacado tanto pelo nível apresentado pela Breanna e também pela craque Sue Bird, a experiente jogadora com 16 anos na WNBA.

Algumas jogadoras a destacar são, claro, Candace Parker e Nneka Ogwumike dos Los Angeles Sparks, principalmente Nneka que está numa forma absolutamente incrível e demonstrou isso mesmo nestes jogos de preparação para a fase regular.

Entre todas as baixas nesta época, há a destacar as campeãs Washington Mystics, porque estão sem 3 das melhores jogadoras, Tina Charles, que foi a troca bombástica da offseason, a base Natasha Cloud, que abdica de estar na bolha para ajudar no combate pela justiça social, e ainda Elena Delle Donne, que não está presente por razões físicas. Temos ainda as Las Vegas Aces que não podem contar com a estrela da companhia, Liz Cambage, e as Sparks que, apesar de tudo, não podem contar com Chiney Ogwumike e Kristi Toliver, ambas por razões físicas.

Temos de destacar ainda Jacki Gemelo que fez a estreia pelas Connecticut Sun, 5 anos depois ela regressou à WNBA, uma jogadora de uma garra tremenda que tem uma lesão crónica no joelho desde os 15 anos. Sonhou e nunca desistiu de jogar na WNBA. Conseguiu e, mesmo afastada vários anos, ela nunca desistiu e conseguiu o regresso. Podia ter tido uma carreira enorme pela qualidade, mas fica uma jogadora lutadora que espero consiga mostrar finalmente toda a qualidade que tem.

Atualidade Europeia

Masculina

Mudando para o continente europeu, antes de passar para as transferências é preciso destacar Deni Avdija, o jovem talento israelita que ajudou o Maccabi Fox Telaviv a conquistar o terceiro titulo israelita consecutivo. Avdija tornou-se aos 19 anos no mais jovem MVP de sempre, ele que vai estar no draft da NBA e um dos jogadores mais pretendidos estando, entre os primeiros no draft.

Passando agora para a atualidade do mercado de transferências europeu, importa falar do veterano e ex NBA Amare Stoudemire que, depois dos rumores de que podia terminar a carreira ou que podia estar de saída do Maccabi Tel Aviv, tudo indica que o contrato de renovação está quase assinado e, por isso, fica mais um ano nos campeões israelitas.

Uma das novidades dos últimos dias é Jayson Granger que já tem clube para o próximo ano. Depois de ser campeão em Espanha com o Baskonia, Granger muda-se para o Bayern Munich. Aleksa Radanov, um dos jovens mais promissores a nível europeu, que estava por empréstimo no FMP e era para ficar por mais um ano, mas o Crvena Zvezda decidiu recuperar Radanov mais cedo. O Crvena mudou muita gente, mas entre os reforços estão jogadores como Jordan Loyd, Corey Walden, Langston Hall e ainda o poste Landry Nnoko, eles que renovaram ainda com a maior figura da equipa e capitão Marko Simonovic. Por isso e, mais uma vez, é uma equipa para se acompanhar e que vai ser sem menor duvida umas das equipas em destaque a nível europeu.

Facundo Campazzo, um dos nomes do momento, está em vias de ir para a NBA e, depois de ser apontado a varias equipas, os Dallas Mavericks parecem ser neste momento a equipa que está na frente para contratar o excelente jogador argentino do Real Madrid.

Quem também estaria de saída dos madrilenos era Nicolas Laprovittola, o também argentino, era dado como certo no Panathinaikos, mas com a perda quase iminente de Campazzo, o Real Madrid não quer perder Laprovittola e prepara já uma melhoria de contrato. Zalgiris continua a renovar a equipa e o australiano Jock Landale, que tem como ambição ir para a NBA, anunciou que está de saída dos Lituanos, ele que já recusou mesmo o Barcelona, depois de Sarunas Jasikevicius o ter tentado contratar, mas ele não aceitou e só pensa em conseguir saltar para a NBA. O Zalgiris que está a renovar aponta agora para Patricio Garino que é jogador livre depois de ter sido campeão com o Baskonia e o Zalgiris estará perto de o anunciar, apesar de outras equipas com interesse no argentino. O Zalgiris garantiu já Augustine Rubit que estava no Olympiacos.

O Fenerbahce, depois da mudança de treinador, está também a alterar a equipa e a última aquisição foi Jarell Eddie, que assinou um contrato de um ano mais um de opção para o atirador americano que esteve na última época em Espanha no UCAM Murcia.

Para terminar falar do Valencia que contratou Jaime Pradilla ao Zaragoza. Mais uma vez o Valencia contrata uma jovem promessa ao Zaragoza, tal como tinha feito com Sergi Garcia. Desta vez foi o jovem Pradilla, de 19 anos, e 2,02 metros. Muita qualidade e mais uma demonstração de como o Valencia e, por tudo o que tem feito neste mercado, vai ser uma das equipas mais fortes em Espanha.

Feminina

Na atualidade do basquetebol europeu feminino, temos algumas transferências a destacar, como o Nissan Al-Qazeres Extremadura que anunciou a turca Merve Aydin. A extremo muda-se para Espanha para a mesma equipa que umas semanas antes tinha garantido a norte-americana Alexa Hart. Raisa Musina é outro dos destaques. A poste russa de 22 anos assinou pelas russas do Dynamo Kursk, depois de 3 anos nas também russas UMMC Ekaterinburg, ela que foi escolhida no draft da WNBA em 2018 pelas Phoenix Mercury, mas acabou por regressar à Europa.

Uma das transferências até um pouco surpreendentes é a ida da internacional belga Kyara para a segunda divisão italiana ao assinar pelas LinskensLa Molisana Campobasso, ela que foi associada a várias outras equipas.

A poste maliana, Nassira Traore, que se muda para as francesas do Sannois Saint Gratien. Ela estava nas também francesas do U.S. Colomiers e em Portugal na Quinta dos Lombos, em 2018/2019. Marta Vulovic a poste sérvia, mudou-se do Crvena Zvezda para as eslovenas do Triglav Vadoli Kranj. A equipa russa da Enisey Krasnoyarski kraj  contratou a extremo russa de 22 anos, Daria Kurilchuk e, para concluir, falar da portuguesa Joana Alves, a poste portuguesa de 23 anos. Estava nos últimos 4 anos na universidade de Seattle, onde se destacou e por isso mesmo muda-se para Espanha, para a equipa Bizkaia da segunda divisão, e Laura Ferreira, de 21 anos, que continua em Espanha, mudando-se do Al Qázeres para o CD Zamarat.

Atualidade Nacional

Masculino

Começamos pela atualidade nacional masculina com o Sporting que regressou aos trabalhos para a preparação para a nova época. Hoje marca o recomeço dos treinos normais de preparação, para uma época em que vamos voltar a estar nas competições europeias. Ainda no Sporting que oficializou Jalen Henry. Já era sabido, mas ainda bem que não caiu, pelo menos aqui não tivemos reforços a cair, como aconteceu no futsal.

Na atualidade nacional, tivemos o sorteio para a Liga Placard. O Sporting começa com uma visita ao Galitos do Barreiro, a 17 de outubro, com o horário ainda a definir. Fica aqui o link para consulta do calendário completo que dita o primeiro grande jogo à 8ª jornada, em que recebemos o FC Porto.

Outras transferências em destaque no nosso país são várias, como a Ovarense que garantiu o norte-americano Brock Gardner, um extremo-poste de 22 anos, que se junta a Kendall Jacks como os únicos reforços de Nuno Manarte até ao momento

O SL Benfica garantiu o base Caleb Walker que chega da segunda divisão francesa, bem superior à nossa liga. É um atirador, mas um jogador mais barato do que por norma Carlos Lisboa costuma ir buscar. Apesar disso é um jogador  mais do que suficiente para render na nossa liga, ainda para mais atirador como não podia deixar de ser, quando é uma escolha de Carlos Lisboa.

Falar ainda de uma troca de equipas nacionais do base Montell Goodwin que troca o Esgueira pelo Lusitânia, na Oliveirense com um regresso, neste caso, o extremo-poste belga de 29 anos, Thomas De Thaey, um ano depois de ter saído para os Espanhóis do Breogán. Ty Toney foi oficializado como reforço do Imortal, já se sabia qual era o rumo o ex-jogador do Sporting, que é curto para jogar de verde e branco, mas vai ser jogador em destaque nos algarvios.

O Maia Basket começa a arrumar a casa e a definir como vai ser o plantel da próxima época. Entre as várias entradas e saídas, temos de destacar a entrada do norte-americano Romani Hansen, um extremo de 23 anos.

Para terminar a atualidade nacional masculina, destacamos André Cruz, um jovem de 18 anos, extremo que esteve emprestado pelo Sporting ao Academia do Lumiar e que na próxima época vai ser orientado por Sérgio Ramos no Belenenses, que está a apostar forte para garantir a subida à primeira divisão.

Feminino

Na atualidade do nosso basquetebol feminino, tivemos também o sorteio da próxima época, com o União Sportiva a começar com uma viagem à Madeira para visitar o CAB Madeira. O Quinta dos Lombos começa a época a receber o SL Benfica e o Olivais vai visitar o AD Vagos, todos estes jogos no dia 3 de Outubro com os horários ainda por definir.

Fica aqui o link do calendário completo.

Ainda na atualidade nacional, há a destacar algumas transferências. Em maior destaque surge a melhor defensora da Liga, Márcia Costa que assinou pelo GDESSA. A base de 30 anos muda-se para o Barreiro depois de uma época muito boa no Quinta dos Lombos.

O Olivais mudou de treinador e aposta no ex-Ovarense Jorge Maia para liderar a equipa na busca pelo bicampeonato, ele que substitui Eugénio Rodrigues, que se muda para o SL Benfica, Vai tentar levar a equipa da luz aos primeiros lugares, algo que parece altamente improvável.

Destacar ainda e como sempre o União Sportiva que, mais uma vez, contratou muito bem. Neste último caso, a última contratação foi a norte-americana Nasrin Ulel de 21 anos que estava na Gulf Coast University na Florida. Irá fazer assim a primeira época como sénior e como profissional, ela que se destacou na Florida, tendo sido escolhida para a segunda melhor equipa. Por isso, mais uma boa contratação a chegar a Ponta Delgada.

Josephine Filipe, ex-Benfica, saiu e ainda não se sabia para onde iria. Vai para as espanholas da Fundación Ardoi. O Esgueira que se reforçou na Ovarense indo buscar Ana Raimundo e Gabriela Raimundo, duas bases que não são só jogadoras da mesma posição como gémeas.

Para terminar falamos do CAB Madeira que foi buscar a base Carolina Bernardeco ela que estava na Universidade de Queens nos EUA.

The post As bolhas da retoma appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/as-bolhas-da-retoma/feed/ 0
Batota no jogo https://espartano.pt/batota-no-jogo/ https://espartano.pt/batota-no-jogo/#respond Thu, 30 Jul 2020 08:55:00 +0000 https://espartano.pt/?p=1259 Quando participamos num jogo, seja ele de cartas ou de sociedade, trata-se duma forma de...

The post Batota no jogo appeared first on O Espartano.

]]>
Quando participamos num jogo, seja ele de cartas ou de sociedade, trata-se duma forma de entretenimento que no fundo acaba por nos dar prazer.

A partir do momento que há outro participante que faça batota, o prazer termina imediatamente e o sentimento de injustiça prevalece. Convém, no entanto, referir que além desse sentimento extremamente revoltante, fica provada toda falta de respeito e fair-play do indivíduo que praticou essa actividade tão pretensamente apreciada pelo comum “chico-esperto” português.

Trata-se duma espécie que progrediu no pós-25 de Abril, num ambiente propenso ao seu desenvolvimento. Caracteriza-se pela sua noção de se julgar mais esperto que os restantes, sem valores nem princípios onde a honra e bons costumes não existem de todo. O seu principal objectivo é ultrapassar todos sem ter pejo nenhum em prejudicar os outros. Na realidade, para estes seres “superiores”, os outros não existem pois tratam-se de meras figuras decorativas que compõem a sociedade. Um mal necessário pois sem estes não teriam a quem enganar…

Voltando ao jogo, após verificarmos a batota temos duas possíveis hipóteses: ou partimos para a ignorância e pegamos pelos colarinhos do prevaricador, e sabe-se lá onde pode terminar essa demanda, ou… simplesmente retiramo-nos do jogo.

No caso do nosso Sporting, esta direcção retirou-se de jogo, ao contrário do que fez Bruno de Carvalho que enfrentou e propôs modificações para combater esse mal. O Problema é que o clube mantém-se no jogo, órfão de direcção para o defender.

Mas esta direcção ao retirar-se de jogo, não se absteve de usar o clube de maneira vil para satisfazer os seus intentos, que ainda não chegaram ao seu cume. Penso que no momento que a SAD for vendida maioritariamente a algum investidor, então os objectivos serão cumpridos.

Esta direcção não se interessa pelo jogo ou pelos adeptos, apenas pelas negócios que podem realizar, todos eles muito pouco claros para os sócios. No fim trata-se duma questão de dinheiro, qual amor ao clube, esse disparate tão grande tem o predecessor…

Afinal de contas, estes notáveis não passam de meros “chicos-espertos” anteriormente descritos.

Posto isto, vale a pena voltar à questão da batota e dos batoteiros. A quantidade de processos que o clube do outro lado da 2a circular soma só não impressiona aos mais distraídos. E distracções são eles peritos em criar com um exército de peões prontos a difundir pelos diferentes media a propaganda definida. Somente umas mentes distorcidas poderiam levar o futebol a este nível tão nojento e só um País estruturalmente deformado como Portugal poderia permiti-lo.

A minha útima esperança será poder contar com a justiça ainda não “comprometida” para pôr um ponto final nesta vergonha, pois mesmo Al Capone acabou por terminar o seu reinado a determinado momento.

O julgamento da operação Lex vai arrancar, a investigação das claques está em curso com divulgação de algumas notícias vergonhosas, o acusado Paulo Gonçalves que, afinal de contas, continua a trabalhar para a direcção do Benfica, os contratos com os jogadores do Aves, tudo isto vem acrescentar à já longa lista.

Tanto que LFV e o seu apóstolo tiveram de fazer uma reunião (quase) secreta ao homem das malas antes do seu depoimento na judiciária. Enfim é mais do mesmo…

Estas últimas notícias em relação ao tão propalado reino do carnidistão, que invadiu o outro clube grande da capital, permitem antever uma queda para breve. No entanto, os eventos dos últimos anos têm nos ensinado que o crime compensa, com a conivência e cumplicidade da magistratura, dos altos cargos políticos, do dirigismo desportivo em geral, assim como dos media.

Batota e chico-espertismo são os regimes que temos de combater! São tão a fonte de todos os males que necessitam duma resposta severa e exemplar da justiça.

Ficamos a aguardar…

The post Batota no jogo appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/batota-no-jogo/feed/ 0
À conversa com Luís Gestas https://espartano.pt/1256-2/ https://espartano.pt/1256-2/#respond Tue, 28 Jul 2020 22:42:38 +0000 https://espartano.pt/?p=1256 Esta terça-feira, a plataforma “O Espartano” teve como convidado o ex-vogal para as Modalidades e...

The post À conversa com Luís Gestas appeared first on O Espartano.

]]>
Esta terça-feira, a plataforma “O Espartano” teve como convidado o ex-vogal para as Modalidades e para o Desporto Paralímpico do Sporting Clube de Portugal, Luís Gestas.

Entre outros, os temas abordados foram:

Balanço do mandato de 2013 a 2017
A entrada no CD de Bruno de Carvalho
O trabalho nos núcleos
As Modalidades e o Desporto Paralímpico
Comentário ao trabalho do actual Conselho Directivo do Sporting CP

Subscrevam aqui para não perder novos conteúdos

The post À conversa com Luís Gestas appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/1256-2/feed/ 0
O que melhorou com Rúben Amorim https://espartano.pt/o-que-melhorou-com-ruben-amorim/ https://espartano.pt/o-que-melhorou-com-ruben-amorim/#comments Tue, 28 Jul 2020 08:55:00 +0000 https://espartano.pt/?p=1221 Isto  vai ser um bocadinho complexo, vou tentar explicar tudo devagarinho. Antes de mais, devo...

The post O que melhorou com Rúben Amorim appeared first on O Espartano.

]]>
Isto  vai ser um bocadinho complexo, vou tentar explicar tudo devagarinho.

Antes de mais, devo explicar que estou consciente de que os parâmetros que recolhi não representam verdades absolutas, e que a amostragem que temos é demasiado pequena para conclusões.

Ainda assim, o que não falta são colunistas e afins que sentenciam coisas como “a equipa melhorou” sem apresentar um único dado que sustente o que afirmam. Penso que não estarei a cometer um crime ao recolher dados para tentar chegar a uma conclusão.

Já agora, quando comecei a fazer esta análise não fazia a menor ideia de como iriam ser os resultados. Tenho um vício estúpido de primeiro tentar descobrir coisas sobre o assunto, e só depois tirar as minhas ilações a partir delas (em vez de tirar conclusões, e depois tentar descobrir argumentos para sustentá-las, como as pessoas inteligentes fazem).

O que faz de um treinador bom?

Conheço três respostas populares:

1- Ter bons resultados

2- Mete a equipa a jogar bem

3- Potencia o rendimento dos jogadores

Qual destas vamos avaliar? Todas, pois claro!

Então, de que esperamos? Vamos começar!

RESULTADOS

A primeira coincidência aqui: entre o jogo com o Aves e o jogo com o SLB, Rúben Amorim tem uma média de 1.91 pontos por jogo. Entre o jogo com o Aves e o jogo com o SLB, Silas tem uma média de 1.91 pontos por jogo.

Mas, claro, há jogos que são em casa, jogos que são fora, entre outros factores que modificam a dificuldade. Seria justo arranjar-se uma forma de ter isso em conta.

Fui, portanto, ao oddsportal.com ver as odds de vitória para cada jogo. E deparei-me com isto.

Antes de mais, uma nota: devido à ausência de público, os jogos efectuados durante o período pandémico têm um factor casa reduzido. Ou seja, durante esse período, nas odds, reduziu-se ligeiramente a vantagem dos jogos em casa (e também se reduziu ligeiramente a desvantagem das odds nos jogos fora).

Quanto aos dados:

– Embora Rúben Amorim tenha tido os dois jogos mais difíceis, 8 dos seus 11 jogos foram na zona verde

– Silas tem 10 dos seus 17 jogos na zona alaranjada/vermelha.

– Na zona verde, Silas tem 7 vitórias em 7 jogos, enquanto Rúben Amorim tem 2 empates em 8 jogos.

– Todos sofreram derrotas nos jogos com a odd muito baixa.

– O jogo mais difícil (fora clássicos) que Rúben Amorim teve, conseguiu um empate. Silas, no jogo com a odd mais semelhante a esse jogo (a ida aos Arcos), também conseguiu um empate.

– Há 9 jogos com odds entre 1.7 e 2.2. Rúben não participou em nenhum deles. Portanto, não há termo comparativo para os 6 jogos que Silas efectuou nessa região. (Silas venceu 3 e perdeu outros 3).

Resumindo, tudo semelhante. Ambos ganham os jogos fáceis, ambos vacilam (de forma idêntica) quando a dificuldade aumenta.
Nos jogos de dificuldade intermédia-alta, em 11, apenas 1 é de Rúben Amorim, e 7 são de Silas. Nos jogos de dificuldade intermédia-baixa, em 11, apenas 2 são de Silas e 7 são de Rúben Amorim.

Portanto, para além de uma engraçada coincidência simétrica, temos muito pouco por onde comparar estes jogos com a devida justiça. Mesmo assim, os resultados são (muito) semelhantes.

JOGAR BEM

O que é jogar bem? Nenhum de nós sabe ao certo. Mas penso que será relativamente seguro afirmar que quanto mais perto a equipa estiver da vitória, melhor jogará.

E como é que uma equipa se coloca mais perto da vitória? Bem, se o objectivo é marcar (e não sofrer) golos, penso que se poderá postular que quanto mais ocasiões para marcar golo conseguirmos, e quanto menos ocasiões proporcionarmos aos nossos adversários, melhor jogaremos.

Para determinar se conseguimos mais ou menos situações de golo, vou propor uma consulta ao https://fivethirtyeight.com/.

Eles criaram um modelo que avalia as performances das equipas com 3 parâmetros:

– Golos ajustados: Isto ajusta o resultado consoante o peso/impacto do golo no jogo. Por exemplo, se estiver 1-0, e uma equipa marcar o 1-1 aos 90+6, esse golo tem um peso enorme no jogo. Se, por outro lado, uma equipa está a ganhar 5-0, e marca o 6-0 aos 90+6, esse 6º golo tem um peso muito reduzido.

– Golos esperados: Eles avaliam as situações que uma equipa cria num jogo e determinam quantos golos é que seria normal que essa equipa tivesse marcado. Por exemplo, cada penalti tem 80% de probabilidade de dar golo. Se uma equipa tiver 2 penaltis num jogo, é esperado que se marquem 1.6 golos (que é 80% vezes os dois penaltis). Eles calculam a probabilidade de cada situação, conforme factores como ângulo, ou posição do remate, e determinam quantos golos é que “em condições normais” cada equipa marcaria, conforme o que aconteceu no jogo.

– Golos esperados sem remates: É semelhante ao anterior, mas retirando os remates da equação. Por exemplo, se forem precisos 30 cruzamentos para ocorrer um golo, uma equipa que faça 15 cruzamentos (metade de 30) teria 0.5 golos esperados. Eles usam como exemplo que cada recuperação de bola na área adversária dá em golo 9% das vezes e um passe recebido no meio da pequena área dá golo 14% das vezes. Se somarmos esses valores de cada vez que essas situações ocorrem, ficamos com uma expectativa de quantos golos é que a produção da equipa deveria proporcionar.

No fim, fazendo uma média entre estes três parâmetros, conseguimos determinar um factor ofensivo e um factor defensivo.

Eles não revelam exactamente o algoritmo e todos os parâmetros para os cálculos. Mas temos um critério imparcial que nos permite verificar se estamos mais perto ou mais longe do golo – ou seja, se estamos a jogar melhor ou a jogar pior. Aqui tem a explicação que eles dão, caso queiram: https://fivethirtyeight.com/methodology/how-our-club-soccer-predictions-work/


Recolhi os dados e, antes de mais, aqui está a tabela completa da recolha, só para verem como ela fica feia sem maquilhagem:

Ok, agora já com tratamento feito. Vamos começar pela tabela final, com a média dos vários jogos. Depois, mais à frente, aprofundarei a análise, para quem quiser.

Temos, então, o comparativo entre os 4 treinadores desta época (os dois primeiros com uma amostra muito reduzida, claro): a média dos factores ofensivos em todos os jogos, a média dos factores defensivos em todos os jogos, e aquilo que chamei de “Factor”, que é apenas a diferença do factor ofensivo pelo defensivo. Para clarificar, por exemplo, no caso de Leonel Pontes, estes dados indicam que o que a equipa produziu. Nos jogos orientados por Leonel Pontes, seria normal marcar-se 1 golo por jogo (Ofensivo), e sofrer-se 1 golo por jogo (Defensivo), sendo, por isso, a diferença 0 (Factor).

Muito bem, primeiro, em termos de nível de dificuldade, os jogos de Rúben e de Silas são quase iguais, com apenas uma décima de diferença. Isto seria excelente, pois tornaria a comparação mais fiável…não fosse, como vimos atrás, isto dever-se, precisamente, a uma discrepância enorme de valores (Silas tem os jogos mais difíceis e os jogos mais fáceis, Rúben tem os jogos no meio, no fim a média dá igual).

Antes de passarmos a Silas e Rúben Amorim, convém destacar o quanto Keizer domina em termos ofensivos….e como é dominado em termos defensivos. O problema é que só é 0.2/0.4 melhor que Silas e Rúben Amorim, em termos ofensivos, e 0.8 pior (supostamente, significa que com ele se sofreria o dobro dos golos de Rúben Amorim, e marcar-se-ia mais 1 golo a cada 5 jogos).

Indo para os dois sujeitos da comparação, Silas e Rúben, Podemos ver que Silas tem ligeira vantagem em termos ofensivos, com Rúben a ter uma ligeira vantagem a nível defensivo, sendo que o factor, no final, oscila apenas 1 décima.

A vantagem é de Silas, mas penso que podemos, face à vestigial diferença registada entre ambos (em todos os parâmetros), considerar isto um empate.

De qualquer modo, seja empate, ou vantagem para Silas, não há absolutamente nada que sugira a tal “melhoria” que muitos comentadores afirmam ter visto (sem a terem justificado com nenhum tipo de fundamentação, tanto quanto saiba, visto não acompanhar muitos dos comentadores, convido qualquer leitor que esteja a par de alguém, a informar-me nos comentários).

a) Ofensivo

Antes de mais, vou só explicar o que estes números significam, muito por alto. Por exemplo, pegando no melhor e no pior jogo, em termos de produção ofensiva (Santa Clara e Setúbal, respectivamente), temos um factor ofensivo de 3, e um factor ofensivo de 0.37. Quer isto dizer que as situações que ocorreram ao longo do jogo (remates, expulsões, recuperações, golos, cantos, etc) levam a que o normal fosse o Sporting ter marcado 3 golos contra o Santa Clara…e 0.37 golos contra o Setúbal. Ou seja, se todos os jogos fossem como o jogo contra o Santa Clara, seria expectável que o Sporting marcasse uma média de 3 golos por jogo. Se todos os jogos fossem como o jogo com o Setúbal…seria expectável que o Sporting marcasse 1 golo a cada 3 jogos.

Portanto, não me ocorre nenhuma tendência que me leve a concluir que a equipa produza mais ofensivamente.

Aliás, podemos ver que Rúben Amorim tem 4 jogos nos 6 jogos com menos produção ofensiva, sendo que 3 deles não são de dificuldade elevada (ambos os de Silas nessa região são de dificuldade elevada).

O jogo de Rúben Amorim com maior produção, foi a recepção ao Aves (2 expulsões e um penalti são o tipo de ocorrências que fazem disparar estes números), que foi um jogo atípico (o jogo de Silas contra o Santa Clara, infelizmente, também foi atípico, sendo um jogo com uma produção ofensiva que uma equipa que quer lutar pelo título deveria reproduzir mais vezes ao longo da temporada).

b) Defensivo

A explicação para o que significam estes números é igual à explicação feita no parâmetro anterior. Só que, neste caso, são golos sofridos, em vez de golos marcados.

Mais uma vez, podemos verificar a generosidade defensiva de Keizer.

Como tem sido regra, tudo equivalente, nenhum sinal que evidencie algum tipo de melhoria; nos jogos com dificuldade mais acrescida, tanto Rúben como Silas revelam dificuldades. Nos jogos mais fáceis, conseguem ambos produção defensiva sólida.

Embora Rúben Amorim consiga os dois melhores jogos em termos de produção defensiva, um bocado à imagem do que acontecia no parâmetro ofensivo, são dois jogos atípicos (um contra um Aves reduzido a 9, e outro contra um Setúbal de Lito Vidigal em desespero pela permanência, que joga com uma filosofia anormalmente anti-ofensiva, num estilo que o meu avô carinhosamente apelidava de “Táctica do Cavalo Cansado”). Em todos os outros, a coisa permanece equilibrada.

c) Total

Este último parâmetro é a diferença entre os factores ofensivos e os factores defensivos.

O pior jogo da época terá sido o jogo no Dragão. Penso que todos concordaremos que isso aconteceria independentemente de quem se sentasse no banco do Sporting.

Nos melhores resultados e nos piores resultados, à excepção de um péssimo jogo em Barcelos e um magistral jogo em Santa Clara (uma excepção para cada lado), a diferença de qualidade, novamente, parece ter mais a ver com a qualidade do adversário do que com o treinador.

RENDIMENTO DOS JOGADORES

Finalmente, o último critério utilizado.

Não sabia bem como avaliar isto sem ver jogo a jogo com um bloco de notas. Mas, mesmo que fizesse isso, dependeria sempre da minha parcialidade. Portanto, fui ao SofaScore, e apontei as classificações médias dos jogadores por jogo.

Eu facilito: a média com Silas é de 6.93 e a média de Rúben Amorim é de 6.94. Uma centésima.

Conclusão

Olhando para todos estes parâmetros, todos eles (sejam globais, seja a prestação dos jogadores, seja ofensivo, seja defensivo, ou mesmo os resultados) apontam para uma só conclusão: que a equipa manteve o rendimento entre Silas e Rúben Amorim (ah, claro, e que tanto Silas como Rúben Amorim são melhores que Keizer e Leonel Pontes).

Face a tudo isto, parece-me estranho que haja tanto entusiasmo para o talento de Rúben Amorim e tanto pessimismo quando se olhava para Silas. Na realidade, o Sporting melhorou imenso com a chegada de Silas (em relação a Keizer/Pontes), ao contrário de Rúben Amorim (em relação a Silas).

Haverá aqui factores que influenciem, como Bruno Fernandes (os valores médios de Silas pós saída de Bruno Fernandes mantém-se semelhantes), o facto de Silas ter tido que pegar no leme a meio de uma tempestade, enquanto Rúben teve direito a uma mini pré-época, ou a presença do Covid, que terá influenciado muitos parâmetros.

Tudo isto serão factores aceitáveis, mas o que se está a avaliar é se deu para verificar melhorias na equipa com a chegada de Rúben. E os dados que recolhi – que são vários e costumam ser fiáveis – não permitem verificar qualquer melhoria. Poderá haver um viés devido às pequenas férias de confinamento terem sido seguidas de uma série de jogos fáceis (com o Vitória pelo meio, onde se empatou). Isto poderá ter permitido encarar os jogos com outro ânimo, sem o desgaste que vinha desde a pré-época a ver o futebol que sabemos.

Penso que há argumentos para afirmar que a prestação do Sporting esta época esteve mais dependente dos jogadores que teve ao dispor e dos adversários que defrontou, do que se era Silas ou Rúben Amorim que estava ao comando.

Eu – pessoalmente – sempre tive ideia de que Silas era competente, mas dispunha de uma equipa fraca (para além de dar ideia de nunca ter tido quem o apoiasse). Fico, portanto, mais descansado ao saber que os dados não parecem indicar que o Sporting tenha ficado a perder no departamento do treinador.

O que preocupa é que, embora não pareça que tenha ficado a perder, também não encontro dados que me indiquem que tenha ficado a ganhar. E, portanto, sabendo que se optou por pagar quase 15M (fora os ordenados, que já vi dizerem que levará a um total a rondar os 25M), por uma mudança vestigial, a confirmar-se, demonstrará que foi feito um enorme investimento no diagnóstico errado (têm sido mais os erros deste foro do que aqueles que normalmente seriam permitidos a algum administrador de uma empresa com 1/10 da dimensão do Sporting).

Com o agravar de (quanto a mim) se ter desrespeitado um profissional que sempre deu o seu melhor pelo clube e a quem não encontro motivos para ser responsabilizado pelo estado das coisas (até estabilizou a coisa, no início, que se encaminhava para proporções godinholópicas), sem que lhe tenha sido dada oportunidade para demonstrar o seu valor.

TL;DR: #justiçaparasilas #plantelpararuben

The post O que melhorou com Rúben Amorim appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/o-que-melhorou-com-ruben-amorim/feed/ 1
À conversa com Luís Gestas…Brevemente https://espartano.pt/a-conversa-com-luis-gestas-brevemente/ https://espartano.pt/a-conversa-com-luis-gestas-brevemente/#respond Mon, 27 Jul 2020 23:26:17 +0000 https://espartano.pt/?p=1249 Subscrevam aqui para serem notificados sempre que um novo vídeo sair!

The post À conversa com Luís Gestas…Brevemente appeared first on O Espartano.

]]>

Subscrevam aqui para serem notificados sempre que um novo vídeo sair!

The post À conversa com Luís Gestas…Brevemente appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/a-conversa-com-luis-gestas-brevemente/feed/ 0
À conversa com José Quintela https://espartano.pt/a-conversa-com-jose-quintela/ https://espartano.pt/a-conversa-com-jose-quintela/#respond Mon, 27 Jul 2020 23:16:39 +0000 https://espartano.pt/?p=1244 José Quintela assumiu as suas funções como Vogal do Conselho Directivo para a Comunicação, foi...

The post À conversa com José Quintela appeared first on O Espartano.

]]>

José Quintela assumiu as suas funções como Vogal do Conselho Directivo para a Comunicação, foi Director do Jornal Sporting e liderou o projecto da Sporting TV.

Para ver mais conteúdos, subscreva aqui

The post À conversa com José Quintela appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/a-conversa-com-jose-quintela/feed/ 0