O Espartano https://espartano.pt Fri, 22 Jan 2021 22:49:08 +0000 en-US hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.5.3 https://espartano.pt/wp-content/uploads/cropped-favicon-1-32x32.png O Espartano https://espartano.pt 32 32 Taçamorim https://espartano.pt/tacamorim/ https://espartano.pt/tacamorim/#respond Sat, 23 Jan 2021 09:55:00 +0000 https://espartano.pt/?p=1730 Boas a todos. Pela segunda vez, Rúben Amorim defronta o Braga a quem já ganhámos...

The post Taçamorim appeared first on O Espartano.

]]>
Boas a todos.

Pela segunda vez, Rúben Amorim defronta o Braga a quem já ganhámos uma vez.

Hoje defrontamos o Braga na final da taça da liga ou para muitos a taça da “carica” ou taça “anuncie aqui”, mas o certo é que estamos numa final e as finais são para vencer. E é uma taça que ao Rúben Amorim diz muito, pois a primeira grande conquista no escalão máximo português enquanto treinador.

Falando de história e na taça da liga, temos a época passada em que o Braga venceu o Sporting na meia final por 2-1 num jogo muito acalorado e polémico.

Em 2019 ganhámos nos penaltis e em 20200 o Sporting volta a ganhar por 2-1 e estas são as prestações de ambas equipas na taça.

O Sporting procura acalmar e controlar melhor o seu jogo que está longe de estar na melhor forma, mas tem vencido. O Braga vem de um momento muito bom, pois eliminou um Benfica menos forte.

Em relação à equipa:

Por aqui me fico. Boa sorte leões! Para cima deles… Até à próxima e até lá cuidem-se.

#DiadeSporting

The post Taçamorim appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/tacamorim/feed/ 0
Contra tudo e todos… jogar, jogar pois os campos continuam inclinados! https://espartano.pt/contra-tudo-e-todos-jogar-jogar-pois-os-campos-continuam-inclinados/ https://espartano.pt/contra-tudo-e-todos-jogar-jogar-pois-os-campos-continuam-inclinados/#respond Tue, 19 Jan 2021 09:55:00 +0000 https://espartano.pt/?p=1726 Assistimos nas últimas semanas a autênticas provas de superação da equipa principal de futebol do...

The post Contra tudo e todos… jogar, jogar pois os campos continuam inclinados! appeared first on O Espartano.

]]>
Assistimos nas últimas semanas a autênticas provas de superação da equipa principal de futebol do Sporting Clube de Portugal, confirmando-se que os resultados obtidos não têm sido fruto do acaso ou da sorte, como alguns sugerem, mas sim do trabalho de uma equipa técnica liderada por Rúben Amorim, o qual com escassos recursos, vê a sua Equipa na liderança da Liga NOS.

Assumo que aquando da contratação de Rúben Amorim, fui um dos críticos principalmente por três razões: o custo envolvido na operação; o facto de com isso contribuirmos para o enriquecimento do Braga; e o seu benfiquismo assumido. Registo contudo que com o trajecto e postura até agora feitos por Rúben Amorim e por toda a Equipa do Sporting, devo publicamente um pedido de desculpas ao Rúben Amorim pois ele já demonstrou ser um Leão.

Vejamos a raça, atitude e compromisso da nossa Equipa no último jogo contra o Nacional da Madeira só ao alcance de equipas já muito rotinadas a jogar entre si e com uma ilimitável capacidade de esforço e dedicação como deve sempre ser apanágio no Sporting Clube de Portugal.

O tropeção tido com o Marítimo jamais poderá significar desalento para nós… são dores de crescimento para as quais nos temos de preparar pois, com as curtas opções existentes no plantel para cada posição, podemos a qualquer momento ser surpreendidos por alguma lesão ou surto de covid-19, os quais terão naturalmente impacto. Se tal vier a ocorrer, há uma certeza que nós sportinguistas podemos ter: com Rúben Amorim no banco, esta equipa dará sempre tudo em prol do Leão rampante que envergam nas camisolas pois #ondevaiumvaotodos!

Os Sportinguistas merecem aqui também uma palavra muito especial pois mesmo apesar das divergências que têm existido no seio da nossa Família, demonstrámos, como sempre, ser os melhores Adeptos do Mundo, fazendo cerco em torno da nossa Equipa e apoiando-a, como deve ser sempre, à porta dos diversos Estádios onde vamos jogar… e que bom que foi voltar a sentir e a cheirar aquela atmosfera de dia de jogo, devendo-se aqui um especial reconhecimento às claques pelo seu constante apoio.

Chamo, contudo, a atenção para o facto de por mais que joguemos e joguemos muito e com qualidade, os campos de futebol nacionais continuam inclinados para Norte e para os lados de Carnide, veja-se os últimos jogos de cada um deles e o apoio que sentiram, respectivamente, das equipas de arbitragem: expulsões perdoadas; faltas não assinaladas; tempos de compensação grosseiramente exagerados; faltas assinaladas em zonas cirúrgicas do terreno de jogo.

Não podemos nem devemos descansar à sombra dos escassos 4 pontos de avanço que temos sobre o segundo classificado pois por mais que sejam muito importantes, de nada significam nesta fase do campeonato.

A nossa pressão e o nosso alvo não devem estar centrados dentro de casa – aliás, erro muitas vezes cometido nas últimas décadas quando decidíamos arranjar problemas internos sempre que nos encontrávamos em posição determinante nas provas onde nos inseríamos. A pressão e o alvo continuam a ser os nossos dois rivais, tendo cada um eles mais fragilidades a explorar que o outro, esperando e desejando que não só os Sportinguistas como também a Direcção do Sporting Clube de Portugal, tenham essa noção e consciência e não criem condições para problemas internos, o que, naturalmente, não significa passarmos cheques ao portador seja a quem for.

Que esta Equipa nos continue a encher de orgulho e alegrias, que com raça, atitude e compromisso continuemos jogo a jogo, de vitória em vitória até à vitória final. Juntos, a remarmos todos na mesma direcção, podemos ser felizes desde que nos lembremos sempre que os nossos rivais não estão dentro de casa e que nada está ganho.

Somos o Sporting Clube de Portugal, um dos maiores Clube do Mundo!

Desejo a todos que nestes tempos que vivemos, se mantenham protegidos e com saúde.

Saudações Leoninas

The post Contra tudo e todos… jogar, jogar pois os campos continuam inclinados! appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/contra-tudo-e-todos-jogar-jogar-pois-os-campos-continuam-inclinados/feed/ 0
Laranja de qualidade e uma entrada em falso https://espartano.pt/laranja-de-qualidade-e-uma-entrada-em-falso/ https://espartano.pt/laranja-de-qualidade-e-uma-entrada-em-falso/#respond Sun, 17 Jan 2021 12:40:58 +0000 https://espartano.pt/?p=1724 Bem-vindos ao nosso domingo, o terceiro e último dia das modalidades aqui no Espartano. Para...

The post Laranja de qualidade e uma entrada em falso appeared first on O Espartano.

]]>
Bem-vindos ao nosso domingo, o terceiro e último dia das modalidades aqui no Espartano.

Para terminar em beleza, vamos ao basquetebol nacional, com total foco nas nossas ligas masculinas e femininas e, claro, para o Sporting. Depois do basquetebol vamos para o jogo do Sporting no futebol feminino.

Basquetebol Nacional

Basquetebol masculino

Vamos iniciar este domingo com a atualidade do basquetebol, priorizando o Sporting sempre.

O Sporting venceu o FC Galitos por 99-61. Continuamos invitos, com 15 vitórias consecutivas, e a jogar muito bem como se viu neste jogo.

Começámos a segunda volta da melhor maneira, o jogo não ia ser fácil, o Galitos tinham surpreendido o Benfica e não podíamos esperar facilidades. A verdade é que acabámos por vencer com muito conforto, muito porque o Galitos demorou para entrar em jogo com os 32-5 deste primeiro período a mostrarem isso mesmo. O Sporting entrou com tudo anulando o Galitos e impedindo que eles pudessem fazer o que fizeram com o Benfica. Para além da nossa entrada muito forte, o Galitos não entrou e só conseguiram 5 pontos. Voltámos a não ter um acerto muito grande da linha de três, mas começámos muito fortes. Foi uma ótima entrada da nossa equipa, sempre com o Fields a dominar e o Ventura a continuar a boa forma dos últimos jogos. Mas íamos vencendo, íamos fugindo cada vez mais no marcador, travámos muitos ataques, mas o Galitos demorou muito para mostrar alguma coisa, demoraram mesmo muito para entrar. Já no nosso caso, foi desde o primeiro segundo a dominar.

Um primeiro período sem grande história, com um Sporting muito mais forte, o Galitos não jogou, apenas conseguiu aqueles 5 pontinhos, sendo que desses 3 foram de lances livres, algo muito raro, uma diferença bem pouco comum.

No segundo período, o professor Luís Magalhães rodou a equipa toda, deu tempo de jogo a quem também merece e nem sempre consegue ter esse tempo. Shakir, Catarino e Diogo Araújo tiveram um período para mostrar mais, mas este período foi do Claúdio Fonseca que dominou e esteve em alta com um total de 14 pontos neste período. Claúdio é um pouco o patinho feio, por vezes com muita injustiça. Neste período foi mesmo isso que se viu, um Fonseca em grande e a demonstrar mais do que por vezes consegue.

Perdemos este segundo período (21-24), mas mesmo assim continuámos com uma vantagem de 24 pontos.

Para o terceiro período, o professor Luís Magalhães voltou a apostar nos norte-americanos e, com isso, voltámos a fugir no marcador, vencemos mesmo este período por 25-20, mais um período por cima, mais um período superconfortável. Bom período de vários jogadores, mas tal como o Fonseca se tinha destacado no período anterior, neste foi o Shakir, o reforço que nem sempre se vai impondo, que conseguiu mostrar mais, em mais tempo de jogo e conseguiu 10 pontos. Com três triplos do melhor que ele fez desde que chegou.

No último período fugimos ainda mais. Vencemos por 21-12. Aqui aposta de Luís Magalhães foi nos tugas que deram conta do recado e se superiorizaram. O jogo interior fez toda a diferença, primeiro com Fields e depois com Claúdio e mesmo o Cândido Sá voltou a estar bem. Embaló também esteve bem neste jogo com 4 pontos, mas foram Shakir e Claúdio que mais se evidenciaram neste jogo com 14 e 22 pontos, respetivamente.

Boa vitória, continuamos líderes e invictos. Hoje jogamos com o Maia em mais um jogo em que temos tudo para vencer de forma muito confortável.

Depois do Sporting falar do Porto que venceu o Póvoa por 86-61 para a Taça de Portugal e a Académica por 115-65 para a liga.

O primeiro jogo para a Taça, nada há a dizer a qualidade veio ao de cima e mesmo com as terceiras e quartas linhas o Porto venceu. Há a destacar o ótimo trabalho que o professor José Ricardo está a fazer no Póvoa, muitos jovens jogadores portugueses, uma equipa interessante para uma realidade de divisão inferior, ainda mais por esta aposta real em jovens jogadores.

O marcador com 43-36 ao intervalo mostrou o Porto com muitos facilitismos, principalmente na primeira parte. Na segunda já acordou, com mais intensidade na defesa e no ataque. Riley regressou neste jogo, mostrando que já estava recuperado. O Porto venceu bem e mesmo a facilitar muito venceram sem grandes problemas.

No jogo seguinte, venceram a Académica com um ótimo jogo. Do lado da Académica houve vários destaques, mas o principal vai para Daniel Relvão, primeiro porque já foi jogador dos dragões e isso é sempre especial e depois porque passou por um calvário com muitos problemas físicos, muitas lesões e mostrou que está recuperado e a jogar a um bom nível. Amarante fez mais um ótimo jogo, 14 pontos com 4 em 5 da linha de três. Apesar de por vezes esquecido, Amarante é dos melhores atiradores da liga, tem uma capacidade física muito grande e é raro o jogo que joga mal, além disso é o jogador com melhor % de 3PT do campeonato. É aqui que se vê como ele não lhe é dado o devido valor.

Mas sem muito a dizer deste jogo, o domínio foi do Porto que só levantou mais o pé no último período, onde acabaram por perder por 19-21 para os estudantes, mas nada de mais, nada que preocupasse a vantagem que era grande e a vitória estava mais do que assegurada.

Com uma ótima entrada em jogo com 28-10 no primeiro período, um regresso do intervalo onde arrumaram com o jogo e 34-17 no terceiro período fizeram toda a diferença para o jogo. O Porto esteve bem mais forte, bem mais capaz e sem deixar dúvidas neste jogo. Riley com 17 pontos foi o maior destaque, mas Amarante, Pedro Pinto e Tanner, todos com 14 pontos, também foram grandes destaques. Do lado dos estudantes, o base Ashford Golden com 24 pontos, 2 ressaltos, 1 assistência e 2 roubos de bola foi quem mais se evidenciou nesta partida.

Depois falar do Benfica que venceu o Barreirense por 110-82 para a Taça de Portugal e o CAB Madeira por 104-67 para a Liga.

Dois jogos dominados pelos encarnados, em que venceram todos os períodos, em que puderam rodar a equipa, dar tempo aos reforços e às segundas e terceiras linhas. Uma coisa que já ficou comprovada, Bryce Alford é de longe o melhor reforço. Tal como eu disse quando ele veio, é o único que é jogador de alto nível sem deixar dúvidas, os outros vêm com alguns problemas físicos. É um jogador muito inteligente, muito bom a defender, ótimo atirador, é craque e já o sabíamos e está desde o primeiro jogo a mostrar que vem para brilhar na liga.

Neste jogo, os destaques foram Cameron Jackson com 23 pontos e, para além de Alford, Fábio Lima com 18 pontos. Do lado do Barreirense, Miguel Correia com 20 pontos, 4 em 7 de lançamentos de campo e também 4 em 7 da linha de três pontos, além de 3 ressaltos, 3 assistências e 1 roubo de bola. Trata-se de um base de 20 anos de muita qualidade, um base para palcos maiores e já está farto de mostrar isso mesmo. Depois no jogo com o CAB Gomes, Miguel Correia com 23 pontos e novamente Alford com 22 foram os maiores destaques dos encarnados.

Os triplos caíram nestes dois jogos, na Taça 17 em 37 (46%) e no jogo com o CAB foram 20 em 37(51%) e, sendo a ideia de jogo assente neste momento de jogo, quando elas entram tudo corre bem. Além disso, Alford penetra muito bem e compensa com a inteligência muitos erros de alguns colegas como Lisboa ou Arnette que, neste momento, são dos jogadores em pior forma no lado dos encarnados.

Destacar a vitória da Oliveirense na liga frente à Ovarense por 97-77, num jogo seguro da equipa de Oliveira de Azeméis que até perdeu o segundo período, mas soube dar a volta e vencer o jogo. Destacaram-se no terceiro período onde abriram uma vantagem maior, fruto do 29-13 neste terceiro período. A Oliveirense melhorou com os reforços e já não está tão intermitente como no início da época. Alguns jogadores foram erros, coisas que acontecem, e os novos reforços encaixaram bem melhor na ideia de Norberto Alves.

Neste jogo, Justin Alston esteve novamente em destaque, com 24 pontos e, para além dele, José Barbosa esteve muito bem, foi dos melhores jogos dele esta época, não só porque apareceu como sempre a assistir os colgas, como também pontuou, foram 12 pontos e 10 assistências. Barbosa é grande, é um base de alto nível e mostrou isso mesmo novamente neste jogo. Os dois “Joões”, Balseiro e Guerreiro voltaram a estar muito bem com 14 e 17 pontos, respetivamente. São dois dos melhores tugas da liga e que não sabem jogar mal. Do lado do Ovarense destaque para o poste Chris Mcknight, que no seu segundo jogo na equipa destacou-se com 18 pontos, 4 em 7 da linha de três pontos. Este jogador que vem de boas ligas, com bons números e que se vai destacar muito nesta equipa da Ovarense.

Na classificação, o Sporting lidera com 28 pontos, O Porto está logo atrás com 27 pontos e em terceiro o Benfica com 25.

Basquetebol feminino

Vamos então para a liga Skoiy. As nossas jogadoras voltaram a ter mais uma jornada com vários ótimos jogos.

Começamos pelo Quinta dos Lombos que venceu o Vagos por 54-60. Num ótimo jogo, os Lombos venceram, mas para o fazer tiveram de suar muito. Com um 13-11 equilibrado no primeiro período, o Vagos assumiu a vantagem que perdeu no segundo período e foi aqui que os Lombos começaram a evidenciar-se e a ganhar alguma vantagem, mas no terceiro período o Vagos atropelou os Lombos por 21-11. Um período tão mau dos Lombos não é comum, que recuperaram no último período ao vencer por 4-13. Foi um jogo inconstante das duas equipas, deram do melhor ao pior em poucos minutos, deram espetáculo e depois deixaram muito a desejar.

Nos Lombos, foi um mau jogo da Raphaella e a equipa ressentiu-se muito disso e foi Leonor Paisana, base de 18 anos, a assumir mais protagonismo com 12 pontos e 1 assistência e ainda a Carolina Cruz que saltou do banco para ser preponderante. A poste de 19 anos anotou 18 pontos, 1 assistência e 9 ressaltos e foi fundamental para compensar o mau jogo da Raphaella. Do lado do Vagos, a melhor como em quase todos os jogos, foi Maria Blazejewski desta vez foram 20 pontos, 6 assistências e 8 ressaltos. A norte-americana voltou a estar em alta e a brilhar muito nesta partida, é uma jogadora para vôos mais altos e para outros patamares a nível europeu. E ainda Susana Carvalheira, poste de 21 , que esteve em evidência, com 10 pontos e 3 ressaltos.

Depois falar do GDESSA que venceu o Olivais por 61-48. O último jogo do GDESSA tinha sido a derrota com o União Sportiva e elas tentavam aqui dar a volta a isto. Conseguiram-no com uma vitória bem mais tranquila sobre o Olivais que, mesmo fortes, estão abaixo de outros anos.

O GDESSA entrou muito bem, venceu de forma muito convincente no primeiro período por 18-6, nada a dizer aqui e venceram de uma forma tão clara que esta vantagem e a rotação fizeram com que a equipa baixasse um pouco os níveis de concentração, o que permitiu o Olivais vencer o segundo período por 12-18. Nada que colocasse em causa a vitória do GDESSA que venceu os dois períodos seguintes, com o quarto a ser o mais equilibrado. Nada a dizer, este GDESSA, como eu estou farto de falar, é das melhores equipas, das que joga melhor e das que raramente faz maus jogos. Mesmo os maus períodos são raros e isso é fruto muito de Miguel Minhava, um treinador de qualidade, e de uma equipa muito homogénea, muito forte e com muita qualidade, onde a experiência e a juventude se mesclam da melhor forma.

Foi uma vitória segura e sem nada a dizer do GDESSA. Aline Moura novamente em destaque, muito bom jogo da poste brasileira, que também é jogadora para outro nível competitivo, mas que aqui conseguiu 22 pontos, 7 ressaltos e 3 assistências. Jennifer Nonato também se destacou com 14 pontos e 5 ressaltos e ainda Márcia Costa (Spoiler: atenção à Márcia que vai aparecer no Espartano ahah) com 10 pontos, 7 ressaltos e 2 assistências.

Do lado do Olivais, a poste norte-americana brilharam Kendrian Elliot com 17 pontos e 5 ressaltos, Teyjah Oliver com 10 pontos e ainda Joana Amaro, que foi a jogadora que jogou menos do lado do Olivais, mas mesmo assim a base de 17 anos conseguiu em 14 minutos mostrar muito da sua qualidade com 5 pontos, 1 assistências e 3 roubos de bola. É para se ficar atento, porque é uma jogadora de muito valor para o futuro.

Depois falar do Benfica com dois jogos diferentes, o primeiro para a Taça de Portugal, em que venceram o Esgueira por 47-63. Nada a dizer mesmo com as poupanças a diferença era grande e foi notória com o decorrer da partida. Foi uma ótima entrada, depois baixaram o nível e o mister Eugénio rodou ainda mais e o Esgueira conseguiu mostrar mais e vencer o segundo período por 12-10.

O regresso dos balneários foi com um Benfica muito forte que quis mostrar bem mais e venceram por 9-24, um atropelo enorme e acabaram assim com o jogo.

No jogo do dia a seguir, já a contar para a Liga Skoiy, as benfiquistas foram surpreendidas pelo Guifões e perderam por 69-67. O Benfica só venceu o último período, com o equilíbrio a reinar do primeiro ao último minuto, mas sempre como o Guifões a ter um grande ascendente.

As cinco iniciais do Guifões jogaram o jogo quase todo, com pouca rotação, mas elas corresponderam e mesmo quebrando um pouco no final, não foi o suficiente para impedir a vitória.

A poste mexicana Myriam Ackerman esteve em alta, registando 17 pontos, 10 ressaltos e 3 assistências. Para além dela, a base Taneka Rubin voltou a encantar com 18 pontos, 11 ressaltos e 3 assistências. Do lado encarnado, Atila e Japonica estiveram muito bem, combinaram um total de 33 pontos, voltaram a não desiludir e a liderar o Benfica. Só que as outras jogadoras acabaram por ter um jogo abaixo perante um Guifões tão forte que nem o bom jogo das duas norte-americanas foi suficiente. A melhor jogadora foi Laura Ferreira com 16 pontos, 3 ressaltos e 1 assistência

Foi um jogo menos bom das encarnadas que sentiram muitos problemas com esta equipa do Guifões que soube trocar jogadoras e apostou na mexicana, Myriam, que nestes três primeiros jogos entrou com tudo.

Por fim para terminar a já longa atualidade sobre o basquetebol, vamos falar do União Sportiva que perdeu o último jogo frente ao Vitória por 75-62.

As vimaranenses provaram o porquê de serem uma das melhores equipas e o porquê de seguirem na segunda posição. Foi um ótimo jogo de basquetebol, em que o Sportiva acabou por perder, bem diferente do que tinha sido no jogo anterior em que tinham ganho para a Taça.

No jogo para a Taça de Portugal derrotaram o Galitos por 43-83. Os segundo e terceiro períodos foram os mais desequilibrados, com 7-23 no segundo e 4-20 no terceiro e foi aqui que o Sportiva “fugiu” no marcador. Sportiva esteve mais forte, já se sabia e só o confirmaram. O jogo teve sentido único e não teve grande história.

Em grande plano esteve Aliyah Mazyok, com 23 pontos, e Raquel Laneiro com 14 que já foi aqui muito destacada. É uma base de 20 anos que eu gosto bastante, joga sempre muito bem e, neste jogo em 20 minutos, conseguiu 14 pontos, 2 ressaltos, 2 assistências e ainda 3 roubos de bola.

No lado do Galitos, Whisper Fisher com 12 pontos foi quem mais tentou e quem mais se mostrou neste jogo.

Na Liga Skoiy, a liderança é da Quinta dos Lombos com 23 pontos, os mesmos que as segundas classificadas do Vitória SC e em terceiras o Benfica com 21 pontos, mas com menos um jogo.

Futebol Feminino Sporting

Para terminar este domingo, vamos falar do jogo do Sporting a contar para fase de apuramento de campeã, que foi iniciada pelas nossas leoas com um empate perante o Famalicão.

Um jogo cheio de polémicas e que terminou com um empate a 2.

Em primeiro lugar, um reparo grande, a Federação precisa urgentemente de investir nas arbitragens, se no futebol masculino é o que é, no feminino é ainda pior, como se viu hoje. Existem muitos problemas nas arbitragens no nosso futebol feminino. Um jogo entre duas das equipas mais fortes tinha de ter uma árbitra FIFA e não foi o caso. Os erros foram demais, já eram demais para um jogo amador, mas para este nível foi ainda pior.

Começámos mal o jogo, com muita pressão e intensidade do Famalicão que nos ia criando muitos problemas. O primeiro golo foi da lateral direito Maurine que, com um remate de fora da área fortíssimo, marcou o primeiro golo do Famalicão. Não nos ficámos e fomos atrás, criámos logo perigo, respondemos muito bem e fomos assumindo mais o jogo.

Como quem não marca sofre, ainda mais perante uma equipa tão forte como este Famalicão, sofremos o segundo. Não só porque não marcámos, como fomos roubados, isto porque a senhora árbitra numa falta de fora da área da Bruna Costa sobre Mylene Freitas, viu um penalti que ninguém consegue escrutinar. Foi claramente fora, não existem grande dúvidas. A verdade é que as jogadoras do Famalicão alheias a isso foram e marcaram a grande penalidade através da Vitória Almeida, uma das melhores jogadoras da nossa liga, que não tremeu perante a Inês e marcou o seu 13º golo em 10 jogos nesta temporada.

No segundo tempo, a mister Susana Cova mudou. O intervalo fez bem à equipa que entrou muito melhor. Ainda tivemos um susto quando a Vitória apareceu na cara da Inês, mas a nossa guardiã esteve mais que à altura e defendeu com grande classe.

Pouco depois e através de um livre de Nevena, exemplarmente cobrado pela nossa capitã, conseguimos reduzir. Este golo só nos fez melhorar, assumimos ainda mais o jogo, melhorámos ainda mais e, mesmo com alguns lances mal decididos pela equipa de arbitragem, chegámos ao segundo golo, através da de uma grande penalidade cobrada pela nossa capitã que assim bisava.

Ainda tentámos, continuámos por cima, mas não conseguimos entrar mais nenhuma vez no forte do Famalicão que, com menos uma jogadora, fechou-se e fez de tudo para segurar este empate.

Entrada em falso das nossas leoas que, mesmo sem fazer um jogo perfeito jogaram bem e foram bastante prejudicadas por uma arbitragem fraca e sem nível para uma primeira divisão.

Famalicão e Sporting lideram assim com 1 ponto cada a Liga BPI.

Chegamos ao fim dos nossos 3 dias das modalidades com 2 vídeos e 2 artigos.

Espero que tenham gostado da entrevista com a Rita Batista, porque como se pode ver eu gostei muito e foi muito boa.

Espero que tenham gostado do vídeo semanal e que tenham gostado destes dois artigos.

Obrigado a quem lê, a quem vê e a quem envia o seu feedback.

Espero que todos estejam bem, mais uma vez tudo complicado, por isso cuidem-se e tenham um bom domingo.

Obrigado e até para a semana, para mais 4 dias a dar voz às modalidades.

The post Laranja de qualidade e uma entrada em falso appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/laranja-de-qualidade-e-uma-entrada-em-falso/feed/ 0
O Espartano Podcast – Como um clube se destaca dos outros, Marketing com André Lucas https://espartano.pt/o-espartano-podcast-como-um-clube-se-destaca-dos-outros-marketing-com-andre-lucas/ https://espartano.pt/o-espartano-podcast-como-um-clube-se-destaca-dos-outros-marketing-com-andre-lucas/#respond Sat, 16 Jan 2021 12:34:27 +0000 https://espartano.pt/?p=1721 Subscrevam aqui para mais conteúdos

The post O Espartano Podcast – Como um clube se destaca dos outros, Marketing com André Lucas appeared first on O Espartano.

]]>

Subscrevam aqui para mais conteúdos

The post O Espartano Podcast – Como um clube se destaca dos outros, Marketing com André Lucas appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/o-espartano-podcast-como-um-clube-se-destaca-dos-outros-marketing-com-andre-lucas/feed/ 0
Mundial e Apuramento de Campeões https://espartano.pt/mundial-e-apurmento-de-campeoes/ https://espartano.pt/mundial-e-apurmento-de-campeoes/#respond Sat, 16 Jan 2021 12:17:26 +0000 https://espartano.pt/?p=1719 Para um sábado frio nada melhor do que falar do mundo das modalidades para tentar...

The post Mundial e Apuramento de Campeões appeared first on O Espartano.

]]>
Para um sábado frio nada melhor do que falar do mundo das modalidades para tentar aquecer.

Para este nosso segundo dia trago andebol, mais concretamente a seleção portuguesa, depois futsal nacional no masculino e no feminino e terminamos na NFL.

Andebol Seleção Portuguesa

Vamos iniciar este sábado pela atualidade do andebol e nada melhor que ir ao Egipto e falar do Mundial.

Antes disso, tivemos um jogo da nossa seleção com a Islândia, o segundo de três jogos com o resultado a ser diferente do primeiro jogo e o pior dos três jogos.

Portugal perdeu neste segundo jogo de qualificação para o Europeu de 2022 por 32-23, num jogo que ditou o fim da nossa invencibilidade. Entrámos muito bem, uma entrada muito forte, conseguimos uma boa vantagem, íamos estando por cima e com uma vantagem segura e tranquila. A ideia que dava é que íamos mesmo vencer sem grandes problemas e conseguir gerir alguns jogadores. Chegámos a ter uma vantagem de 11-6 e depois 12-7. Íamos conseguindo estar por cima a controlar tudo, mas aí surgiram os minutos finais da primeira parte onde nós adormecemos e deixámos que a seleção islandesa reentrasse na discussão do jogo e que assim pudesse sonhar com algo num jogo que parecia controlado.

Com um empate a 13 ao intervalo, a nossa vantagem já tinha ido quase toda, estávamos a cair de rendimento e os islandeses estavam cada vez mais motivados. Na segunda parte foi ainda pior, pois entrámos muito mal com muitos erros, muitas asneiras, com muitos turnovers e muitas desconcentrações. Não parecia a seleção da primeira parte, nem tinha nada a ver com o normal desta seleção. No final 32-23. Quintana esteve mal na baliza, bem longe do normal e até mesmo o Humberto não se apresentou ao nível normal. Portanto, a derrota foi natural, fruto desta segunda parte muito má, das piores partes desta seleção que eu me lembro de ver. Um jogo mau.

André Gomes ainda marcou 6 e o Areia marcou 5 e do lado Islandês o destaque foi Agust Elí Björgvinsson, com dez defesas em 27 remates e Bjarki Elisson com 9 golos em 9 remates.

Apesar da derrota, mantemos a liderança, porque a seleção islandesa tem menos um jogo que, se vencer, vai-nos ultrapassar. Por agora, ainda lideramos o grupo de qualificação para o Europeu de 2022.

Com o início do mundial, voltámos a jogar com a Islândia e desta vez foi bem diferente. Foi uma estreia em grande no Mundial do Egipto com uma vitória de 25-23 sobre a Islândia.

Depois da última derrota, a seleção deu uma ótima resposta. Foi uma entrada em grande da Islândia, bem diferente dos jogos anteriores, pois estiveram muito fortes no início do jogo, bem acima do que tínhamos visto nos jogos anteriores.

Foram 10 minutos de alta intensidade e com os Islandeses por cima, mas aí surgiram as melhorias, com o aparecimento de Quintana, o super Quintana, que começou a mostrar o porquê de ser um dos melhores do mundo. Com isso, a seleção cresceu no jogo e subiu muito de rendimento. O maior acerto no ataque e a maior concentração da nossa seleção fizeram com que o ímpeto da seleção islandesa se fosse perdendo. Demorámos para ter a primeira vantagem, foi já ao minuto 20 com muito equilíbrio no jogo, muita luta e muita entrega de parte a parte. Estávamos mais agressivos e mais assertivos e isso ia fazendo muito a diferença.

Registou-se 11-10 ao intervalo a nosso favor num jogo com mais qualidade da nossa seleção dentro deste jogo tão equilibrado.

Na segunda parte, voltámos em grande, entrámos muito fortes e bem longe da entrada da primeira parte. com 18-13 aos 40 minutos, íamos espalhando magia e jogando muito bem.

A nossa seleção estava muito por cima, muito forte e isso obrigou a que a Islândia parasse o jogo para rever a estratégia e tentar mudar o rumo do jogo. Surtiu efeito, pois a Islândia conseguiu aproximar-se da nossa seleção, conseguiu ficar bem mais próximo, fruto do aumento de agressividade e da melhoria do 1×1.

Aos 50 minutos, o equilíbrio reinava, estávamos por cima, mas mais pressionados, com um 22-19, uma vantagem menor do que já tínhamos tido. Para não ser diferente, os últimos 10 minutos foram mais loucos e mais eletrizantes. Com tudo isto, estávamos por cima e conseguimos chegar a uma vantagem de 5 golos.

A Islândia voltou a responder, reduziu a desvantagem para 3 golos e teve uma grande chance de reduzir, mas aí embateu no muro Quintana e, com isso, a nossa seleção manteve a vantagem de 3 golos. Uma enorme vitória, um belo jogo na garra com de muita qualidade, num jogo bem diferente do anterior. Muito bom jogo.

Quintana, Miguel Martins e Rui Silva em grande. Pedro Portela jogou muito bem também, talvez dos melhores jogos em muito tempo. Em relação a Quintana, se existiam dúvidas ou se alguém não achava que ele era dos melhores do mundo, mudou de opinião. Quintana defendeu 10 em 32 remates ou seja 31%. Rui Silva é de classe mundial, um jogador mais underrated no andebol europeu. Miguel Martins brilhou com 6 golos, esteve em grande destaque nesta partida. E ainda, Pedro Portela com 5 golos e André Gomes com 4 golos também estiveram em alta. André Gomes nem sempre esteve bem nesta época, mas neste mundial parece que está na melhor forma do ano e isso é ótimo. André Gomes é muito craque e parece que vai brilhar muito no Egipto.

Do lado islandês, Bjarki Mar Elisson, com 6 golos, foi a maior figura da seleção Islandesa.

Foi um jogo complicado, com uma grande vitória da nossa seleção que vai de certeza ser uma das melhores neste mundial. Estamos com 2 pontos os mesmos que a Argélia.

Futsal Nacional

Para continuar em grande, a nossa segunda modalidade é o futsal e vamos falar do futsal por terras lusitanas, falando do masculino e do feminino.

Futsal masculino

No masculino vamos começar pelo Sporting que venceu o Quinta dos Lombos por 4-0. Mais um jogo, em que a primeira parte foi melhor do que a segunda. Entrámos muito bem, fomos “para cima” do Lombos e estivemos desde cedo ao ataque, com muitas oportunidades, criando sempre muito perigo e a deixar o Lombos encostado às cordas.

Tivemos mutos remates perigosos, muitas oportunidades que não conseguimos concretizar ou que Paulo Pereira conseguiu defender. Com tanta superioridade foi com naturalidades que chegámos à liderança do marcador. Um belo golo do Guitta, que rematou não dando hipóteses a Paulo, fazendo o primeiro golo aos 4 minutos.

Nada mudou em seguida, continuámos por cima, melhores e a criar muito perigo. O Lombos ia continuando atrás sem conseguir sair. Com o Sporting muito forte e bem superior, foram muitas as oportunidades que fomos criando e que fomos conseguindo.

Com esta superioridade, o segundo golo voltou a aparecer aos 12 minutos de forma natural através da recuperação do Panny Varela que serviu Taynan para o nosso segundo golo, mais um belo golo. Não baixámos os níveis de pressão e de intensidade, continuámos por cima e a pressionar e a deixar o Lombos perto da baliza.

Como tal, o terceiro golo surgiu como todos até então, de forma natural. Num lance de bola parada, numa jogada ensaiada, mais uma, criámos perigo, chegando mesmo ao terceiro golo.

O laboratório de Nuno Dias sempre inventa algo, desta vez a reposição foi para o Panny que, tal como no golo anterior, voltou a assistir um colega, desta vez foi Cardinal que não podia deixar de marcar o seu tento na partida.

Dominantes e com o Lombos sem criar perigo, ia parecendo que mais uma goleada se avizinhava. Mais alguns remates de perigo, mas nada concretizado e chegamos ao intervalo com 3-0, num jogo dominado, controlado e com tudo para uma goleada.

A segunda parte, embora num ritmo mais baixo, continuou a ser nossa e controlada por nós, portanto foi normal que as oportunidades, mesmo em menor número, continuassem a surgir de forma natural.

Mais remates perigosos, mais oportunidades e o quarto golo surgiu num ataque rápido conduzido por Pauleta que serviu Panny que, depois de assistir por duas vezes, conseguiu o golo merecido pelo jogo que estava a fazer.

Levantámos então um pouco o pé, o Lombos criou mais perigo, teve mais oportunidades e arriscou o 5×4. Como em outros jogos e outros adversários, esta situação de jogo raramente funciona contra nós e, mais uma vez, foi isso que aconteceu.

O Lombos teve algumas oportunidades, mas não tantas como desejava. Com o Lombos a jogar em situação de 5×4 tivemos vários remates aos postes e ao lado da baliza, mas que não conseguimos materializar as oportunidades que foram surgindo, por isso o resultado manteve-se inalterado. O 4-0 perdurou até ao fim do jogo e vencemos assim sem dúvidas o Quinta dos Lombos.

Com esta vitória voltámos a assumir a liderança da Liga empatados com o Benfica nos 47 pontos. Ambas as equipas com 17 jogos, um a mais do que Viseu 2001 e Modicus, as equipas que surgem logo em seguida na classificação.

Futsal feminino

No feminino, temos de falar da última jornada da Zona Norte, onde o Chaves venceu o Vermoim por 4-1, em mais um bom jogo das comandas de Rute Carvalho. Nady Brito foi o maior destaque com 2 golos e mais uma exibição de encher o olho. A pivot cabo-verdiana tem sido um dos destaques na liga feminina.

Ainda nesta Zona Norte, o Nun´Álvares foi a Viana do Castelo vencer o Santa Luzia por 3-8, mais uma vitória superconfortável das comandas de Rui Cunha que, mais uma vez, marcaram muitos golos e deram a todos um bom jogo espetáculo.

O Santa Luzia tentou e até esteve na frente por 2-0, mas assim que o Nun´Álvares acordou, as coisas mudaram.

Liana Alves marcou dois golos, Cátia Morgado o mesmo e foram os maiores destaques desta partida. Destacar ainda Ana Pires a fixo que também marcou dois golos, ela que tem sido das jogadoras mais, mesmo numa equipa que tem Cátia Morgado e Liana. Tem sido uma enorme época desta fixo de muita qualidade.

Depois falar do Novasemente que recebeu e venceu o Aguias de Santa Marta por 4-1. O Novasemente esteve a perder, mas reagiu rapidamente e deu a volta ao marcador. Foi um enorme jogo, mais um bom jogo de futsal, em que se jogou muito bem. Nesta partida, o maior destaque individual foi Bianca Costa e ainda Lídia Fortes que marcaram cada uma delas um golo e foram fundamentais no Novasemente.

Por fim, na Zona Norte o Póvoa Futsal foi a Lourosa vencer tranquilamente o Lusitânia de Lourosa por 0-7., uma vantagem construída desde cedo, com domínio da partida e jogo tranquilo para o Póvoa. Adriana Barbosa esteve em grande com dois golos e foi para mim a maior figura desta partida.

Com isto, a qualificação para a fase de apuramento de campeã ficou definido com o Nun´Álvares em primeiro, seguido do Santa Luzia, do Novasemente e do Vermoim, quatro equipas separadas por poucos pontos. O Chaves ficou de fora, mas por pouco. Em grande evidência, esta equipa treinada pela Rute, uma ótima treinadora com muito futuro.  começou o ano com muitos problemas, que eu cheguei a abordar aqui.

Na Zona Sul, realizaram-se três jogos na sexta e penúltima jornada. Os Leões de Porto Salvo venceram sem problemas o Venda da Luísa por 11-1. Começaram no primeiro minuto a marcar, não abrandaram e podiam mesmo ter marcado mais, pois Daniela Basílio ainda defendeu muito e evitou uma goleada maior.

Cátia Tavares esteve em grande com 2 golos, na verdade 3 porque marcou um autogolo. Depois foi Lara Antunes, a ala de 23 anos, que voltou a jogar e a brilhar com dois golos marcados. A destacar do lado dos Leões, Barbara Gama, ala de 21 anos, que marcou os dois primeiros golos, Foi ela que deu o mote para a goleada e que também jogou muito bem.

O Benfica foi a Torres Vedras vencer o Arneiros por 1-7, em mais um jogo de bom nível, mais uma vitória incontestável. Janice marcou 3 golos, Leninha também voltou a jogar muito bem marcando 2 golos. Debora Lavrador liderou o Arneiro, mas não esteve nos seus dias e as benfiquistas foram muito melhores.

Por fim, o Quinta dos Lombos venceu o Atlético Povoense por 7-2, mais uma goleada e mais uma das equipas favoritas a confirmar o favoritismo.

Kika marcou um golo, mas a estrela foi novamente Adriana Mendes. Que jogadora, neste jogo foram 6!! golos. É uma jogadora extraordinária de enorme qualidade e foi mais um jogão que ela fez para todos nós, os fãs da modalidade, apreciarmos. Bruna Romão marcou e esteve em destaque no Povoense, mas a diferença era muita.

Sporting viu o seu jogo adiado para e vai jogar hoje com o Golpilheira e amanhã com o Quinta dos Lombos. Uma jornada dupla complicada, em que temos obrigatoriamente de vencer para ainda sonharmos com o apuramento para a fase de campeões, sendo que já não estamos dependentes de apenas nós para o conseguir.

O Sporting está nesta altura no quinto lugar com 6 pontos, os mesmos que os Leos (quartas) e que as sextas e sétimas classificadas. Grande luta pelo quarto lugar e temos obrigatoriamente de vencer.

NFL

Para terminarmos vamos à NFL. Estamos no começo dos playoffs. O MVP da temporada regular em 2019, Lamar Jackson, estava a ser pressionado pelas grandes exibições na pós-temporada e por ainda pouco ter jogado ao seu nível. No sábado, ele apareceu para garantir sua primeira vitória nos playoffs. Foram 179 jardas pelo ar e 136 pelo chão para o quarterback, que comandou o 20 a 13 do Baltimore Ravens na casa do Tennessee Titans. No fim, os Ravens responderam e imitaram o que os Titans tinham feito no jogo anterior e foram também dançar e festejar para cima do símbolo dos Titans no campo.

Os Los Angeles Rams visitaram os Seattle Seahawks com John Wolford como titular no lugar de Jared Goff, que passou por uma cirurgia no dedo da mão direita nas últimas semanas e, por isso, estava de fora. Mas o jogo de Wolford durou pouco, com o quarterback a ir para o hospital de ambulância depois de se lesionar no pescoço num lance aparatoso com o Jamal Adams. Então, Goff precisou ir para campo… e não dececionou. Ao lado do running back Cam Akers fez um belo jogo e encantou todos. Já do outro lado, Russell Wilson teve apenas 174 jardas, dois touchdowns e uma intercetação e não conseguiu evitar a sua primeira derrota em casa nos playoffs.

Depois falar do fim de duas secas nos playoffs da NFL, os Buffalo Bills que não venciam um jogo de playoff desde 1995 e os Cleveland Browns desde 1994. Fim de dois jejuns no mesmo final de semana.

No sábado, os Bills foram brilhantes em boa parte do jogo. Philip Rivers tentou levar os Indianapolis Colts até ao prolongamento, mas a arbitragem foi polémica ao não marcar um fumble dos visitantes, que daria a vitória para os Buffalo nos segundos finais. Mesmo assim, a defesa dos Bills afastou um Hail Mary e garantiu a vitória em casa.

No jogo que fechou a rodada de Wild Card, tudo se complicou no primeiro tempo do Pittsburgh Steelers. No primeiro lance do ataque da equipa de Big Ben, um mau snap terminou num touchdown dos Browns, que foram para o intervalo a vencer por 35 a 10.

O quarterback dos Steelers tentou comandar uma reviravolta com uns surreais 47 passes certos em 68 tentados para 501 jardas, quatro touchdowns e quatro interceções. Mas, no fim, foram os Browns que voltaram para casa com a vitória.

Por fim, destacar que, na noite de sábado, Tom Brady tornou-se o quarterback mais velho a lançar um touchdown nos playoffs e os Tampa Bay Buccaneers bateram os Washington, apesar da surpreendente atuação de Taylor Heinicke, reserva de Alex Smith que teve 306 jardas e um touchdown terrestre inesquecível.

No domingo, foi a vez de Drew Brees entrar em campo e liderar os New Orleans Saints contra os Chicago Bears. Com dois touchodwns da camisola 9, os Saints dominaram em casa e também avançaram.

Por este sábado é tudo. Hoje temos ainda a entrevista com a Rita. Não percam porque vale muito a pena, é uma craque e a conversa foi muito boa.

Dois dias das modalidades terminados, amanhã será o nosso último desta semana, não percam novidade nenhuma no Espartano e esperando que todos estejam bem.

Quero agradecer a quem lê e vê os vídeos, obrigado e cuidem-se! Até amanhã para mais um dia a dar toda a voz às modalidades.

The post Mundial e Apuramento de Campeões appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/mundial-e-apurmento-de-campeoes/feed/ 0
Amorim ao leme https://espartano.pt/amorim-ao-leme/ https://espartano.pt/amorim-ao-leme/#respond Fri, 15 Jan 2021 09:55:37 +0000 https://espartano.pt/?p=1714 Boas a todos. Hoje jogamos com o Rio Ave. Rúben Amorim fez a antevisão do...

The post Amorim ao leme appeared first on O Espartano.

]]>
Boas a todos.

Hoje jogamos com o Rio Ave.

Rúben Amorim fez a antevisão do jogo e abriu o livro logo com uma resposta a uma pergunta sobre as declarações do responsável pelos treinadores, que afirmou tirar a carta não significa poder conduzir, ao que Rúben Amorim respondeu com uma classe magnífica bem ao seu estilo: “O Miguel Oliveira não tem carta e safa-se bem na vida” rematou o treinador leonino.

Relativamente ao jogo, o Rio Ave está relativamente parecido com o Sporting, pois perderam na liga Europa na mesma fase, perderam ambas para a taça e ambas equipas têm ambição de conseguirem os três pontos.

Confronto direto e histórico de resultados

O Sporting vem de cinco vitórias no campeonato e uma para a taça. O Rio Ave vem de uma vitória nos últimos cinco jogos. Dos 26 encontros em Alvalade entre leões e vila condenses, o Sporting ganhou 19, com 2 vitórias para os de Vila do Conde e 5 empates.

Equipas

Rapidamente, Rúben Amorim antecipou na antevisão que vai por Quaresma a jogar pelo Neto e com Feddal de fora, parece que Borja tem sido aposta a central como foi na taça. As laterais igual, o meio campo o mais forte possível e o ataque igual.

Até à próxima e até lá cuidem-se.

#DiadeSporting

The post Amorim ao leme appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/amorim-ao-leme/feed/ 0
À Conquista da Madeira – capítulo 2 https://espartano.pt/a-conquista-da-madeira-capitulo-2/ https://espartano.pt/a-conquista-da-madeira-capitulo-2/#respond Mon, 11 Jan 2021 09:55:57 +0000 https://espartano.pt/?p=1709 Mais uma vez jogamos na Madeira, desta feita com o Marítimo e a contar para...

The post À Conquista da Madeira – capítulo 2 appeared first on O Espartano.

]]>
Mais uma vez jogamos na Madeira, desta feita com o Marítimo e a contar para a Taça de Portugal.

Histórico de confrontos e eliminatórias passadas

O Sporting, até aqui, eliminou o Sacavenense por 1-7 e o Paços de Ferreira por 3-0. Já a equipa Madeirense eliminou o Penafiel por 2-3 e o Salgueiros por 2-1, ambos com recurso a prolongamento.

Relativamente à história de Taça de Portugal entre ambos emblemas…

Em nove vezes estivemos 2 em casa do Marítimo e em Alvalade por 7 ocasiões. O Marítimo deve ser dos adversários mais comuns do Sporting em ambas as taças, com o Sporting a vencer por 8 vezes nos encontros para a Taça de Portugal contra uma do Marítimo em Alvalade, corria o ano de 1989.

O jogo com mais golos foi um 5-2 em 1952, já o jogo mais tranquilo para o Sporting foi um 3-0 em 2011. Tirando o 2-0 de 1995 e estes dois resultados que falei anteriormente, todos os restantes foram por 2-1.

Expetativas de 11

Bem sabemos que Rúben Amorim foge dos suplentes e titulares absolutos, contudo o jogo da taça é tradicionalmente usado para alguma rotação. Contudo, a equipa madeirense é bem matreira e inclusive no campeonato venceu o Porto. Por isso prevêem-se umas 3-4 alterações no máximo, ao contrário do que aconteceu, por exemplo, em outros jogos de taça, em que Rúben Amorim rodou bastante a equipa, principalmente na defesa.

OK, vamos lá.

Max é, com certeza, esperado. Coates deve ficar e Inácio aparece para fazer descansar Feddal que, se não jogar hoje, vai passar uma semana de “férias”, pois não joga na próxima jornada do campeonato. Antunes vai fazer descansar um Nuno Mendes, que tem estado um pouco tocado ainda da lesão na anca.

Jovane regressou no jogo passado e será a minha aposta para titular. Tabata também estará de regresso ao lado esquerdo. O meio campo com Bragança e Matheus ou Palhinha, já Porro acredito que se mantenha, apesar de o fazer descansar não seria de todo uma péssima opção, contudo o jogo é de risco elevado.

Na frente, estou seriamente na dúvida para ver se será Sporar ou TT o titular.

Vemo-nos mais uma vez na semana com o jogo em Alvalade frente ao Rio Ave.

Vamos equipa! E não se esqueçam… cuidem-se.

#DiadeSporting

The post À Conquista da Madeira – capítulo 2 appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/a-conquista-da-madeira-capitulo-2/feed/ 0
Vitórias para aquecer https://espartano.pt/vitorias-para-aquecer/ https://espartano.pt/vitorias-para-aquecer/#respond Sun, 10 Jan 2021 12:00:25 +0000 https://espartano.pt/?p=1705 Chegámos ao nosso último dia destes 3 dedicados às modalidades. Para terminar em beleza, neste...

The post Vitórias para aquecer appeared first on O Espartano.

]]>
Chegámos ao nosso último dia destes 3 dedicados às modalidades. Para terminar em beleza, neste domingo vamos falar do basquetebol nacional masculino, do voleibol masculino do Sporting e terminamos com o andebol que vai da nossa seleção até às competições europeias femininas.

Por isso, venham daí que tenho muito para vos falar neste domingo frio.

Basquetebol Nacional Masculino

Iniciamos o nosso domingo com a última jornada do basquetebol nacional.

No masculino, o Sporting venceu a Oliveirense por 85-78 após prolongamento. Mais um bom jogo da nossa equipa, este com números mais altos que os dois anteriores com os nossos rivais. Aqui as defesas estiveram bem, mas não estiveram como nesses dois grandes jogos anteriores. Nem sempre foi assim tão bem jogado, também por isso a ida a prolongamento.

Do nosso lado, há a destacar o Travante que fez o melhor jogo em algum tempo, neste sábado, sim, ele apareceu com 27 pontos, 5 roubos de bola, 3 ressaltos e 3 assistências, melhor do que os últimos e, mesmo não tendo sido perfeito, esteve em melhor plano nos triplos com 4 em 14. Isto também, porque o Ellisor teve um jogo abaixo do normal com apenas 9 pontos e a equipa acaba sempre por se ressentir quando algum dos jogadores mais importantes tem um dia abaixo do que pode fazer.

Com Fields abaixo, apenas 7 pontos fruto dos 5 em 7 lances livres que ele converteu, porque além disso só conseguiu por uma vez encestar, voltou a aparecer o nosso Ventura, o base português está em grande forma, provavelmente a melhor forma dele desde que está no Sporting e, desta vez, conseguiu 17 pontos, 8 ressaltos, 6 assistências e destacou-se com 3 em 4 na linha de três pontos.

Um primeiro período que foi nosso com a Oliveirense a entrar e isso pesou. Melhoraram no segundo período, mas é de destacar o Travante por ter entrado muito bem na partida. Aqueles 3 triplos de início anteviam um jogo muito bom, depois ele abrandou e só meteu mais um.

O jogo equilibrou mais com o empate a 11 no terceiro período e, mesmo vencendo por 18-17, no quarto tivemos de ir a prolongamento onde fomos mais fortes que a Oliveirense.

O período pior foi o terceiro, jogo feio e em alguns momentos até atabalhoado. Os últimos minutos foram de muita intensidade. Nós até estávamos melhores, mas a Oliveirense aproveitou bem as oportunidades que demos e conseguiu empatar a 74, já nos últimos segundos. No prolongamento, fomos mais fortes e aí não podemos dizer nada.

No lado da Oliveirense, José Barbosa sempre bem, este ano não tanto nos pontos, apenas conseguiu 3 pontos, mas voltou a liderar nas assistências com 10 assistências. Balseiro e o João Guerreiro também estiveram muito bem, com 12 e 13 pontos respetivamente.

Com este triunfo seguimos invictos na liderança da Liga Placard com 26 pontos, mais um do que o segundo classificado, o FC Porto, e em terceiro o Benfica com 23 pontos.

O Porto venceu o Imortal por 70-50, num jogo mau com percentagens muito más, basta ver os triplos, 26% e 8%. Não foi um bom jogo, nem propriamente muito bem jogado, mas a maior qualidade do Porto fez a diferença neste jogo.

O Imortal também poupou jogadores a pensar no jogo para a Taça amanhã, isso não ajudou, mas a aposta é na Taça e, por isso, alguma rotação que existiu, mas o jogo foi mau.

Do lado do Porto, por exemplo, o Gordon deve ter feito o seu pior jogo de carreira em lançamentos com a percentagem de lançamentos a ser mesmo muito má. Basta ver que foram 2 em 11 de lançamentos de 2 pontos e 0-6 em lançamentos de 3 pontos, para além dos 4 turnovers que fez (a equipa fez 19, o que também diz bem deste jogo).

Para mim, perante um jogo fraco, o destaque, o maior destaque foi Tanner McGrew, com 12 pontos (1 em 2 lançamentos de 2 pontos; 2 em 3 lançamentos de 3 pontos; 4 em 4 lances livres), 3 ressaltos, 1 assistência, 1 roubo de bola em 24:29 minutos de jogo. Está claramente a crescer e a jogar cada vez melhor de jogo para jogo.

Do lado do Imortal destacou-se DJ Fenner novamente, tal como em muitos jogos este ano foi o melhor, desta vez foram 12 pontos, 3 ressaltos, 1 assistência e 2 roubos de bola.

Depois falar ainda da vitória do Benfica por 93-73, com muita rotação contra uma equipa do Maia que é das mais fracas e que, mesmo assim, criou alguns problemas à rotação encarnada, que se diga, jogou mal, com muita falta de intensidade e demasiados erros.

Dá para tirar ilações do jogo ter sido menos bom com as percentagens de lançamento do Benfica:

-Em 32 lançamentos de 2 Pontos (foram 17 convertidos) 53%

-Em 41 lançamentos de 3 Pontos (foram 18 convertidos) 44%.

Rafael Lisboa voltou a evidenciar que não pode ter tantos minutos numa equipa que ambiciona vencer o título. José Silva, em grande neste jogo com 19 pontos, conseguiu 5 em 9 de três. Nesse capítulo foi Carter a estar em evidência com 4 em 5. O reforço Quincy Miller esteve em bom plano com 14 pontos, 8 ressaltos, 1 assistência e 3 roubos de bola. Alford também conseguiu 14 pontos

Ainda estão a começar, mas o jogo apesar de menos bem jogado, deu mais uma vitória aos encarnados que, mesmo sem brilho, cumpriram os mínimos para manter a perseguição ao Sporting.

Voleibol Sporting Masculino

Se no programa de sexta dedicámos uma grande parte ao voleibol feminino, aqui vamos falar dos dois últimos jogos da equipa masculina.

Duas vitórias, as duas primeiras nesta segunda fase, e que bem que elas caíram depois dos maus jogos e das derrotas, mas mal seria se em algum destes jogos os resultados tivessem sido outros.

O primeiro foi na semana passada quando vencemos o Sporting de Espinho por 1-3 com os parciais de 20-25, 22-25, 25-20 e 20-25. Voltou a ser um jogo onde não jogámos muito bem, mas vencemos e, dentro do momento da equipa, isso acaba por ser o mais importante.

Fizemos uma exibição razoável com o nosso serviço a decidir a nosso favor os 2 primeiros sets. Um terceiro set com muitos erros e um quarto onde conseguimos melhorar e não cometemos tantos erros. Claramente, Gersinho a querer criar rotinas nos “titulares”.

No jogo seguinte foi ainda mais evidente com Gersinho a ver que nem todos rendem, alguns não contam e outros abaixo ou ainda a recuperar como o caso do Levi. Faz sentido isto, tentar que estes criem todas as rotinas e que, pelo menos, os nossos “titulares” tenham um jogo fluído entre eles com o máximo de entrosamento.

O Espinho tentou responder várias vezes, mas nunca conseguiu ultrapassar o Sporting. A equipa de Espinho teve um jogo abaixo de outros anteriores. O Sporting não jogando assim tão bem, conseguia superar o bloco e o Espinho, sem muitos problemas.

João Fidalgo voltou a estar em bom plano e somou várias recuperações importantes, um jogador sempre regular.

Podemos continuar a falar da consolidação do processo de jogo e que é preciso dar tempo, mas estamos em janeiro. Se o processo de jogo ainda está a precisar de ser implementado não é nada bom sinal.

Este jogo com o Espinho deu-nos uma ajuda. Gersinho no final estava feliz, como poucas vezes se tinha visto. No jogo em si apesar de razoável vimos o bloco em bom plano, a nossa defesa também bem, por isso deu para ver melhores pormenores na nossa equipa.

O Espinho esteve um pouco abaixo também, mas uma importante vitória para o que resta do campeonato.

Hélio Sanches foi a nossa maior figura neste jogo. Do lado do Espinho foi Dinis Leão, pelo menos para mim.

Depois desta vitória tivemos o triunfo de ontem, um sábado em que vencemos outro Sporting, mas desta vez das Caldas por 3-0 com os parciais de 25-18, 25-23 e 25-17.

Dois sets onde sentimos alguns problemas, onde o equilíbrio reinou e um terceiro onde até podíamos ter vencido de forma mais tranquila. 

O segundo set foi mesmo o mais difícil, o mais equilibrado, porque Frederico Santos “acordou” e, como distribuidor, passou a olhar para o oposto, Vítor Amorim. Aí a qualidade deste oposto criou-nos alguns problemas. Além disso, o bloco do Caldas com o central Humberto e o oposto Amorim ia aparecendo.

Neste set sentimos problemas. Bruno não estava a ajudar, os passes não saíam bem e alguns jogadores como o Hélio, iam estando com mais dificuldades, mesmo assim vencemos o segundo set.

No terceiro houve algumas alterações e basicamente sempre que acelerámos criámos mais dificuldades ao Caldas, que são normais atendendo às diferenças entre as equipas. Deu para tudo neste terceiro set, até o Rojas entrou e pontuou, mas a diferença entre as equipas foi o que mais pesou neste último set. Mesmo não estando a jogar super bem, a nossa equipa é muito superior ao Caldas e neste set isso ficou mesmo muito evidente.

Gersinho no final destacou que o mais importante é mesmo o vencer, e tem toda a razão. Não estamos a jogar nada por aí além e mesmo num jogo mais acessível cometemos erros a mais, mas o que fica é a vitória, neste caso as duas seguidas, que nos dão alguma moral para o que aí vem.

Neste jogo, Dvoranen foi o nosso maior destaque, esteve muito bem na receção. Do lado do Caldas foi mesmo o Humberto a estar em maior destaque.

Com dois triunfos, temos agora 6 pontos, estamos empatados com o Fonte Bastardo, que só jogou ainda por duas vezes, e estamos a 3 do nosso próximo adversário, o Esmoriz, e também 3 do Sporting de Espinho e do Benfica, os encarnados no caso com menos um jogo.

Andebol

Para terminar estes três dias, vamos para a atualidade do andebol.

Começamos pela seleção de Portugal que venceu o primeiro de três duelos contra a seleção Islandesa por 26-24. Com isto chegámos aos 6 pontos em três jogos no Grupo 4, mais um passo na luta pela qualificação para o Euro 2022. Somos uma seleção com tudo para ser uma das sensações das próximas grandes competições.

Neste jogo ficou um duelo complicado, como já se esperava, mas desde o começo e apesar das dificuldades, ficou evidente a nossa superioridade.

Entramos bem, mas fomos sofrendo muitas exclusões, sobrou então para o Quintana impedir que a seleção adversária conseguisse aproveitar, quando a nossa seleção estava reduzida a 5 jogadores.

Muita cabeça ao longo deste jogo, tivemos que ser pacientes e ganhámos muito no 7×6 e foi aí que subimos de rendimento, mas fomos tendo vários problemas ao longo da partida, desde os imensos desacertos no ataque, os remates precipitados, na baliza estava como sempre um super Quintana que não sabe jogar mal. Não foi um jogo nada fácil para a nossa seleção que sofreu um pouco com os islandeses, que foram aproveitando as oportunidades que iam surgindo.

Chegámos ao intervalo com um 14-11, apesar de todos os problemas e erros íamos estando na dianteira do resultado com o nosso 7×6 a surtir muito efeito e os islandeses a não conseguirem pará-lo.

Na segunda parte, a seleção islandesa foi aproveitando os erros para recuperar e para se aproximar no resultado. A seleção islandesa mudou e passou a optar por jogadores mais jovens, deixando alguns como  Aron Palmarsson a descansar.

Voltámos a ter exclusões, no caso o Fábio Magalhães, o que a juntar à lesão do Alexandre Cavalcanti, complicou-nos muito o trabalho e os islandeses iam aproveitando tudo isto.

Aos 15 minutos estávamos atrás do marcador, pouco depois tivemos o livre de 7 metros que o Humberto defendeu e que nos catapultou para o empate e, para mais à frente, assumirmos de liderança do marcador.

A nossa qualidade veio ao de cima e soubemos mesmo com falhas passar para a frente e assumir a dianteira do jogo.

Foi dia do Pedro Portela, não só por ser o seu aniversário, como foi o nosso melhor marcador com 7 golos e uma bela exibição.

Acabaram por ser os detalhes a fazerem a diferença e aí fomos melhores e acabámos por vencer a seleção Islandesa por 26-24.

Hoje e no próximo dia 14 voltamos a jogar com esta mesma seleção Islandesa, com os olhos no primeiro jogo do Mundial, mas com ambições de vencer estes dois jogos que, de certeza, vão ser muito complicados.

Depois da nossa seleção, vamos para as competições europeias no feminino.

Começamos pela Champions League, onde Buducnost venceu por 31-27 o Borussia 09 Dortmund. Foi um jogo muito equilibrado, ao intervalo estava um empate a 15.

A segunda parte já foi bem diferente. As montenegrinas dominaram os segundos 30 minutos, conseguindo, assim, a sua terceira vitória na competição.

As montenegrinas até começaram melhor, mas as alemãs foram reagindo e chegaram ao intervalo empatadas.

No segundo tempo algo parecido, mas ainda mais favorável às montenegrinas que chegaram a ter uma vantagem de 6-0 no início do jogo.

Depois voltou tudo novamente a um certo equilíbrio, com as alemãs a conseguirem uma reaproximação, mas sempre com as montenegrinas no controlo da partida.

Inger Smits esteve muito bem no lado do Dortmund, com muitas das recuperações a serem dela e por o que ela fazia. Jovanka Radicevic foi quem liderou as montenegrinas, com a experiência e a qualidade a pesaram e ela acabou como melhor marcadora com 10 golos.

Depois vamos ao empate a 28 entre o Vipers e o Esbjerg. Mais um belo jogo de andebol, um confronto equilibrado e muito tático. Não faltaram belos pormenores tanto em golos, como no ponto de vista tático. Vipers esteve sempre melhor, abriram com uma vantagem de 3-0 logo no início do jogo, mas nunca a conseguiram alargar.

Na segunda parte abriram com um 5-1. O Vipers esteve sempre melhor, mas foi um jogo onde essa vantagem e ligeira superioridade não valeu de nada, pois as norueguesas deixaram várias vezes as vantagens que foram conseguindo ao longo do jogo.

As jogadoras do Esbjerg, apesar de terem estado muito tempo em desvantagem, nunca deixaram de acreditar e foram sempre atrás. O ponto mais eletrizante foi quando o Esbjerg recuperou os 4 golos de desvantagem na fase final do jogo.

Nora Mørk conseguiu 10 golos, está em alta como vimos no Europeu, fortíssima como sempre e aqui não faltaram golos da Nora, nem bons momentos. As norueguesas desperdiçaram as vantagens, mas não por culpa da Nora que cumpriu e jogou muito bem.

Classificação dos dois grupos:

Grupo A

Grupo B

Depois da Champions League, vamos para a Liga Europa e vamos destacar mais alguns bons jogos.

O Handball Club Lada venceu por 32-29 o Nantes. Com uma primeira parte equilibrada e a prova disso foi o empate a 14 ao intervalo, tudo fruto de uma primeira parte realmente equilibrada.

O Nantes até abriu uma vantagem de 1-5 no início do jogo, mas com o decorrer do primeiro tempo, o equilíbrio foi reinando até ao empate no intervalo.

No segundo tempo bem diferente, as russas abriram uma primeira vantagem quando chegaram ao 23-19 e daí nunca mais deixaram de estar na frente. Viram a sua vantagem ser encurtada, mas nunca a perderam.

Olga Fomina em grande destaque do lado das russas, já do lado francês o maior destaque foi a Bruna de Almeida com 9 golos e com isso a melhor marcadora desta partida.

Depois destacar ainda CS Minaur Baia Mare 33-29 Storhamar Handball Elite. As romenas levaram a melhor em mais um bom jogo de andebol.

Tal como nos jogos anteriores que referi, a primeira parte foi mais equilibrada, mas, mesmo assim, as romenas já foram para o intervalo a vencer por 14-13. Curiosamente até foram as norueguesas a começar melhor, abriram uma vantagem de 1-4 que perderam rapidamente. As romenas empataram já nos últimos 10 minutos da primeira parte, 11-11 na altura, depois assumiram pela primeira vez a dianteira do marcador com o 12-11, mas sempre com muito equilíbrio.

Na segunda novamente as norueguesas a entrar melhor, assumiram novamente uma boa vantagem quando venciam por 16-21 e foi aqui que as romenas mudaram e começaram a responder. Empataram a 28, com um belo golo da Popa ao minuto 53.

Daí em diante, assumiram a vantagem e já não a perderam. Acabou por ser parecido com o primeiro tempo, mas com uma vantagem um pouco maior. A questão física também pesou no final.

Popa foi para mim a melhor jogadora desta partida com 8 golos e Kovacevic e Nestaker as melhores marcadoras da partida com 9 golos.

Terminámos assim os nossos 3 dias das modalidades. Mais uma semana com muito espaço para as modalidades.

Espero que todos tenham gostado, espero que tenham visto a entrevista e o vídeo de sexta e espero que tenham gostado de tudo.

Desejo um bom domingo para todos. Cuidem-se e protejam-se.

Até sexta para arrancar com mais uma semana das modalidades aqui no Espartano.

Obrigado e aqui as modalidades têm sempre toda a voz!

The post Vitórias para aquecer appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/vitorias-para-aquecer/feed/ 0
As Duas Caras e a Glória https://espartano.pt/as-duas-caras-e-a-gloria/ https://espartano.pt/as-duas-caras-e-a-gloria/#respond Sat, 09 Jan 2021 11:55:39 +0000 https://espartano.pt/?p=1703 Hoje é Sábado, e, portanto, vamos ao segundo dia das modalidades do Espartano. Para este...

The post As Duas Caras e a Glória appeared first on O Espartano.

]]>
Hoje é Sábado, e, portanto, vamos ao segundo dia das modalidades do Espartano.

Para este dia, o menu desportivo que vos apresento tem futsal masculino do Sporting com duas caras, depois vamos até ao mundo do hóquei em Patins e terminamos com a NFL.

Futsal Masculino Sporting

Iniciamos esta semana com o futsal e uma grande vitória do Sporting, bem como um empate que surpreendeu e custou a perda da liderança isolada.

Na jornada passada o Sporting recebeu o Elétrico que era o quarto classificado e uma equipa em destaque nesta temporada.

Era esperado um jogo mais apertado e mais complicado, mas a verdade é que que jogámos de tal forma bem que não demos a mínima hipótese para o Elétrico se mostrar e para que surgisse em alguma forma de contestação a esta vitória.

Vencemos por 15-1!! O resultado foi mesmo pesado, e foi assim devido ao Sporting, que fez um jogão e que venceu de uma forma das mais esclarecedoras possível.

Entrámos com Guitta, João Matos, Cavinato, Pauleta e Merlim, como tantas vezes o nosso 4-0 a entrar de início. A entrada foi soberba, o nosso jogo desde cedo evidenciou-se, sempre muito fluido e com muita qualidade.

Aos 5 minutos já vencíamos por 4-0, já estávamos a dar um show de futsal. As oportunidades iam surgindo em catadupa, íamos encostando o Elétrico às cordas.

A equipa de Ponte de Sôr não ia conseguindo fazer nada nem lidar com este comboio que ia marcando e criando perigo sem parar.

Surgiu alguma reação do Elétrico, era uma resposta de alguma forma, mas sem efeito, e com pouca duração porque o nosso rolo ia continuando a comprimir o adversário e não ia dando a mínima hipótese para que a equipa do Elétrico pudesse pensar em algum tipo de reação.

Criávamos e marcávamos, o que nem sempre acontece, mas neste jogo não só criámos muito, como marcámos muito, e isso fez a diferença.

Foi um ótimo jogo do Sporting em todos os aspetos. Além de no ataque a equipa ter estado muito forte, na defesa estávamos igualmente bem, a pressão estava alta e muito sufocante, pressão essa que ia impedindo que a estratégia de Kitó Ferreira funcionasse. Tentou o 4×5, mas tal como tudo o resto, não funcionou.

Chegamos ao intervalo a vencer por 7-0, sem contestação alguma e com uma exibição de encher o olho.

No regresso dos balneários o massacre continuou, não abrandámos, não baixámos e nem tirámos o pé. O Sporting continuou a jogar muito bem e a dominar por completo a partida. Continuámos a chegar muito fácil à baliza do Elétrico, a chegar e a marcar e nem precisámos de usar as bolas paradas para chegar aos golos.

O Benfica empatou a 4 com o Braga e nós assumíamos assim a liderança isolada da liga, por isso além da enormíssima exibição, ainda tínhamos o empate do rival direto para comemorar.

A verdade é que a jornada mudou, vínhamos deste domingo espetacular e com a moral em alta, líderes isolados e até jogávamos primeiro.

No primeiro jogo da 16ª jornada, moral nos píncaros, e, apesar dos jogos em Porto Salvo serem sempre complicados, todos nós contávamos com mais uma boa exibição e mais uma vitória.

Entrámos bem, novamente uma boa entrada, novamente o nosso 4-0 de início com o mesmo 5 inicial da semana passada, até aqui tudo bem.

No entanto, não íamos conseguindo criar nem marcar tanto como no domingo passado, mas a exibição ia sendo boa.

Dá para perceber isso quando vemos o minuto a minuto do Duarte Pereira da Silva no Leonino, mais um ótimo acompanhamento. Como podemos ver aqui, o jogo era nosso, e, mesmo que mais equilibrado, erámos nós que íamos estando por cima.

Prova disso o 2-4 a nosso favor ao intervalo, dizia bem desta nossa exibição. Chegávamos ao intervalo e todos nós esperávamos que a segunda parte fosse igual, que desse mais Sporting, mas a verdade é que isso não aconteceu. Ao contrário da semana passada a equipa não regressou igual, deu ideia que a equipa não chegou a entrar para o segundo tempo, isto porque a nossa exibição foi má, não jogámos a segunda parte, entrámos em campo fisicamente apenas.

A equipa de Oeiras começou a crescer na partida, e a alimentar a ideia de que podiam empatar, principalmente depois da grande penalidade que o André Galvão converteu. Foi aqui que o jogo mudou por completo e que os Leões foram com tudo.

Mudaram e apostaram no 5×4, com o guarda-redes avançado na busca pela partida e foram conseguindo, realmente a nossa equipa não jogava, tinha muitos erros e desconcentrações. Os Leões foram aproveitando para chegar ao empate, o quarto golo que empatou a partida já chegou no minuto final da, numa altura em que nós já sofríamos muito, e estávamos com cada vez menos margem.

A pressão alta do jogo com o Elétrico não existiu neste segundo tempo, a defesa errava e falhava, os erros iam-se acumulando e fomos perdendo a vantagem até chegar ao ponto de os Leões empatarem em cima do final do jogo.

Sem Taynan, com mais tempo de jogo para os mais novos a equipa não se pode que tenha acusado essas mudanças.

No primeiro tempo funcionou, o que mudou tudo foi mesmo o intervalo, a ida para os balneários em vantagem não fez bem para a equipa.

Não faz sentido individualizar neste ou naquele jogador, principalmente nos mais novos, quando na verdade foi o coletivo que falhou, foram todos que desligaram da partida quando ainda tinham uma parte para jogar.

Não belisca a grande época que a equipa está a fazer, nem apaga nada do que se tem feito. Pode ter o efeito de todos voltarem a colocar os pés no chão e perceberem que nada está ganho antes do apito final.

André Galvão foi a figura da partida com 3 golos, o pivot fez uma bela exibição e voltámos como tantas vezes, a sofrer às mãos de um antigo jogador.

Os números falam por si sobre esta equipa, estes dados são de antes deste empate, mas a Maria com um trabalho muito bom colocou aqui para todos nós vermos a época tremenda desta equipa.

Na tabela continuamos em primeiro lugar, mas agora empatados com o Benfica, ambas com 44 pontos em 16 jogos.

Modicus segue no terceiro lugar com 29 pontos, mas menos um jogo.

Hóquei em Patins

Vamos agora para a nossa segunda modalidade deste sábado.

Começamos pelo feminino onde tivemos o primeiro jogo da segunda fase, o Benfica venceu o Clube Académico da Feira por 2-8.

Nada a dizer deste jogo, as jogadoras encarnadas foram melhores e como esperado venceram sem grandes problemas. Maria Sofia Silva marcou 3 golos, já leva 37 golos em 12 jogos, além dela ainda destacar a Marlene Sousa, a Flor e Macarena, três jogadoras que também marcaram um golo cada.

Foi um bom jogo, as encarnadas viram a qualidade sobressair e acabaram por vencer sem grandes dificuldades. Destaco a Cátia Gomes que marcou um golo do Feira e fez uma boa exibição, num jogo complicado para o clube.

Noutro jogo vamos ao grupo 2, o grupo da manutenção em que o CENAP venceu o Vila Boa do Bispo por 6-2. Sofia Fonseca esteve em grande, marcou 3 golos e jogou muito bem, foi uma enorme exibição da Sofia que parecia que estava impossível de segurar. Catarina Martins marcou 2 golos do CENAP e também ela esteve em grande neste jogo.

Do lado do Vila Boa do Bispo, a Inês Rodrigues marcou e esteve muito bem, foi um bom jogo da Inês, mesmo num jogo tão desnivelado. Apesar do bom jogo, ela não conseguiu fazer mais, a equipa sentiu problemas e acabaram mesmo por perder.

No Masculino, destaco o Tomar que venceu o Ponta Delgada por 3-18. O Tomar como esperado confirmou o favoritismo na Taça de Portugal e venceu uma equipa da Terceira divisão. Lucas Honório marcou 5 golos.

O Xanoca, o Rúben Sousa e vários outros brilharam com 2 golos, foi um bom jogo do Tomar, como esperado venceram.

Depois vamos para Espanha para falar da final da Supertaça que eu falei e lancei o último jogo da final no artigo.

Na final o grande duelo entre o Barcelona e o Réus deu espetáculo. Foi um enorme jogo de hóquei em patins que o Barcelona levou a melhor por 4-1.

O Réus jogou muito bem, mas não tiveram hipóteses de discutir este jogo perante um Barça tão forte. Do lado do Barcelona esteve um Hélder Nunes em alta. O português marcou 3 golos e fartou-se de espalhar magia, foi um recital de bom hóquei que o Hélder deu nesta supertaça, neste jogo esteve absolutamente fantástico. Além dele, Bargalló e Panadero estiveram muito bem, o Bargalló marcou um golo e brilhou muito, mas todos foram ofuscados pelo Hélder.

Do lado do Réus, o melhor foi o Marin, novamente o capitão do Réus em grande com um golo. Além dele, o Alex Rodriguez também voltou a estar bem, mas realmente o Barcelona esteve muito melhor, não deu hipótese nenhuma e venceu a 11ª supertaça, título que fugia desde 2017.

Depois vamos a Itália, onde o Trissino que estava na luta pelos primeiros lugares acabou por ser derrotado por 3-2 pelo Follonica.

Foi um duelo entre treinadores portugueses e onde o Sérgio Sousa levou a melhor sobre Nuno Resende. Foi um bom jogo de hóquei, com muita disputa e muita animação.

Oscar Bonarelli marcou um golo e foi das maiores figuras deste jogo, o João Pinto e o Caio jogaram, mas tiveram um jogo menos bom, e também isso explica algumas dificuldades do Trissino.

O Valdagno venceu o Breganze por 4-2. Foi mais um bom jogo do Valdagno, que continua a jogar muito bem e com boas exibições.

Mais uma vez André Centeno esteve em alta, o português marcou dois golos e foi mesmo o melhor jogador desta partida. Cocco também marcou um golo e também ele esteve em grande e jogou muito bem.

Do lado do Breganze, dou destacque para o Pol Gallifa. O espanhol marcou e foi o jogador que mais tentou levar a equipa para a discussão do resultado, mas não foi capaz. O Valdagno foi novamente muito superior e mais uma vez venceu sem deixar margem para dúvidas.

Lodi venceu o Bassano por 6-4. Mais uma equipa que está a jogar muito bem e que venceu, mas não de forma tão confortável como o Valdagno.

Andrea Gori destacou-se novamente na partida mesmo sem marcar golos, e o Jordi Méndez foi a maior figura com 2 golos. Com 2 golos, o Compagno esteve em alta.

Mar Coy marcou 2 golos no lado do Bassano, e foi ele a maior figura desta equipa, que também jogou bem, mas não o suficiente para conseguirem discutir ainda mais a partida.

Por fim, destaco o melhor jogo em Itália nesta jornada: o Sarzana que venceu o Monza por 3-4, enorme jogo de muita qualidade.

Foi o jogo mais equilibrado, mais discutido e onde os detalhes fizeram a diferença.

Joan Galbas foi a maior figura desta partida, marcou 3 golos e brilhou. Um dos golos dele foi de livre direto, muito bem marcado, tal como tudo o que ele fez neste jogo. Destaco ainda o Davide Nadini que marcou 2 golos do Monza, e que foi quem liderou o Monza na busca pela vitória e neste embate de muito equilíbrio. Marcou dois golos e encantou com bons momentos de hóquei de muita qualidade.

Na tabela o Valdagno lidera com 28 pontos, Lodi segue em segundo com 27 pontos e em terceiro segue o Sarzana com 25 pontos. São três equipas que jogam bem e que não parecem abrandar, com bons duelos em perspetiva para a próxima semana.

No masculino vamos ainda a Espanha para falar de duas partidas que estavam por jogar da 11ª jornada: o duelo entre o Palafrugell e o Caldes que o Palafrugell venceu por 4-3. Foi mais um bom jogo com muito equilíbrio, o Palafrugell em busca de tentar fugir dos últimos lugares e o Caldes a tentar manter o lugar entre os primeiros 5.

O jogo em si foi muito equilibrado e o Palafrugell jogou melhor e foi um justo vencedor. Sergi Canet marcou dois golos e ajudou nesta importante vitória para que a equipa fugisse da zona vermelha da tabela.

Do outro lado, o Sergi Miras voltou a marcar e a jogar muito bem, além dele o Cristian Rodriguez também marcou um golo e também ele jogou muito bem.

Por fim falamos do Vic que perdeu por 0-5 frente ao Taradell. Foi um jogo completamente diferente, aqui reinou o desequilíbrio e teve uma equipa muito mais forte, que não deu hipóteses ao Vic que esta cada vez mais afundado no último lugar da tabela. Em 11 jogos ainda só venceram 1 jogo, diz bem de como a época está a ser má e o porquê de mais um jogo onde foram derrotados de forma tão tranquila.

Taradell também quer afastar-se mais ainda da zona de descida. Com esta vitória alargou um pouco essa vantagem para o primeiro dos últimos.

Neste jogo destacaram-se dois jogadores: Dani Rodriguez com 2 golos e o Vitor Crespo com 3 golos, dois jogadores que lideraram a equipa e que assumiram o peso não só dos golos, mas também o peso da liderança do grupo.

Apesar do desequilíbrio foi um bom jogo, Vic realmente não parece ter a mínima hipótese de dar a volta a este momento, estão cada vez mais perdidos e a diferença é enorme para a maioria das equipas.

Em Espanha mesmo sem terem jogado ainda o Liceo lidera com 37 pontos, o Barcelona segue na vice-liderança com 34 pontos e em terceiro segue o Lleida com 29 pontos. Tem sido um boa época do Lleida, mas nesta altura já com uma diferença para as duas primeiras equipas.

NFL

Para a última modalidade deste sábado, vamos falar da última semana da fase regular da NFL.

Washington venceu os Philadelphia Eagles por 20-14, e garantiu o título da NFC Leste, e, assim, irá enfrentar o Tampa Bay Buccaneers na primeira rodada dos play-offs.

A equipa de Washington começou o jogo da melhor forma, abrindo uma boa vantagem ainda no primeiro quarto.

Alex Smith fez um passe de 5 jardas para Terry McLaurin fazer 7-0 para os visitantes. Um field goal de 42 jardas convertido por Dustin Hopkins colocou a vantagem de Washington em 10 a 0.

No segundo quarto foi quando os Eagles apareceram no jogo e conseguiram uma rápida recuperação.

Com duas corridas de 6 jardas de Jalen Hurts que viraram dois touchdowns, a equipa da casa conseguia estar na frente por 14 a 10.

No último drive do primeiro tempo, porém, o ataque de Washington voltou a prevalecer. Um passe de 13 jardas de Alex Smith encontrou Logan Thomas e a endzone.

Com isso, o jogo foi para o intervalo com 17 a 14 para Washington. O terceiro quarto passou em branco e o placar só voltou a ser movimentado no último período quando um field goal de 42 jardas de Dustin Hopkins colocou a vantagem de Washington em 20 a 14.

Depois, na última Monday Night Football da temporada 2020 da NFL, os Buffalo Bills mostraram quem é o verdadeiro dono da AFC Leste e venceu com facilidade o New England Patriots por 38 a 9 na semana 16.

A dupla Josh Allen/Stefon Diggs simplesmente não deu nenhuma hipótese para a defesa dos Patriots.

Allen lançou para quatro touchdowns, três deles tendo como destino as mãos de Diggs que atingiu a marca de 34 touchdowns lançados na temporada e superou o recorde da franquia, que pertencia a Jim Kelly (33), num único ano na NFL.

Do outro lado, Cam Newton teve mais uma partida sofrível e não conseguiu extrair qualidade do lado ofensivo. MVP da NFL em 2015, Newton foi substituído no terceiro quarto por Jarrett Stidham após conseguir apenas 34 jardas passadas.

Já os Patriots acumulam mais marcas negativas na sua era pós-Tom Brady, é a primeira vez desde 2000 que a equipa perde os dois jogos na temporada contra um rival de divisão.

Na modesta NFC Leste, os New York Giants venceram no duelo direto contra os Dallas Cowboys por 23-19 e colocaram-se em posição de classificação para os playoffs, apesar da campanha de apenas 6 triunfos e 10 derrotas.

Para tal, precisavam de uma vitória do rival Philadelphia Eagles sobre Washington no Sunday Night Football. Mas no último jogo do domingo, os Philadelphia não quiseram ajudar o rival.

Numa decisão polémica, o treinador Doug Pederson tirou o quarterback titular Jalen Hurts de campo e colocou o reserva Nate Sudfeld no 4º período.

Os Eagles não conseguiram mais nenhum ponto na partida e Washington carimbou a vaga para os playoffs com um triunfo por 20-14, dando sequência à incrível história de superação de Alex Smith.

Os Tennessee garantiram o seu primeiro título de divisão desde 2008 com uma vitória por 41-38 nos últimos segundos.

Os Texans deram a volta ao jogo no último quarto para 35-31, os Titans responderam e deram a volta por 38-35, Deshaun Watson empatou com apenas 18 segundos no relógio (38 a 38) e ainda deu tempo de marcharem no campo em duas jogadas para um triunfo de muita qualidade.

Na definição das vagas de Wild Card na Conferência Nacional, quem acabou por se dar mal foi a equipa de Arizona.

Os Cardinals precisavam de vencer os rivais Rams, entraram já a saber que Jared Goff e Cooper Kupp seriam baixas. O que não esperavam, no entanto, era uma lesão do seu próprio quarterback Kyler Murray logo no início do jogo.

Com o reserva Chris Streveler comandando as ações, a equipa de Los Angeles concedeu apenas 7 pontos e acabou por sair com a vitória e a qualificação para os playoffs. Os Bears garantiram a última vaga, mesmo com a derrota por 35 a 16 para os Green Bay Packers.

O nosso sábado chega assim ao fim. Espero que tenham gostado do programa e da entrevista desta semana, e, além disso, espero que todos tenham um ótimo sábado. Amanhã estaremos novamente aqui, para mais uma vez dar voz às modalidades. Até amanhã e apoiem as modalidades.

The post As Duas Caras e a Glória appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/as-duas-caras-e-a-gloria/feed/ 0
Sporting à conquista das ilhas https://espartano.pt/sporting-a-conquista-das-ilhas/ https://espartano.pt/sporting-a-conquista-das-ilhas/#respond Thu, 07 Jan 2021 21:55:00 +0000 https://espartano.pt/?p=1699 Boas a todos.  Depois de uma importante vitória frente ao Braga, hoje jogamos com o...

The post Sporting à conquista das ilhas appeared first on O Espartano.

]]>
Boas a todos. 

Depois de uma importante vitória frente ao Braga, hoje jogamos com o Nacional na Madeira e avizinha-se um jogo extremamente difícil, se é que vai acontecer hoje.

Histórico de confrontos e confronto direto

O Sporting leva uma série invicta em todas as competições desde a eliminação na Liga Europa, somando apenas dois empates nos últimos jogos. O Nacional vem de três derrotas em 5 jogos.

Tradicionalmente, o Sporting tem muitas dificuldades a jogar na Madeira e nas ilhas em geral, tendo 38 jogos na liga com 4 vitórias dos madeirenses contra 23 do Sporting e pelo meio 11 empates.

Nos confrontos, ambas equipas marcaram exatamente 100 golos, 70 para o Sporting e 30 para o Nacional. A maior vitória em casa do Sporting foi 5-2, 5-1 e 4-0 (épocas 06/07, 18/19 e 88/89). O Nacional venceu o Sporting apenas por 3-2 e 2-1 (épocas 2004/2005 e 2005/2006). Em jogos fora, tivemos recentemente um 0-4 do Sporting na Madeira na época de 15/16. Relativamente ao Nacional, a maior vitória em Alvalade foi 2-4 em 2005.

Onze previsto

Nada de muito novo. O mesmo onze previsto da última jornada novamente. Só trocaria o Nuno Santos pelo Tabata e o resto mantém-se.

Assim acaba mais uma antevisão. Na próxima semana, temos novo encontro marcado para outra competição.

Até lá, cuidem-se.

#DiadeSporting

The post Sporting à conquista das ilhas appeared first on O Espartano.

]]>
https://espartano.pt/sporting-a-conquista-das-ilhas/feed/ 0