À conversa com Cherba

Desta vez, estivemos à conversa com Cherba, o fundador do blog A Tasca do Cherba“. A conversa foi dominada pela actual política de comunicação adoptada pelo clube, mas também falou-se sobre o seu blog e recordámos a sua participação no Movimento Basta de 2014.

Blog A Tasca do Cerba / Perfis Falsos nas Redes Sociais

O blog “A Tasca do Cherba” ultrapassou já a sua condição de passatempo para se tornar num espaço com responsabilidades. O crescimento e a visibilidade que começou a ocupar não apenas no universo Sportinguista, mas também na opinião pública em geral, implicou responsabilidades acrescidas. O objectivo do espaço mantém-se inalterado: Cherba continua a dar a sua própria opinião, independentemente do número de seguidores.

O surgimento das agências de comunicação e o crescente papel das redes sociais contribuíram para a proliferação em muitos blogs de perfis falsos e de supostos opinion makers que visam denegrir o que vá contra o que é defendido pela direcção vigente.

Agências de Comunicação / Comunicação do Clube

Cherba discorda com a entrada de agências de comunicação no clube, não apenas pelos custos envolvidos, mas também pela falta de ligação com o clube.

A actual direcção do clube conseguiu a proeza de ter um jornal desportivo diário, Record, a divulgar a actualidade do clube, para além de ser favorecida com a inércia dos restantes órgãos de comunicação social relativamente a tudo o que se passa no clube.

A comunicação do clube deveria basear-se num projecto de comunicação próprio, cujo trabalho teria continuidade, independentemente do candidato eleito

Cherba considera que a comunicação do clube está apostada em denegrir tudo o que foi feito pela direcção anterior, o que é ainda mais grave quando a campanha do actual presidente assentou no lema “Unir o Sporting”. Aceitar-se-ia que no início do seu mandato, e por estratégia, se diminuíssem as acções da direcção anterior, mas nesta fase já não se justifica.

Movimento Basta

Em 2014, Cherba foi porta-voz do Movimento Basta que reuniu adeptos de vários quadrantes do clube. Adeptos comuns desagradados com os constantes prejuízos do clube no que diz respeito às arbitragens. O movimento acabou por extravasar para outros áreas e problemáticas do futebol português.

Bruno de Carvalho / Eleições credíveis

Cherba foi contra a destituição e a expulsão de Bruno de Carvalho e favorável a eleições livres com todos os candidatos.

Em termos eleitorais, considera que estamos numa fase que resulta do que aconteceu em 2018. De momento e independentemente do método de voto, a ideia instituída é que o sócio do Sporting não tem direito a eleições credíveis.

Frederico Varandas

Frederico Varandas assume uma estratégia de comunicação no mínimo estranha, como consequência, talvez, da dificuldade de manter uma determinada imagem que numa intervenção em directo é facilmente destruída.

A nível do futebol do clube, não está contente com a preparação da actual época que foi um desastre completo. Também para a preparação da próxima época não deposita grandes esperanças no trabalho que está a ser desenvolvido. Para Cherba, tudo o que acontecer de bom será uma surpresa.

A limpeza de imagem da contratação de Rúben Amorim

Muitos Sportinguistas conseguem perceber que a contratação de Rúben Amorim foi uma acto de desespero, de fuga para a frente.  Os opinadores, mesmo os alinhados com o Conselho Directivo, colocaram em causa a contratação de Rúben Amorim. Mas para os muitos Sportinguistas que lêem apenas as capas dos jornais, a ideia que passa é que Rúben Amorim foi um golpe de génio.

A aposta na formação

Cherba assume-se como defensor convicto da formação do clube.

Em 2018, perdeu-se a excelente oportunidade de fazer um reset e voltar ao que de bom tinha sido feito em 2013 com Bruno de Carvalho e que se perdeu com a segunda época de Jorge Jesus.

Entre jogadores emprestados, dos Sub 23 e da equipa principal e ainda a contratação de mais 2 ou 3 jogadores com mais-valia, Cherba acredita que temos matéria-prima suficiente  para fazer uma boa equipa .

Para rever o podcast:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *