Leão defende história em casa com equipas austríacas

Sporting e LASK Linz medem forças esta quinta-feira, pelas 20h00, em Alvalade, em jogo a contar para o play-off da Liga Europa, sem a presença de adeptos e que será resolvido em mão única.

As duas equipas voltam a encontrar-se menos de um ano depois, uma vez que os leões e os austríacos fizeram parte do mesmo grupo na edição 2019/20 da prova – ambos passaram à fase seguinte – tendo em Alvalade o Sporting sido o vencedor por 2-1 numa segunda parte verdadeiramente emocionante dos verde e brancos, que estiveram a perder o jogo. Já na Áustria foi uma derrota com a passagem garantida.

O Sporting, de resto, já defrontou equipas austríacas em 16 ocasiões (jogos oficiais), tendo averbado sete vitórias, três empates e seis derrotas. E, se o conjunto leonino nunca conseguiu vencer em solo austríaco (soma cinco derrotas e dois empates), a verdade é que, também, nunca perdeu em casa (sete triunfos e uma igualdade).

Antes da receção ao LASK Linz no ano passado, o último jogo do Sporting em casa frente a um adversário da Áustria tinha sido em setembro de 2004. No arranque da caminhada até à final da Taça UEFA, os leões venceram o Rapid Viena por 2-0, com golos de Tinga e Liedson. A equipa, então orientada por José Peseiro, acabaria por empatar a zero na segunda mão, tendo por isso seguido em frente.

Últimos 5 jogos oficiais e curiosidades:

O Sporting estreou-se na época com a liga Europa frente aos escoceses do Aberdeen e na liga com o Paços de Ferreira, vencendo ambos por 1-0 e 2-0 respectivamente.

O Lask já está numa fase adiantada na época com mais duas jornadas na liga que o Sporting (o Sporting ainda tem a primeira jornada por realizar frente o Gil Vicente), somando 7 pontos, fruto de duas vitórias e um empate que lhe dá o quarto lugar da liga austríaca. Dar ainda o detalhe de que o campeonato na Áustria apenas tem 12 equipas, divididas na tabela ao meio por zona de liguinha para se ver o campeão e o mesmo na parte baixa para ver quem é despromovido.

O Lask teve uma pré época muito negativa, mas começou a época, na Taça da Áustria , a vencer 3-0. Seguiu se no campeonato a estreia caseira a ganhar 1-0, empate a 1 fora, eliminatória da liga Europa 7-0 em casa e nova vitória em casa, desta feita por 3-1 antes da viagem para Lisboa. O Lask tem tido muitas dificuldades a jogar fora de portas, o que pode ser benéfico para nós.

Relativamente ao confronto direto nem vai ser preciso título, porque os únicos jogos registados entre o Lask e o Sporting são precisamente os da época passada. 

Deixar alguns apontamentos sobre o último jogo e que podem ser interessantes para este jogo. Confirmou-se, como eu esperava, a tal dinâmica na frente fruto de não termos um avançado de raiz na frente.

Vimos jogadores, como o Tiago, a aparecer na zona da baliza mesmo estando a jogar no corredor. Os médios Wendel e o Matheus estiveram excelentes, tirando o amarelo escusado por atirar a bola para longe. O amarelo ao Adán, confesso que não consegui estar muito atento ao jogo todo, porque estava com problemas para o assistir. Mas o amarelo na primeira parte por perda tempo foi claramente desnecessário e é mais uma prova da falta de coerência quando se trata do Sporting (quando tivemos perdas de tempo claras no jogo contra o Marítimo e, que eu saiba, o guarda redes não levou amarelo muito cedo no jogo).

Tenho de dar os parabéns pelo jogador incrível que é Daniel Bragança. Aquele chapéu ao jogador do Paços é só um pouco da sua grande qualidade. Fazer o chapéu já é difícil, colocar a bola em jogo como ele fez, ainda pior. Nota extremamente positiva à defesa tremeu um pouco ainda, é perfeitamente natural, mas no geral esteve muito bem.

Expetativas para o onze inicial

Vamos ver se é desta que acerto em cheio.

Rúben Amorim arranja sempre maneira de me dar as voltas por um jogador, mas acredito que o Quaresma, se estiver em plenas capacidades, vai ser titular e o Nuno Santos pelo Jovane são as minhas apostas de mudança no onze em relação a domingo.

Contudo, coloco em hipótese tanto a titularidade do Neto, como a do Jovane. Um detalhe: a equipa do Lask tem uma mentalidade muito ofensiva, ao estilo das grandes equipas holandesas, o chamado futebol total: pressão muito em cima e nisso achei curioso que o Paços também fez uma pressão muito alta, o que pode ter dado aos jogadores na prática mais ferramentas para conseguir ultrapassar o Lask.

É preciso fundamentalmente entrar com ambição no alto e concentração, porque estes jogos são sempre definidos no detalhe. Se a defesa abanar, o Lask com a pressão muito alta vai aproveitar. Cabe-nos ler bem o jogo, porque com a equipa do Lask subida, vamos ter muito espaço atrás da defesa deles para explorar. 

Até à próxima. Cuidem se

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *