Lutadora exemplar

Bem-vindos ao nosso sábado das modalidades. O nosso fim de semana foi ontem inaugurado e para este nosso segundo dia temos um destaque especial no basquetebol, depois o futsal e, por fim, o hóquei em patins nacional, marcado pelos muitos adiamentos. Venham daí, porque temos muita coisa como sempre para se falar.

Basquetebol

Voltamos a começar com o basquetebol, esta semana por um tema mais específico e muito mais importante do que os jogos e as classificações.

Falamos da Andreia Caldas, uma jovem professora de basquetebol do Centro Social de Ermesinde e ainda atleta e treinadora do Clube de Propaganda da Natação de Ermesinde (CPN). Como puderam ver esta semana nas redes sociais, a Federação Portuguesa de Basquetebol apelou a todos para que ajudassem a Andreia. Aqui, para além de pedirmos e entrarmos no apelo de ajuda à Andreia, entramos também na apresentação.

A Andreia apaixonou-se pelo basquetebol desde cedo, tendo começado a jogar aos 6 anos. As férias desportivas de Gondomar levaram a Andreia a experimentar o basquetebol. A Andreia quis experimentar tudo, aproveitou e esteve em todos os desportos, mas foi no basquetebol que se destacou.

Foi convidada para ir fazer testes no Clube de Propaganda da Natação de Ermesinde (CPN) e assim tudo começou para a Andreia. Jogou em todos os escalões, destacando-se ao longo dos anos, sempre pela garra e pela entrega a cada jogada e a cada disputa de bola.

A Andreia sempre mostrou muita qualidade, sempre se foi evidenciando desde muito cedo. Foi ajudando o Natação a discutir e a vencer títulos ao longo de toda a formação. Foram vários títulos nacionais, regionais e sempre com a Andreia a ser um dos destaques. Está no Natação desde 2002, a dar tudo em campo, a conquistar adeptos para além do próprio clube. Sempre se revelou um exemplo, pelo que fazia em campo e por ter sido uma boa aluna.

A certa altura surgiu naturalmente o lado de treinadora. Assumiu funções no Centro Social de Ermesinde, um passo natural para a Andreia, pois a paixão pelo basquetebol não só a fazia jogar, como naturalmente a ideia de passar aos mais jovens esta paixão surge de forma mais do que naturalmente. Continuou a jogar, passou a treinar os mais jovens e sempre a estudar

A Andreia, como já todos os ficaram a conhecer, é uma força da natureza, sempre exemplar, sempre uma lutadora. Uma figura do Clube de Propaganda da Natação de Ermesinde (CPN), não só porque é a jogadora mais antiga do clube, como é pelo seu carisma e a sua entrega que simbolizam o clube em todos os aspetos.

Foram muitos campeonatos na formação e como sénior, foram conquistas, foram muitas alegrias, uma vida dedicada ao basquetebol que foi interrompida por um condutor imprudente que atropelou a Andreia e colocou a Andreia num estado muito grave. Foi atropelada e caiu da uma ponte de uma altura de 9 metros, tudo muito perto da sua casa. O acidente foi em maio de 2020.

Como se pode perceber, com este acidente a Andreia ficou num estado muito grave, mas mais uma vez veio ao de cima o lado de lutadora da Andreia. Nunca desistiu, conseguiu vencer sempre cada um dos obstáculos que este acidente lhe foi colocando. Sempre lutadora com um sorriso no rosto como lhe é característico. O sorriso que a Andreia sempre teve enquanto jogadora, em cada lançamento, a cada assistência e mesmo como treinadora, a cada festejo com os jovens jogadores que ela ajudava, que ela ensinava.

A situação nunca foi fácil, como todos percebemos perante um cenário destes, mas ficou ainda pior quando a Andreia não recebeu ainda os apoios a que tem direito. Perante tudo isto, a Federação Portuguesa de Basquetebol e todo o mundo do Basquetebol e do desporto português associaram-se para ajudar a Andreia, uma ajuda tão importante e tão fundamental neste momento. Todos mesmo com pouco podemos fazer muito, podemos ajudar a que a lutadora e carismática Andreia Caldas possa conseguir continuar a lutar com outras condições.

O sorriso da Andreia é e sempre foi característico, ela é formada em desporto, uma figura do Natação, do desporto do Norte e do desporto português. Podemos todos ajudar, podemos todos fazer algo. A Andreia pela força que tem vai conseguir voltar a jogar e a treinar. Será demorado, mas ninguém duvida que a Andreia vai vencer tudo e vai continuar a transmitir esta paixão aos mais novos e a todos os que conheçam a Andreia.

É alguém que encara tudo com um sorriso no rosto e vence todos os obstáculos. Uma apaixonada por desporto, uma lutadora e para ajudarmos deixo aqui para onde todos podemos contribuir:

Entidade – 21 312;

Referência – 509 783 733

Deixamos aqui o apelo da FPB (https://www.fpb.pt/noticia/vamos-todos-ajudar-a-andreia-caldas/)

Futsal

Vamos ao futsal falar da seleção, dos dois últimos jogos da seleção. O primeiro de dois duelos com a Polónia, este primeiro em Mafra que Portugal acabou por empatar a 2. Foi um empate garantido já no final do jogo com Pedro Cary a salvar tudo. Portugal dominou e controlou, mas não soube marcar, não conseguiu materializar as oportunidades.

Começámos com 20 minutos de domínio, muitos remates, muitas oportunidades, mas não conseguimos marcar e foi esse um dos motivos para este empate. A Polónia conseguiu criar perigo através de erros nossos e nunca através de jogo jogado, de ataques pensados. Foi sempre através de erros de algum jogador.

A Polónia chegou ao golo ao minuto 18 através de Zastawnik que recebeu a bola e a coloca na área com Szczypczynski a marcar de cabeça. Como Portugal não marcava foi a Polónia que marcou. Os erros, sempre os nossos erros, iam fazendo a diferença.

Fomos para o intervalo a perder por 1-0, com claro domínio da nossa seleção, com muitos remates e muitas oportunidades, mas não conseguíamos marcar. Não conseguíamos acertar com a baliza, por isso uma desvantagem muito por culpa própria.

Na segunda-parte assistiu-se a ainda mais posse para Portugal, mais domínio quando se apostou no 5×4. O jogo ficou ainda mais controlado por nós. Só que foi novamente a Polónia a marcar. Com Portugal mais uma vez por cima e, mais uma vez, foi a Polónia que conseguiu marcar.

A verdade é que foi mesmo de 5×4 que conseguimos subir de nível e criar mais perigo. O golo surgiu por Cary depois de muita confusão na área. Continuámos muito por cima, muitas oportunidades, muitos remates, mas sempre a não concretizar. Pedro Cary continuou como guarda-redes avançado e foi muito por ele que a seleção foi criando perigo, mas sempre com os mesmos problemas.

O nosso segundo golo surgiu muito em cima do primeiro. Tiago Brito marcou depois de uma jogada e um bom passe do Cary.

Portugal com falhas a mais para um jogo em que fomos tão superiores e com uma finalização que nem parecia a nossa seleção com os nossos jogadores. Como em tantos jogos, Portugal jogou desta forma, mas em outros jogos as individualidades resolveram tudo. Desta vez não deu, porque é óbvio que nem sempre funciona.

Depois de um empate, Portugal foi à Polonia, vencer por 3-0 e, aqui sim, deu Portugal. Foi um jogo bem mais à nossa imagem.

Portugal esteve novamente em sentido único, apenas com olhos na baliza polaca com mais controlo do jogo e desta vez Portugal não deu margem. Não errámos tanto na baliza e mesmo com o GR polaco a fazer muitas defesas, Portugal jogou melhor.

O jogo começou com Portugal a atirar à baliza Polaca. Houve claramente ordem para atirar por Jorge Braz. Muitos remates, muitos mesmo e todos com perigo. A prova de Portugal estar por cima, mas tão por cima, foi a forma como a Polónia chegou à quinta falta logo aos 10 minutos de jogo.

O golo surgiu aos 15 minutos numa jogada do Ricardinho e com Cardigol a marcar, o nosso Cardinal que não podia estar mais que um jogo sem marcar, por isso o golo surgiu de forma natural, muito pelo muito domínio português e pelo ataque que estava a acontecer à baliza polaca.

O segundo golo surgiu no último minuto do primeiro tempo através de um remate do André Coelho que apanhou a bola e não teve problemas em rematar. A bola ainda embateu num polaco, mas foi um remate muito forte do André.

Uma primeira-parte toda nossa de domínio absoluto e a Polónia só teve uma verdadeira oportunidade.

Depois, no segundo tempo houve menos domínio. A Polónia teve mais oportunidades, principalmente nos primeiros minutos da segunda parte, levando o Edu Sousa a ter de intervir mais e, sempre que foi chamado, ele correspondeu ou não fosse ele um dos melhores do mundo.

Tal como no primeiro tempo, a seleção polaca cedo volta a ficar tapada por faltas. A seleção polaca realmente estava melhor e criou uma grande oportunidade, quando em 5×4 aproveitou uma falha nossa e através de um remate do Sebastian Leszczak criou a melhor situação num remate perigoso desviado pelo João Matos para a barra. Isto fez Portugal acordar. Fomos para cima e voltámos a ter mais oportunidades e, acima de tudo, a ter mais domínio de jogo.

Depois disso, acontece a sexta falta polaca. Cardigol foi chamado a converter e é óbvio que não falhou. Marcou e deu uma vantagem ainda maior a Portugal. Depois fomos gerindo, não fomos tão intensos como no primeiro tempo, mas fomos controlando o jogo e a Polónia não criou grandes oportunidades. Foi um jogo bem melhor da nossa parte, com uma diferença tremenda em relação ao jogo cá.

Com esta vitória, Portugal isola-se no 2º lugar do grupo com 4 pontos atrás da República Checa. Tudo bem melhor, deu para ver mais de alguns jogadores e não cometemos tantos erros como em Mafra, onde acabámos por perder pontos onde não devíamos.

Portugal volta a jogar em março em jornada dupla com a República Checa, a seleção que lidera o grupo, pois beneficiou da penalização da Noruega. Os noruegueses foram castigados pela FIFA por não terem comparecido nos jogos com os Checos. Foram duas vitórias na secretaria para os Checos que, assim, conseguiram seis pontos fáceis.

Portugal tem tudo para vencer, mas esperemos que a nossa seleção tenha aprendido com estes dois duelos, principalmente no duelo em Portugal, onde deu para ver que nem toda a superioridade dá garantias de sucesso. Foi um empate que nos fez acordar e esperemos que não se repita mais.

Hóquei em Patins Nacional

Vamos à nossa última modalidade deste sábado, começando claro pelo nosso campeonato masculino, onde o Sporting não jogou por estar em isolamento.

Vimos o Porto ir a Braga vencer por 3-6 num duelo muito intenso, um ótimo jogo de hóquei, em que o Porto entrou a perder e passou pior nesta partida. Um 3-0 para o Braga e parecia que o Porto ia sofrer uma derrota, mais uma.

A verdade é que o Porto acordou, melhorou, foi para cima e não só conseguiu empatar como conseguiu passar para a frente e vencer.

Neste duelo viu-se muito Gonçalo Alves, já sabemos, mas é muito craque, muito bom jogador e não falhou, foi muito ele a levar a equipa e voltou a espalhar a magia. Di Benedetto marcou novamente, e Mena também esteve muito bem.

Foi um susto valente para os dragões que assumiram e melhoraram muito no decorrer do jogo, mas foi já nos 10 minutos finais que conseguiram fazer a reviravolta. Foi um ótimo jogo de hóquei, daqueles que merecia público e daqueles que conquista muitos fãs.

O líder Barcelos foi a Valongo vencer o sempre difícil Valongo. Com uma entrada forte, o Barcelos colocou-se na frente, esteve sempre bem e foi conseguindo estar sempre por cima. O Valongo ainda empatou, forçou um pouco mais, mas o Barcelos esteve em dia sim, não tremeu e mostrou o porquê de estar tão bem na classificação.

O Barcelos é uma equipa coesa, forte e que não treme muito e consegue ou tem conseguido até agora ultrapassar com categoria os adversários.

Dário Gimenez foi a figura da partida não só pelos dois golos marcados, como por ter jogado tão bem.

Em Almeirim, os Tigres a precisar de vencer receberam a Sanjoanense num jogo muito equilibrado, mas os ribatejanos acabaram por perder. Foi um grande duelo de hóquei, mas mais uma derrota para os ribatejanos que perderam assim por 1-2 em Almeirim.

Com as duas equipas em situações diferentes, a Sanjoanense acabou por vencer e acabou por se aproximar ainda mais do sétimo lugar. Já os Tigres afundaram-se ainda mais no último lugar, uma difícil posição para os ribatejanos que estão desesperados para sair dali, mas avizinha-se um difícil cenário para os Tigres.

O Turquel recebeu e empatou a 1 com a Juventude de Viana num duelo também ele muito equilibrado, com o Turquel desesperado para pontuar e o Viana com uma época bem mais tranquila.

Houve muitos jogos adiados, muitos jogos que não foram disputados, mas o Barcelos lidera com 42 pontos, Porto está agora em segundo com 38 pontos, mas menos um jogo e em terceiro estamos nós com 33 pontos e menos dois jogos.

No feminino, na fase de campeão, só o Sporting jogou. Fomos até Vila Nova de Gaia jogar com os Carvalhos. Vencemos por 3-5 num ótimo jogo de hóquei. Deu gosto ver estas duas equipas jogarem, foi um jogo de muita qualidade.

O Sporting entrou em grande, marcou dois golos nos primeiros minutos com o Carvalhos a responder através da craque Raquel Santos que marcou os dois golos do empate.

Depois do empate, deu Sporting, apenas e só Sporting, que se viu por cima do jogo, que dominou e controlou, e foi criando muitas oportunidades e muitos lances de perigo, mas mesmo assim fomos para o intervalo empatados com o Carvalhos.

No segundo tempo, entrámos da pior forma. Mais uma vez, Raquel Santos marcou para o Carvalhos e deu o mote para o Sporting melhorar mais com os golos a surgirem naturalmente.

O domínio foi nosso com o Carvalhos a estar sempre por cima. O empate foi conseguido rapidamente, mas a vantagem demorou para ser conseguida. Foi já nos últimos minutos que surgiu o golo da tranquilidade marcado por Rita Lopes.

Boa vitória do Sporting frente a uma equipa sempre complicada e que cria sempre problemas. Óbvio que o destaque é Raquel Santos que já destaquei aqui várias vezes. É uma jogadora com muita qualidade e que devia já estar fechada para o Sporting. É mesmo muito boa jogadora, uma das melhores da nossa liga e provou isso mesmo contra nós neste jogo, não só pelos três golos, como por tudo o que fez e que jogou. Podia ser um reforço muito importante para nós, para melhorar ainda mais a nossa equipa.

Nesta fase muitos jogos foram adiados, pouco se jogou ainda. Benfica lidera com 6 pontos, Sporting em segundo com 3 pontos e a Académica de Coimbra, também com 3 pontos, em terceiro lugar.

Na zona de manutenção, o Stuart venceu o Gulpilhares por 3-1 num bom jogo da equipa de Massamá que recebeu e venceu a jogar bem, continuando assim o bom momento de toma que vinha dos últimos jogos.

O Tojal recebeu e empatou com o Académico por 2-2 num duelo muito intenso, as equipas estiveram muito iguais e acabou mesmo num empate, num jogo em que a Sofia Ferreira voltou a evidenciar-se no lado do Académico.

Ainda o Campo de Ourique que foi a Arazede vencer a equipa da casa por uns tranquilos 6-0. Diana Lopes marcou três golos, mas o CAC voltou a não dar margem e voltou a vencer um jogo de forma mais tranquila.

Nesta fase de manutenção o Stuart a jogar bem lidera com 6 pontos, em segundo com os mesmos 6 pontos o Campo de Ourique e em terceiro também com 6 pontos o CENAP. Este trio está destacado, como se esperava nesta fase. O Stuart é equipa para bem mais, joga bem e devia estar na fase de campeão, porque a equipa é boa.

Com o Sporting sempre em destaque, a equipa feminina de hóquei joga muito bem e dá sempre espetáculo, vontade de ver a equipa jogar. Merecem mais destaque e mais atenção.

Por este sábado é tudo. Espero que todos estejam bem, cuidem-se e amanhã já sabem que temos mais um artigo com muita atualidade das nossas modalidades. Por isso, até amanhã e obrigado a quem está a ler.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *