Obrigado, Sporting!

Foi a 28 de Abril de 2002 que o meu, o teu, o nosso Sporting Clube de Portugal conquistou o seu 22º título de campeão nacional. 19 anos depois, chegou a hora, chegou o momento de voltarmos a ser felizes, de voltarmos a gritar bem alto, até que nos falte a voz, o nome do Sporting Clube de Portugal e que somos Campeões nacionais. Somos Nós!

Escrevo este texto com o orgulho de alguém que há 19 anos festejou o título pendurado no tecto de abrir do carro do pai. Em pleno Marquês de Pombal, deve ter sido a primeira vez que me apercebi da grandeza, da enormidade, da brutalidade que é o Sporting Clube de Portugal. Pela Avenida Fontes Pereira de Melo acima, seguindo-se a Avenida da República ia um puto todo equipado a rigor e que naquele momento vivia, provavelmente, o melhor momento da sua vida até então. Não conhecia ninguém à minha volta, mas sentia que ali era o meu “sítio”, era com aqueles e àqueles que eu pertencia.

Chorei, gritei, festejei até não ter mais forças. Festejei com a certeza de que queria aquele Sporting, queria aquela vida, queira aquele ambiente todos os segundos de cada dia da minha vida.

No dia seguinte, quando passei no Marquês de Pombal vi um cachecol listado de verde e branco em torno da estátua do Marquês de Pombal, o que naquele momento me fez querer lançar um desafio a mim próprio, o qual naquele momento e naquela idade me pareceu o mais desafiante que havia: fiz a promessa de subir e descer a Av. Fontes Pereira de Melo vinte vezes, mas com um pormenor: sempre a ver o cachecol verde e branco. Cumpri!

Acabou a festa, mas eu queria mais…

Anos mais tarde vivi o sonho de Alkmaar com a perplexidade que preocupou todos os que naquele dia estavam comigo… foi golo do Miguel Garcia e eu caiu ajoelhado no chão a chorar compulsivamente e a gritar “Sporting, Sporting, Sporting!!!”. Não dormi nessa noite… tanto que eu queria aquela final. Veio a final… mas ainda não foi daquela vez que eu ia repetir e viver aquele ambiente, aquele amor que tinha vivido poucos anos atrás.

Hoje já não sou aquele puto, mas tenho aquele puto dentro de mim… e tenho dois Leõezinhos, de 2 e 7 anos respectivamente, Sócios do Sporting desde o dia do seu nascimento, os quais nunca viram o Sporting Campeão, nunca viveram aquele amor, nunca viveram aquele carinho e loucura, nunca foram pendurados no tecto de abrir do carro do pai a gritar bem alto o nome do Sporting Clube de Portugal!

Chegou o momento…

Chegou o momento não só de festejar, mas de principalmente mostrar aos meus filhos que valeu tanto a pena a espera. Valeu tanto a pena serem dos poucos Sportinguistas nas suas turmas da escola. Valeu tanto a pena as vezes que viram o pai triste por o Sporting não ganhar. Valeu a pena… acreditem, porque agora sou eu que vos prometo que vão assistir à maior festa das vossas vidas, à maior demonstração de amor, à maior loucura – e que tão boa loucura – que muito provavelmente vão viver nas vossas vidas!

O Sporting Clube de Portugal vai ser Campeão Nacional! O Sporting Clube de Portugal vai conquistar o 23º título de Campeão Nacional e nós, nós vamos festejar até de manhã, vamos fazer com aquele dia, aquela noite, nunca acabem.

Festejem, celebrem, gritem, mas lembrem-se: mostrem aos vossos filhos, mostrem aos vossos netos o que é o Sporting Clube de Portugal. Mostrem-lhes a nossa grandeza, façam-nos ter orgulho, deixem-nos sentir aquele amor, aquela emoção… deixem-nos viver aquilo que nós já vivemos e que nos acompanha a vida toda porque acreditem… são estes momentos que marcam e definem. São estes momentos que ficam. São estes momentos que levamos connosco.

Obrigado Sporting! Obrigado por me deixares ser, uma vez mais, aquele puto que ia pendurado no tecto de abrir do carro do pai e acredita, desta vez, já não vou só. Levo mais 2 desta família que nós somos – a família Sportinguista – porque onde vai um vão todos!

Por todos os que já partiram e já cá não estão, mas tanta responsabilidade tiveram no nosso Sportinguismo, celebrem com eles, lembrem-se deles e olhemos todos para o céu para celebrar com aqueles que nos fizeram ser desta fibra, desta garra, desta irreverência que somos hoje!

Aconteça o que acontecer no Sporting, desta época em diante, onde vai um vão todos!

Obrigado Sporting!
Obrigado Sporting!
Obrigado Sporting!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

O Espartano