Pippo Russo em discurso directo

Versão traduzida da entrevista de Pippo Russo

Pippo Russo é professor de Sociologia na Universidade de Florença, onde ensina Sociologia do Desporto. Nos últimos anos, tornou-se num dos especialistas na economia paralela do futebol mundial. L’Orgia do Potere (A Orgia do Poder) é seu segundo título e o que colocou Pippo Russo em destaque em Portugal, devido à atenção dada a Jorge Mendes


Como é que um sociólogo se interessa por jornalismo?

Eu já era jornalista antes de terminar a minha formação universitária como sociólogo. Então, quando isso aconteceu, era natural misturar os dois perfis. E todo o meu trabalho é resultado dessa mistura.

Como sociólogo, quais são as suas impressões sobre a influência da comunicação social na opinião pública?

A comunicação social sempre teve influência na opinião pública. O que muda é o ambiente de comunicação em que os media actuam. Agora temos uma comunicação mais social, mas isso não significa que tenhamos uma comunicação mais consciente e democrática.

O risco de manipulação está cada vez mais presente e o mais preocupante é que não há consciência suficiente sobre isso.

Qual é a sua opinião sobre o “plano Marshall” da FIFA para mitigar os impactos do Covid-19 no futebol?

Acho que a FIFA tem o dever de restaurar o futebol. Tem muito dinheiro e tem o dever de redistribuí-lo para o futebol que enfrenta a crise mais terrível da sua história.

Considera que as autoridades desportivas aproveitarão a oportunidade oferecida pelo Covid-19 para mudar suas políticas desportivas?

Eu espero isso. Mas, na minha opinião, será a mudança que mudará as políticas. Quero dizer, as consequências serão tão profundas que as políticas e a gestão desportiva não serão as mesmas por causa de pressões externas e não por escolha.

Como explica a importância da comunicação social nos eventos que levaram ao ataque de Alcochete e, posteriormente, à destituição de Bruno de Carvalho como Presidente do Sporting?

O ataque a Alcochete era um assunto muito sério por si só, não por influência da comunicação social. Era inevitável que a cobertura da comunicação social fosse dramática, e o mesmo aconteceria no exterior e não apenas em Portugal.

No que diz respeito a Bruno de Carvalho, é um facto que a comunicação social não estava ao seu lado.

Dois anos atrás, Sporting declarou-se publicamente contra a influência de fundos e agentes no mundo do futebol. Considera que Frederico Varandas, atual presidente do Sporting, manteve essa posição?

Eu nunca ouvi uma palavra sobre esse assunto da parte de Varandas. Como se esse problema não existisse para ele. E entre todas as coisas embaraçosas na presidência de Varandas, essa é uma das mais embaraçosas.

Qual a sua opinião sobre os casos dos “leaks” e de Rui Pinto no futebol e qual a importância de Rui Pinto para a transparência no desporto português?

Para mim, Rui Pinto é um denunciante e, como denunciante, deveria ter sido respeitado e tratado como fonte de informação da justiça pelas autoridades portuguesas. Mas, em vez disso, temos Rui Pinto na cadeia.

Isto significa apenas que as autoridades portuguesas não querem que a verdade seja conhecida sobre o futebol. Para mim, Rui Pinto é um prisioneiro político.

As autoridades portuguesas estão a levar a cabo uma investigação chamada “Fora de Jogo”, sobre transferências no futebol profissional. Um dos principais suspeitos é Jorge Mendes. Acredita que essa operação levará finalmente Jorge Mendes a ser responsabilizado pelos negócios irregulares que ele tem conduzido há vários anos?

Espero que isso aconteça. Devemos recordar o princípio de que qualquer pessoa é inocente até que se prove a culpa. Mas tendo tudo isso como premissa, acho que hoje em dia Jorge Mendes também é mais fraco em Portugal, não apenas fora de Portugal. Vamos esperar e ver.

Acredita que Jorge Mendes está a tentar usar a sua influência em outros desportos?

Ele também negocia em ténis, mas é claro que o futebol é o seu negócio principal.

Como seria possível acabar com qualquer atividade ilegal, como lavagem de dinheiro, no futebol profissional?

Apenas uma palavra: transparência. Quem paga e quem ganha, quanto dinheiro e para onde vai, em qual conta bancária, de qual país. Todos esses dados devem ser públicos. O controle público é o primeiro obstáculo à lavagem de dinheiro.

O que tornou Jorge Mendes tão influente e importante no cenário do futebol profissional?

Jorge Mendes conseguiu estabelecer uma rede de relações com o mundo do futebol e o mundo das finanças. E acima de tudo, ele é um homem com uma atitude maníaca por propaganda.

Não consigo entender por que ele se tornou rapidamente no homem mais poderoso do futebol mundial. Somente ele e um punhado de outras pessoas poderiam explicar.

Você acha que Jorge Mendes beneficia Luís Filipe Vieira, Presidente do Benfica, através do pagamento de comissões?

Oficialmente, é o Benfica quem paga comissões a Jorge Mendes. E só podemos dizer o que sabemos oficialmente.


Foi uma surpresa para nós a abertura demonstrada por Pippo Russo em cooperar com um projeto tão recente como o “Espartano de Alvalade”. Por este facto, a equipa do “Espartano” gostaria de agradecer a Pippo Russo e desejar-lhe todo o sucesso. Obrigado

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *